OPINIÃO
17/03/2015 10:52 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Mais amor, por favor!

Muitos falam que a manifestação foi pacifica e pode até ter sido nas ruas, mas não é o que estou vendo entre amigos, familiares e colegas. A divisão está acentuada e não digo nem entre ricos e pobres mas entre nós e eles seja em qual lado você se enquadre.

Shutterstock / vvvita

Muitos falam que a manifestação foi pacifica e pode até ter sido nas ruas, mas não é o que estou vendo entre amigos, familiares e colegas. A divisão está acentuada e não digo nem entre ricos e pobres mas entre nós e eles seja em qual lado você se enquadre.

Não vou ficar repisando o que já está altamente "memeficado" nas redes como, a título de exemplo, um boneco da Dilma pendurado como se estivéssemos no Iraque ou no ISIS, placas de "Fora STF queremos apenas a PF e o MP" (Oi??) e pedidos de volta da ditadura. Certamente não foram a maioria... mas ainda assim, o que tenho visto de ambos os lados é uma sucessão de ataques diretos e velados. Um orgulho crescente dos "coxinhas" de serem taxados como tal e dos petistas atacando qualquer um que tenha votado no PSDB como de "caráter duvidoso".

Interessante como ao defender um olhar para si e para as próprias incoerências e hipocrisias fui "acusada" de ser PTista e, automaticamente, ladra, corrupta, beneficiária de programas do governo dentre outras coisas impublicáveis neste espaço.

Votei no Eduardo Jorge no primeiro turno e não votei em nenhum candidato do PT para o executivo ou legislativo. No segundo turno fui de Aécio embora tenha flertado com o nulo. Fui de nulo para o governo do Paraná e fico muito aliviada hoje quanto a isso. Não acho o PT mais corrupto que o PSDB, o acho apenas mais incompetente em muitas esferas (comunicação e articulação política, por exemplo) e sou, antes de mais nada, pró alternância no poder, embora compreenda que isso seja uma utopia em um país onde quem manda mesmo é o PMDB e o resto da base. Fiquei estarrecida com o Legislativo que se compôs após as eleições e estou com o coração na mão desde a eleição de Eduardo Cunha a presidente da Câmara.

Isso tudo é meu e obviamente não precisaria compartilhar assim como sei que ao compartilhar estou sujeita a críticas e comentários, mas o que mais me chamou a atenção é que a resposta que veio de pessoas que não me conhecem demonstrou de forma mais clara impossível como a intolerância e o ódio estão espalhados. E não, não é apenas contra o governo! É contra as pessoas! Há sim uma guerra ideológica e isso ficou muito claro pelas respostas que recebi. Pode não ser contra os "pobres" latu sensu mas é, no mínimo, contra quem votou no PT ou o defende de alguma forma. Veja, eu sequer votei no PT, mas pelo fato de defender que eles não inventaram a corrupção e que não deveríamos desconsiderar os avanços sociais que de fato ocorreram só não fui chamada de arroz doce!

Qualquer pessoa que me conheça um pouco jamais diria que sou corrupta ou ladra. Muito menos que nasci em berço de ouro e nunca tive dificuldades na vida como li em alguns comentários. E isso porquê? Porque quem conhece o ser humano Tayná provavelmente se dê ao trabalho de ouvir (no caso ler) com um pouco mais de atenção e livre de ódios pré-concebidos. Mas quem não me conhece só vê na sua frente o ódio... o ódio contra o PT e contra qualquer pessoa que pareça estar defendendo o partido (interessante que muitas pessoas comentaram que não leram nem o primeiro parágrafo "ao constatarem ser mais um post pago pelo governo").

Não estou dizendo que não é normal perder a paciência quando nos confrontamos constantemente com coisas que nos irritam, que mexem com as nossas crenças! Eu também tenho meus momentos (vários!) de preguiça e de falta de paciência, claro! De intolerância também... por natureza não sou das pessoas mais tolerantes... e controlar e domar esse meu lado tem sido a minha grande jornada nessa encarnação!

Quando leio por exemplo pessoas que eu SEI que praticam atos de corrupção clamando por um país limpo, ou quando vejo milhares de pessoas se incomodando profundamente com a corrupção do PT fechando completamente os olhos ao que acontece no Paraná onde os três poderes misturados com o Tribunal de Contas literalmente deitam e rolam na mesma cama em um exemplo épico de nepotismo, tráfico de influência e proteção mútua para escândalo após escândalo fico profundamente incomodada. Assim como fico puta da cara com filhinho de papai metido a marxista que não arruma nem a própria cama xingando sem conhecimento algum de causa alguém que deu muito duro na vida.

