OPINIÃO
13/11/2014 11:46 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Interstellar? Não é para tanto

Conduzido de maneira incrível, Interstellar com certeza é um dos marcos no cenário de filmes de ficção científica. Pena pecar de forma tão amadora em alguns aspectos.

RomoloTavani via Getty Images

Em resumo, o filme me deixou um pouco decepcionado.

[ESTE TEXTO NÃO CONTÉM SPOILERS]

Como um amante da literatura e cinema de ficção científica, não pude perder a chance de assistir ao mais badalado filme dos últimos tempos, Interstellar. O filme, que se passa em algum momento pré-apocalíptico futuro, tem como ponto chave a viagem interestelar como forma de salvar a humanidade de um fim prematuro.

Conduzido de maneira incrível, Interstellar com certeza é um dos marcos no cenário de filmes de ficção científica. Pena pecar de forma tão amadora em alguns aspectos.

A minha experiência com o filme não foi muito o que eu esperava: foi um filme, um bom filme, pura e simplesmente -- mas apenas um filme. Não foi aquela experiência memorável e impactante (como para mim foi The Signal). Não houve imersão nem empatia com os personagens, talvez pelo fato de terem sido tão pobremente apresentados. Em cerca de 2 minutos, você simplesmente tem de aceitar uma miríade de informações pouco claras a respeito de tudo e de todos.

Confesso que me peguei em vários momentos de devaneio sobre o Smoothie de açaí que tomei antes do filme e outros assuntos, sentindo por vezes até sono. Apesar de terem muitas cenas de tirar o fôlego, ao menos pessoalmente não rolou aquela catarse, empatia, agonia compartilhada com o personagem. Não pela atuação, que é maravilhosa -- e sim pela pouca intimidade criada pela introdução superficial ao background, ao universo do filme.

Certo, há plantações, poeira e um projeto de mudar de planeta (e isso não é spoiler, tá tudo no trailer!) e no mais, é tudo meio que jogado. As informações são atiradas ao público, com pouco contexto, chegando a incomodar um pouco não saber de onde os conflitos do filme vieram. Mas até aqui tudo bem, isso ainda não foi o que mais me decepcionou.

O que realmente me deixou frustrado é a premissa essencial do filme, que ao meu ver é muito pouco consistente. A revelação final é sim interessante, mas pouco acrescenta à aparente falta de nexo do núcleo narrativo. Se há alguma lógica, ela não fica tão clara. O conflito é mal apresentado e o próprio cerne da questão é confuso.

Adentrando uma parte com um pouco mais de mimimi, muitas cenas foram escrachadamente Kubrickianas, copy-paste de 2001: tem até um protótipo de HAL9000, closes de capacete e viagens surreais. Sei que pode parecer injusto comparar, mas imagino que depois de quase meio século, Christopher Nolan podia tentar mostrar algumas coisas de um modo um pouco diferente. Frustrante também foi o áudio, que em nada utilizou o Dolby Atmos existente na sala.

Mimimis à parte, é um excelente filme, que com certeza deve ser visto no cinema. A fotografia é sóbria, as cenas são bem ambientadas e a atuação é convincente.

Vale a pena, com toda a certeza.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

MAIS FILMES NO BRASIL POST:

Galeria de Fotos Filmes essenciais da DreamWorks Veja Fotos