OPINIÃO
12/12/2014 18:13 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Resumo de relação com psicopata

lisafx via Getty Images

Na semana retrasada...

conheci o ciclista dos meus sonhos ao ser atropelada na ciclofaixa. Um conto de fadas distópico: o ciclista atropelador me carregou para fora da zona de perigo, como uma cinderela grunge. Ele era um cavaleiro urbano. Estranhei quando recebi a mensagem de texto que dizia "sua vadia vou te comer toda". Sem vírgula, o que sempre me causa mal estar. Nada contra a livre expressão libidinosa, mas talvez eu esperasse um pouco mais de romance. De toda forma, fiz novo contato e marcamos um encontro menos acidental. Não toquei no assunto. A noite foi incrível. Ele disse que eu tinha dedos de pianista e se mostrou um amante hábil, além de explorador incansável da minha greta garbo.

.....

Tentei não me apaixonar. Sem sucesso. Logo que ele fechou sua braguilha, no barulho da noite do centro, e partiu, estrábico, não pude pensar noutra coisa. No meio da tarde, fantasiando nossas férias futuras em Curaçao, me assustei, com certo deleite, ao ler sua mensagem que lia "vou comer esse seu cuzinho todo".

Por que ele não falava nada disso quando estávamos juntos? Possibilidades pulularam. Um novo sequestro de celular? Uma namorada ciumenta ou síndrome de Tourette digital?

Resolvi ser sincera, mas polida: querido, guardo o meu último esfíncter para um momento especial. Quiçá, com você.

Não houve resposta.

Passou-se uma longa tarde sem que eu recebesse uma missiva sequer. Me tornei irritável e checava o telefone a cada dez segundos, na ânsia de uma mensagenzinha pornográfica qualquer.

No dia seguinte, meu mal estar era explícito. Numa hora triste, o celular bipou - era uma mensagem de bom dia!, enviada do número dele. Aquilo me caiu como um piano do sexto andar. Mas minha necessidade de contato humano não vê barreiras e pesa mais que um Pleyel de cauda.

Quando já me dava por vencida, veio o texto "quero esporrar na sua cara". Um suspiro de alívio e respondi, rapidamente, "sim, mas quando?". Nunca mais tive notícias dele.

E assim resolvi terminar o ano de 2014 e me dar férias de relacionamentos, até segunda ordem. Assim que tiver novidades que mereçam nota, volto.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.