OPINIÃO
24/11/2015 13:27 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:31 -02

Movimento 'Fica Samarco': Justiça pra quem?

2015-11-23-1448317223-490765-sddefault.jpg

Ao saber da organização de um evento a favor da permanência da Samarco em Mariana (MG), promovido por moradores da cidade, senti-me consternado e resolvi assim, deixar aqui meu desabafo:

Gente, Qual é o problema de vocês?

Vocês querem manifestar a favor da Samarco, pedindo que ela fique na cidade, mesmo depois de ter causado o maior desastre ambiental da história do Brasil - segundo classificação do Ibama, façam isso apenas por vocês. Apesar de discordar totalmente, não posso impedir que vocês se manifestem a favor da mineradora, mesmo sabendo tamanha atrocidade que isso representa, pois o protesto é um direito que todos temos previsto em lei.

Mas PelamordeOdin! Não entreguem camisas de apoio à Samarco para os moradores de Bento Rodrigues. Segundo uma reportagem do Estado de Minas, mais de 200 camisas com a frase #SomosTodosSamarco estampada já foram vendidas e parte delas será distribuída a moradores do distrito.

Vocês estão vendo o quão umbiguista tem sido essa manifestação de vocês, sendo coniventes com isso? A Samarco, a Vale e a BHP tiraram tudo dessas pessoas, destruíram suas casas, suas vidas, sonhos, histórias. E vocês esperam mesmo que elas vistam uma camisa com os dizeres "Fica Samarco"? Porque claro tudo que essas pessoas mais precisam é apoiar quem lhes tirou tudo... só que não!

Mesmo que a Samarco saia, não será o fim do mundo. A crise é inevitável, ainda mais em todo esse quadro de negligência por parte da mineradora. Porém, mesmo que ela vá embora, o minério permanecerá em Mariana, o que, consequentemente, abrirá espaço para que outras mineradoras, com uma melhor política de sustentabilidade se instalem na cidade e realmente tragam maiores benefícios para toda a região.

Entendo que muitos ali dependam de seus empregos, mas com todo potencial que tem, a cidade não pode se permitir viver apenas de mineração. Mariana é a primeira capital de Minas Gerais, tem a maior mina de ouro aberta a visitação pública no mundo, dentre diversos outros atrativos turísticos. Seria um grande pecado ignorar tudo isso e investir apenas em mineração, sabendo que o minério um dia acaba. E quando acabar, o que fazer se preferiram dar prioridade à extração e deixaram de investir naquilo que pode trazer muitos outros benefícios à cidade?

Sobre o sentimento de solidariedade seletiva

Sim, ainda bato nesta tecla. Por um simples motivo:

Ao presenciar o ato a favor da permanência da Samarco, vi muitos entoarem gritos de: "Justiça sim! Desemprego não!", e ficou uma pergunta: Se o que vocês todos, presentes nessa manifestação querem, é justiça de fato, onde é que vocês estavam no dia de apoiar a manifestação em prol dos moradores dos distritos atingidos? Se querem mesmo justiça, onde estão vocês para protestar para que as vítimas do rompimento da barragem do Fundão tenham um atendimento mais digno? Não vejo vocês nos debates promovidos com os moradores de Bento Rodrigues, tampouco os vejo se mobilizando no fim de semana em prol das crianças.

Tivemos no dia 15 de novembro um Domingo Recreativo com crianças dos distritos de Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo, organizado por alunos do ICSA, e eu não me lembro de ter visto nenhum de vocês por lá, se importando de fato com as pessoas que foram atingidas, mas os vi manifestando seu apoio a quem menos precisa agora: Samarco e Vale.

Então, sim, enquanto eu vir pessoas que se postam de um lado e fecham os olhos pro outro, eu continuarei falando em solidariedade seletiva. E ao contrário do que pude acompanhar acerca de alguns comentários, vi quem dissesse: "mas isso já deu o que tinha que dar".

É aí que está o maior engano! O rompimento da barragem do Fundão já tem quase três semanas, e até agora o que se tem notícia é que a Samarco propôs o pagamento mensal de um salário mínimo para cada núcleo familiar e um adicional de 20% do salário mínimo para cada um dos dependentes, além de uma cesta básica, e que a Samarco está trabalhando para que até o início de dezembro, os desalojados e desabrigados comecem a receber os cartões com o valor do auxílio.

E aí, verei muitos dizerem "Parabéns, Samarco!", "Isso é se importar com as pessoas.", "Grande empresa! Tá de parabéns!"... Só que não, gente! Ela não merece os parabéns, isso não demonstra que ela se importa. Isso mostra apenas que ela está fazendo o mínimo do que deveria ser feito a fim de minimizar as consequências de um ato de negligência para com as pessoas. Pois eu gostaria muito de saber como ficará a situação, por exemplo, das pessoas que mantinham seu comércio. A Samarco irá fornecer-lhes novos estabelecimentos? A empresa irá ressarcir aos fabricantes da geleia Bikinho as perdas e danos provenientes do rompimento da barragem? Pois estas pessoas já tinham em mãos, um certificado da Anvisa e se preparavam para a exportação. Vai ser-lhes fornecido um novo estabelecimento e novos equipamentos para a produção? E quanto à moradia? Todos ali tinham suas casas, devemos acreditar/esperar que todos recebam novas casas próprias, totalmente mobiliadas? O que vemos é que a empresa está pagando aluguel para essas pessoas, mas até quando será assim? Até onde sei, ninguém ali pagava aluguel nos lugares em que moravam. Além do mais, a lama já alcançou o litoral do Espírito Santo, mas isso não está tendo a devida cobertura, não estão dando a devida dimensão a esse problema. Muito pelo contrário. Essa tragédia está sendo, aos poucos, "apagada", mas "e se a lama da Vale/BHP tivesse chegado em Copacabana ou Ipanema?".

Então, por favor, não venham dizer que "isso já deu o que tinha que dar" só porque a sua paciência com o fato de isso ainda estar em evidência se esgotou. Isso está longe do fim, e muito longe, diga-se de passagem.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:



A coragem dos bombeiros em Mariana