OPINIÃO
29/01/2018 10:34 -02 | Atualizado 29/01/2018 10:41 -02

Dicas para uma alimentação consciente

A alimentação consciente é uma prática antiga na qual devemos prestar atenção em como e onde comemos.

Reconheça as diferenças entre fome emocional e física.
courtneyk via Getty Images
Reconheça as diferenças entre fome emocional e física.

A antiga prática da alimentação consciente pode permitir desfrutar do que comemos, manter um peso saudável e evitar uma série de doenças.

Com a vida ocupada que levamos, as refeições, muitas vezes, são feitas com pressa. Comemos rapidamente, entre uma atividade e outra, no carro, trabalhando em nossas mesas e assistindo à TV. Por causa disso, muitos de nós temos problemas de peso ou digestivos e mal sabemos o que estamos comendo.

O que é a 'alimentação consciente'?

Comer deve ser uma maneira natural e prazerosa de nutrir nossos corpos e satisfazer nossa fome e, ainda assim, em nossa cultura de abundância de alimentos e obcecada por dietas, a alimentação se tornou um campo de batalha que induz à culpa.

A alimentação consciente é uma prática antiga na qual devemos prestar atenção em como e onde comemos.

Significa aprender a ouvir nosso corpo e reconhecer sinais, entendendo as diferenças entre a fome emocional e física, escolhendo alimentos que irão nutri-lo e satisfazer sua fome, e aprendendo a reconhecer impulsos de comer não relacionados à fome.

Esteja sempre sentado — de preferência em uma mesa

Preste atenção na comida e desfrute da experiência.

Evite distrações enquanto você come

Não assista à TV, não use o laptop ou o telefone. Elimine os eletrônicos do jantar de família para simplesmente desfrutar dos alimentos e das companhias.

Coma devagar

Mastigue e saboreie sua comida sem pressa. Essa técnica ajuda a perder peso, já que dará tempo para seu cérebro reconhecer os sinais de que está cheio e evitar que coma demais.

Isso também vai melhorar a digestão, já que o processo digestivo começa na boca e, se o alimento for bem mastigado, haverá menos trabalho para o resto do sistema digestivo.

Pratique deixar o garfo no prato entre as garfadas

Espere até ter engolido uma garfada antes de iniciar a outra.

Às vezes, coma em silêncio

Embora as refeições familiares barulhentas possam ser divertidas e uma maneira de se atualizar sobre o que aconteceu no dia, tente aproveitar o silêncio, mesmo que por alguns momentos, assim todos poderão apreciar a refeição e agradecer à pessoa que se dedicou a fazê-la.

Reconheça as diferenças entre fome emocional e física

A fome emocional precisa ser satisfeita imediatamente, enquanto a fome física pode esperar. A fome emocional não é satisfeita com o estômago cheio, enquanto a fome física desaparece quando você está satisfeito.

Pense sobre seus impulsos alimentares — as razões pelas quais escolhe comer em um determinado momento

Você está realmente com fome? Ou se sente entediado, sozinho, estressado, triste ou com raiva? Se seus impulsos não estão relacionados à fome, encontre alternativas à comida que possam ajudá-lo a satisfazer suas necessidades emocionais naquele momento.

Se estiver entediado, faça algo que goste, como ler um livro ou fazer uma cruzadinha. Caso sinta-se sozinho, ligue para um amigo. Caso esteja estressado, triste ou com raiva, faça um exercício de respiração ou relaxamento ou uma caminhada ao ar livre.

Avalie os alimentos que escolhe para comer

Estão repletos de nutrientes que irão alimentá-lo? São alimentos que o deixarão satisfeito por várias horas e não apenas por alguns minutos?

Pense sobre a história por trás do alimento antes de colocá-lo no prato

Comer desta forma não só nos ajuda a criar uma relação positiva com a comida, mas também a escolher melhor os alimentos, fortalecendo nossa saúde e bem-estar geral.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.