OPINIÃO
15/10/2015 12:36 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02

Oportunismo, o único vencedor no ano perdido de 2015

Estadão Conteúdo

Quem dá mais por Eduardo Cunha?

Está aberto o 'leilão' pelo presidente da Câmara, aquele que já foi amigo de PC Farias, que é investigado pela Receita Federal, pela Procuradoria-Geral da União, e cujas contas na Suíça pagaram até aulas de tênis para a esposa.

No Planalto, governo e oposição se engalfinham para ver quem ficará com o seu apoio.

A situação é uma síntese de como 2015 já pode ser dado como o ano perdido. Refém de um governo federal desarticulado, de uma oposição com um telhado de vidro tão grande quanto o de Dilma Rousseff, a crise política não tem fim, contamina a economia e arrocha a vida da população.

Lançar mão do óleo de peroba nunca foi problema, ainda mais em 2015. Em tempos em que até CPI foi montada para abrir a 'caixa-preta' do BNDES, principal banco de fomento de obras do governo, há governador como o de São Paulo que impõe sigilos diversos, da Polícia Militar ao Metrô, passando pela Sabesp.

O único vencedor só foi ele, o oportunismo. Aquele que sempre dá as caras quando se há o envolvimento de interesses, dinheiro, amigos, financiadores de campanha, pedidos de impeachment, sonhos eleitorais, ou simplesmente aquele ego de quem tem foro privilegiado e muitas benesses.

As crises política e econômica não acabarão em 2015. Seja a discussão das liminares contra o rito do impeachment que determinara Cunha na Câmara, seja a análise por quebra de decoro do presidente da Câmara, sejam votações de termas como ajuste fiscal e CPMF, nada disso deverá estar 100% concluído ao final de novembro. E vamos combinar que dezembro e janeiro é tempo de voltar ao seu distrito eleitoral e curtir as festas, certo?

Só você, cidadão sem envolvimento com a máquina política, que não ganha com tudo isso. E atenção: do jeito que a coisa vai, ele pode ser o vencedor também em 2016. Tempos de Olimpíadas no Rio de Janeiro, capaz de ganhar até uma medalha de ouro no Congresso.

Oportunismo e Progresso. Assim maculam a bandeira nacional os eleitos pelo povo.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


O PT 'nas mãos' do PMDB em 2015