OPINIÃO
26/05/2014 16:46 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:36 -02

Putin não gosta de heavy metal. Nem de Madonna e Julio Iglesias

Fã de hóquei no gelo e das esferas do poder, o presidente russo Vladimir Putin nunca se mostrou muito "fanático" por artistas ocidentais. É curioso como a "ignorância cultural" do atual governo russo consegue ser extrema até contra os extremos.

Russian President's press office

Fã de hóquei no gelo e das esferas do poder, o presidente russo Vladimir Putin nunca se mostrou muito "fanático" por artistas ocidentais. Quem não se lembra do apoio dado por estrelas do calibre de Madonna e Lady Gaga aos homossexuais da Rússia no ano passado, quando leis anti-gays passaram no Parlamento local? Isso desagradou Putin, profundamente. É curioso como a "ignorância cultural" do atual governo russo consegue ser extrema até contra os extremos.

Na semana passada, a banda polonesa Behemoth foi "convidada a se retirar" do país pelo o que as autoridades russas chamaram de "falta dos vistos necessários" para realizar uma turnê de 13 shows. Os músicos do grupo - conhecido pela sua controvérsia e ícone do black metal (vertente mais extrema do heavy metal) atual - acabaram presos e sofreram ameaças, segundo disse o líder da banda, Adam "Nergal" Darski.

Extra-oficialmente, porém, o argumento contra a banda polonesa repousa nos protestos de ativistas ortodoxos contra o Behemoth. Segundo a Agência Russa de Informação (Rapsi), as queixas chegaram até mesmo ao prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin. As autoridades russas, entretanto, negam que tenha existido algum tipo de censura. Levando em conta o histórico recente de "má vontade" do governo russo com artistas ocidentais que tenham bandeiras consideradas polêmicas - e, eventualmente, críticas ao país -, é algo difícil de acreditar. E isso que nem abordei aqui a perseguição às meninas do grupo Pussy Riot.

A prisão de uma banda de metal extremo, da Polônia, e que talvez você, nobre leitor, nunca tenha ouvido falar pode parecer até desinteressante. Mas eis aqui algo que você talvez não saiba: até mesmo rádios russas segue a "cartilha" do governo local, evitando tocar músicas de artistas que possam ser considerados controversos. Uma imagem que circula no Facebook mostra alguns adjetivos curiosos para astros da música mundial.

Essa lista, pelo que consta, é uma atualização dos tempos de Mikhail Gorbachev - não fique chateado se não entender nada!

Pensem vocês que Julio Iglesias, ícone das canções românticas, é considerado "neofascista". O quanta violência pode se encontrar nas músicas do grupo americano Village People? Pois é, na Rússia é assim, ao que parece. E, assim sendo, impossível não rir.

Putin não gosta de heavy metal. Mas os russos gostam, e muito. Não por acaso, algumas bandas ocidentais do gênero se espantaram - e gravaram - shows memoráveis em solo russo no fim dos anos 80 e no começo dos 90, quando a União Soviética se despedaçou, abrindo espaço para a entrada de artistas inacessíveis em tempos de Guerra Fria.

Se atualiza, presidente.