OPINIÃO
18/04/2015 12:06 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

A desvantagem dos extrovertidos

Shutterstock / BUCHAKA ALEXANDER

Qualquer pessoa que me conheça por poucos minutos, rapidamente que seja, concluiria que sou extrovertida. Sou falante e barulhenta (sim porque além de muito eu falo alto!). Já pensei até em fazer fono para engrossar a voz pois sei o quanto posso ser irritante e estridente... sou capaz de falar por horas e horas a fio e isso desde muito nova. Uma daquelas histórias familiares que rendem risadas (mais dos outros do que minhas) é de quando eu e meu avô viajamos para visitar o irmão dele em Anápolis. Eu devia ter uns 3 ou 4 anos e a viagem de São Paulo a Anápolis de ônibus era de 14 horas. Meu avô é surdo dos dois ouvidos e usa aparelho. Segundo a lenda urbana eu fui falando de São Paulo até lá sem perceber que ele estava com ambos os aparelhos desligados e sequer estava prestando atenção ao que tinha a dizer!

Ser extrovertida tem sim algumas vantagens. Falo para uma plateia de 200 pessoas com a mesma facilidade com que converso com uma amiga de anos. Também me viro fácil em qualquer ambiente em que eu não conheça absolutamente ninguém. Sou uma ótima companhia para levar a happy hour do escritório ou como acompanhante em casamentos pois jamais vou ficar deslocada e provavelmente sairei de lá com mais amigos do que a pessoa que me levou. É claro que ser introvertido também tem muitas vantagens e hoje aliás se fala cada vez mais sobre isso e sobre como a introversão pode ser um diferencial competitivo no mercado de trabalho e até no relacionamento.

Dei um Google com o seguinte termo: "desvantagens de ser extrovertido" e por alguma razão só aparecem desvantagens de ser tímido e comparações sobre os pros e contras de uma coisa e da outra. Existe porém uma desvantagem essencial na extroversão da qual pouco se fala e que, pelo menos para mim, é bastante incomoda que é o fato de não nos ser permitido silenciar.

Sim, ninguém se incomoda ou se choca com a extroversão ocasional do tímido. Mas tente você, ser falante, querer ficar quieto no seu canto por um dia... Sério! É um tormento! "O que você tem?", "Você tá bem?", "O que aconteceu?", "Que cara é essa?". "Nada, só quero ficar um pouco quieta na minha". "Mas por que? Aconteceu alguma coisa né?", e assim por diante... Toda vez é a mesma coisa!

Sim, às vezes estamos quietos porque realmente aconteceu alguma coisa, às vezes não. Mas eu fico me perguntando: o fato de eu ser falante me obriga a falar sempre? Não me lembro de ter feito nenhum tipo de promessa de compartilhar tudo e absolutamente tudo que acontece dentro dessa cabecinha fervilhante.

O mais intrigante é que às vezes você está mais quieta justamente porque dias antes recebeu um feedback de que precisa falar menos em determinadas situações e, sendo um ser com semancol mínimo, resolveu aplicar-se nesta tarefa (já falei aqui sobre como me esforcei muito para ser uma pessoa mais silenciosa em todos os sentidos) e, com muita força de vontade, engolir o máximo de pensamentos que lhe vêm à cabeça nesse esforço hercúleo de reduzir a quantidade de palavras por dia. Aí justamente a mesma pessoa que te deu o dito feedback vem te perguntar "o que aconteceu que você tá quieta?" PQP sério mesmo??? Bora se decidir se querem que eu fale ou não! Afe!

Momentos de introversão são essenciais a todos nós e são neles que normalmente tenho importantes insights. Não me vejo jamais sendo uma pessoa tímida e hoje após bastante terapia e algumas várias porradas sou feliz e grata por ser do jeito que sou mas o desabafo vai para que introvertidos saibam que extrovertidos também sofrem e algumas vezes sofrem em silêncio...

Post originalmente publicado em: http://www.selfdh.com