OPINIÃO
06/10/2014 20:06 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:04 -02

Preconceito geolocalizado: o ódio aos nordestinos no Twitter

reprodução

A história se repete: assim como nas eleições presidenciais de 2010, foi só saírem os resultados parciais do pleito desse domingo para se (re)iniciar a controvérsia - repleta de preconceitos - em torno do grande número de votos do PT na região Nordeste.

Os mapas abaixo agregam um total de 1713 tweets geolocalizados com as palavras "nordeste" e "nordestino(s)" e que foram publicados entre 18h e 00h do domingo, dia 05/10.

O mapa dinâmico mostra, entre outras questões, uma pequena "explosão" de tweets após 19h30 de Brasília (ou 22h30 no horário universal, conforme legenda do mapa). Foi a partir deste horário que as primeiras parciais da eleição presidencial foram divulgadas. (Se o mapa não carregar, veja-o aqui)

Já o mapa com link para todos os tweets, nos permite ver com clareza a diversidade de opiniões e, infelizmente, o teor preconceituoso de várias mensagens.

É importante ressaltar que os tweets geolocalizados representam em média apenas 5% do total de postagens sobre um assunto no Twitter, portanto, o mapa acima é apenas um indicativo do que se falou e discutiu na noite desse domingo.

Os dados nos mapas foram coletados na manhã desta segunda, dia 06, e alguns tweets foram apagados após essa data. Para denunciar abusos contra os direitos humanos na internet, preencha o formulário no site da Safernet.

Veja coletâneas de postagens e tweets preconceituosos no perfil @culpadonordeste ou no Tumblr Esses Nordestinos.

Viabilizado através de uma parceria com o CartoDB, esses mapas são parte da pesquisa "(Web)TVs em conexões intermidiáticas: redes sociotécnicas na cobertura jornalística de dois eventos programados", coordenado por Carlos d'Andréa (PPGCOM/UFMG) com a participação dos estudantes Arthur Guedes, Leonardo Melgaço, Marina Novais e Marco Túlio Silva.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.


VEJA TAMBÉM NO BRASIL POST:

Eleições e os políticos 'cara suja'