OPINIÃO
05/04/2016 11:14 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Uma carta de amor para todos os meus amores

Amei. E o fiz por incontáveis vezes ao longo dos anos, em frenesi. Agarrei com unhas e dentes todos os destinos possíveis. Sem escolher nenhum deles, convivi com esse turbilhão de cenários imaginários que agora me sufocam. Nunca deixei ninguém partir - estou convencido de que sou um acumulador de amores. Estranho? Egoísta? Não há dúvidas.

Tom Merton via Getty Images
Pen and pages of notebook forming heart-shape

Amei. E o fiz por incontáveis vezes ao longo dos anos, em frenesi. Agarrei com unhas e dentes todos os destinos possíveis. Sem escolher nenhum deles, convivi com esse turbilhão de cenários imaginários que agora me sufocam. Nunca deixei ninguém partir - estou convencido de que sou um acumulador de amores. Estranho? Egoísta? Não há dúvidas.

O primeiro amor foi tão marcante quanto o último. Uma linha reta entre dois pontos. Será que a beleza está nas curvas? Amei com espírito de poeta e fiz poemas. No fim das contas era tão banal que bastava trocar os nomes. Manoela e Camila sorriram pelas mesmas rimas. Nunca vi maldade nisso e sempre fui sincero. Mas eu tinha um jeito estranho de dizer a verdade.

Isso deveria ser uma carta de amor. Pensei em escrevê-la com o mínimo de detalhes e o máximo de objetividade. Amor em resumo. Mas não dá para poupar palavras quando se pretende atingir um número gritante de pessoas. Por isso estou - enquanto escrevo - ponderando sobre o que de fato existiu de comum entre todos os relacionamentos que cultivei.

Amei, mas nem sempre fui amado. Isso de reciprocidade nunca foi exigência. Nunca fiz pedidos de casamento. Nunca sonhei com o "felizes para sempre". Gostava do caráter transitório. Cruzei com o amor da minha vida em diferentes esquinas, de diferentes cidades. Amei algumas pessoas que vi por um segundo, de relance, pela janela de um ônibus.

Isso nunca será uma carta de amor. Quem escolhe um caminho vive com a angústia de todos os outros. E quem não escolhe nenhum? Encontrei o elemento comum a todos os meus amores: "eu te amo". Sim, eu amo.

Originalmente em Puta Letra.

LEIA MAIS:

- Os dois homens mais semelhantes de 2015

- Parceria, porra! Saiba quem é amigo e quem só faz de conta

Também no HuffPost Brasil:

Galeria de Fotos 17 capas de clássicos em recriações fantásticas Veja Fotos