OPINIÃO
04/04/2014 16:44 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:12 -02

Se joga que dói menos

Mesmo que eu me jogue meio errado, com a coluna torta, e com o braço na frente, o joelho dobrado, a cabeça de lado, sem sincronia e não dê certo, quero sempre ter fé de que se jogar faz bem para a alma.

Getty Images

Por algum tempo, pensei que ter fé era ter religião. Só que não. Ter fé é muita coisa: acreditar, considerar algo verdadeiro, acreditar em ideias, valores, vidas, crer em alguma coisa, ter esperança, ser fiel a um pensamento, e até mesmo ter uma religião. Uma palavra tão pequena, com duas letras, quer dizer exatamente o que nos faz viver.

Por que você vive? Tenho quase certeza que a resposta vem acompanhada por alguma coisa que você acredita, mesmo que seja em sua curta existência, se for a mais pessimista possível.

O amor e a paixão, quero me jogar. Tem paixão que afoga a gente, delimita o espaço da sua fé, quando ela vira imagem, substantivo feminino. É aí que acontece umas guerras daquelas dentro da gente, quando não somos capazes de aguentar nossas paixões por outro alguém. Dói em mim, dói em você. O mundo vive e continuará vivendo as dores de suas paixões. E a sua fé.

"O seu amor

Ame-o e deixe-o livre para amar

O seu amor

Ame-o e deixe-o ir aonde quiser"

Teve uma época que minha avó me ligava todo dia para dizer: "ô, mia fia, tens que ter fé. Você anda sem fé. Tenha fé que tudo melhora!"

Sempre entendi que ela estava falando para eu ir à igreja, mas depois pensei bem e cheguei à conclusão que a minha vida é cheia de fé.

Acredito fortemente na diminuição das desigualdades. Tenho fé que chegaremos numa democracia de verdade, numa vida mais coletiva, menos muros, mais praças. Menos não, mais sim. Menos favor, mais amor.

Dia desses, a querida Ana Consani, atriz e produtora, me disse assim, no dia do aniversário dela: nada dá errado quando a gente se joga. Achei essa frase genial e, além de constatar que ela é a filosofia & amor, fiz uma breve análise sobre tudo que me joguei. Só não deu certo, desceu errado e algumas ainda doem quando penso, aquelas que não entreguei o meu corpo e a minha alma.

Já disse no Facebook e agora digo por aqui. Em 2014 eu quero:

- Ser uma amante total. Jogar-me!

Mesmo que eu me jogue meio errado, com a coluna torta, e com o braço na frente, o joelho dobrado, a cabeça de lado, sem sincronia e não dê certo, quero sempre ter fé de que se jogar faz bem para a alma, e que assim seja, pois a fé antecede a religião.

Se joga, bonitx.

Evoé!