OPINIÃO
08/06/2018 14:39 -03 | Atualizado 08/06/2018 18:29 -03

Anthony Bourdain: O adeus ao 'Elvis dos chefs bad boys'

O nova-iorquino rompeu com os estereótipos do chef de cozinha ao mostrar certa rebeldia.

Danny Moloshok / Reuters
Anthony Bourdain morreu aos 61 anos.

Acordei com a triste notícia de que o bom e velho "Tony" havia nos deixado de forma inesperada. O famoso apresentador do programa Parts Unknown da CNN foi encontrado sem vida na manhã desta sexta-feira (8), em um quarto de hotel na cidade de Estrasburgo, leste da França, por seu amigo o chef Eric Ripert. A imprensa internacional afirma que a causa da morte foi suicídio.

Anthony Bourdain, 61 anos, era escritor e apresentador de TV. O nova-iorquino rompeu com os estereótipos do chef de cozinha ao mostrar certa rebeldia ao exibir tatuagens, fumar, beber e, principalmente, ao trocar a doma por uma roupa mais descolada que invariavelmente era jeans e camiseta.

Utilizou-se do jornalismo para investigar food trucks e quiosques da periferia dos quatro cantos do mundo. Tirou dos holofotes os restaurantes chancelados pelo Guia Michelin e valorizou a gastronomia periférica, onde descobriu qualidade na simplicidade.

Bourdain esteve no Brasil, onde gravou o seu programa por duas vezes, uma em São Paulo (2007) e em Belo Horizonte (2016).

No filme da Paramount Pictures Morning Glory (Uma Manhã Gloriosa) de 2011, que mostra os bastidores de um telejornal diário, o diretor Roger Michell presta uma singela e discreta homenagem ao já famoso Anthony Bourdain, quando Harrison Ford, que interpreta Mike Pomeroy, um jornalista conhecido pela sua credibilidade e mal humor - um pouco antes de entrar ao ar com a atração matutina Daybreak - informa a produtora que, apesar da amizade e admiração pelo famoso chef, não irá gravar com ele pelo fato do tema não estar relacionado à uma notícia de forte impacto ao jornalismo tradicional.

Por trás daquela figura rebelde havia um homem generoso e afável que em suas últimos momentos de vida, discretamente, pedia socorro. Somente ele sabia o quanto a crise existencial o corroia por dentro a ponto de, em um ato extremo, partir sem dizer adeus.

Até 2016 foi casado com a italiana Ottavia Busia, lutadora de mixed martial arts (MMA), com quem teve uma filha.

A CNN divulgou um comunicado sobre a morte de Bourdain.

"É com tristeza extraordinária que podemos confirmar a morte de nosso amigo e colega, Anthony Bourdain", disse a CNN em um comunicado. "Seu amor por grandes aventuras, novos amigos, boa comida e bebida e as histórias notáveis do mundo fizeram dele um único contador de histórias. Seus talentos nunca deixaram de nos surpreender e sentiremos muita falta dele. Nossos pensamentos e orações estão com sua filha e família neste momento incrivelmente difícil ".

Jamie Oliver também se manifestou ao saber que Bourdain havia partido. "Tenho de confessar que estou em choque total ao saber que o extraordinário morreu. Ele quebrou mesmo as regras e impulsionou o debate culinário".

Outra estrela da gastronomia, o chef Gordon Ramsay, afirmou também estar chocado e triste com a perda de Anthony Bourdain. "Ele trouxe o mundo para as nossas casas e inspirou tantas pessoas a explorar culturas e cidades através daquilo que comem", escreveu na sua conta de Twitter.

Henrique Fogaça, pelo Twitter, lamentou a partida do chef: "Hoje o dia amanheceu cinza e com muita tristeza , minha grande inspiração , meu grande idolo e cozinheiro Antony Bourdain se suicidou nessa madrugada .... A cada dia vejo que o que mais importa nessa vida é estar sereno, com a familia e com os verdadeiros amigos!!!.. A mente do ser humano é algo que esta a milhões de km do nosso entendimemto racional. Que DEUS o conforte❤@anthonybourdain"

Bourdain foi embora sem realizar um velho sonho, o de cozinhar para o também rebelde e lendário guitarrista da banda Rolling Stones, Keith Richard's, a quem nutria grande admiração.

A Smithsonian Magazine afirmou que Bourdain era "a estrela do rock original" do mundo da culinária, "o Elvis dos chefs bad boys".

Descanse em paz, Tony!

*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.