Não vou cansar de repetir: as coisas são muito mais complexas! O ser humano não é binário! Os sentimentos não são pretos ou brancos! Existe toda uma camada de cores e o primeiro passo para trabalharmos essa palheta toda é o respeito e a empatia pelo outro. O segundo passo é mudarmos nós mesmos e as futuras gerações no dia-a-dia. Nas pequenas ações, nas mentiras cotidianas e no sistema de recompensas com o qual criamos nossos filhos ensinando que para tudo de bom que eles fizerem eles ganharão algo em troca.

Sinceramente, olhe para o seu amigo petista e pense: você acha mesmo que ele é um corrupto? Porra eu tenho amigos lindos, padrinhos de casamento, pessoas que amo demais e, para falar bem a verdade uma das pessoas mais integras que conheço é petista. Como vou pensar uma coisa dessas dele? E o seu amigo que votou no Aécio? Você acha mesmo que ele é um coxinha retardado que só quer que pobre não viaje de avião? Quantas pessoas de direita eu conheço que tem valores incríveis familiares e um exemplo de vida exemplar em muitos aspectos? INÚMERAS!

O que o levou a ser amigo dessas pessoas? O que faz com que você as ame? Não é possível que não sobre nada quando se tira a ideologia partidária... Será que gostaríamos que as pessoas nos olhassem com as mesmas lentes com as quais estamos olhando para elas?

Hannah Arendt fala da Banalidade do Mal e, embora essencialmente eu concorde com os princípios e pontos de alerta sugeridos e que inclusive possivelmente se apliquem também ao mesmo discurso aqui debatido, me vêm à mente como com a mesma facilidade com que banalizamos o mal, esquecemos tão facilmente do bem que está nessas pessoas que estamos pintando de monstros. E antes que os sociólogos me ataquem, não é a minha intenção aqui fazer uma análise profunda de sua extensa e profunda obra, mas apenas uma reflexão sobre como colocamos as pessoas em caixinhas (boas e ruins) com uma facilidade não condizente com a complexidade humana!

Qual a sua sugestão então? Você pode estar se perguntando.

Minha sugestão vem em seis etapas:

1. Ouvirmos o amigo/colega e suas razões para esta ou aquela bandeira sem julgamentos pré-concebidos. Ainda assim não dá liga? Então, como diria o meu amigo supra citado: "vamos olhar para o que nos une e não para o que nos separa"

2. Olharmos com sinceridade cruel para o que nós mesmos podemos melhorar em nossas pequenas práticas corruptas e hipocrisias. Faça uma lista de tudo que você fez no último ano e que não foi exatamente correto. Comece por aí!

3. Escolher uma bandeira, uma luta, uma causa e advogar em seu favor com os meios que temos a nossa disposição. Existem inúmeras formas de fazer isso: você pode participar de Conselhos Municipais em várias áreas da política que permitem agir efetivamente na construção das políticas públicas da sua comunidade. Para quem não quer se comprometer a tanto, que tal acompanhar os Projetos de Lei que estão para ser votados e verificar qual foi a participação dos representantes na votação dos mesmos?

4. Olharmos para o próximo com atenção e carinho! Olhar para o morador de rua como uma pessoa e não apenas como "parte da paisagem". Refletir sobre as dores das pessoas que encontramos e suas dificuldades e não apenas pensar nas nossas próprias dificuldades!

5. Tirar uns dias ou horas para fazer o bem com nossas próprias mãos! Compartilhar o que temos de bom com o próximo. Aqui o céu e a criatividade são os limites...

6. Agradecer! Sim, agradecer por tudo de bom que você tem! Todos os privilégios que a vida te deu e que por alguma razão tantas outras pessoas não tem! Agradeça aos deuses, aos anjos, à natureza, ao Universo, aos seus pais ou até a você mesmo, mas agradeça!

E que tal, para começar de forma bem simples, assinar o formulário que pede a Reforma Política e que precisa de 1,5 milhão de assinaturas para ser levado ao Congresso como Projeto de Iniciativa Popular (como foi o da Ficha Limpa)!

Pode não ser muito mas é algo concreto e mantém intactas as suas panelas!

Post originalmente Publicado em: http://www.selfdh.com.

VEJA TAMBÉM:

Galeria de Fotos 15 de Março: Protestos pelo Brasil Veja Fotos