OPINIÃO
31/08/2014 10:23 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Copo do dia: meio <em>bordeaux</em> meio <em>roussillon</em>

Baby Bad Boy é um vinho fácil de beber, cheio de fruta madura, como boa parte dos vinhos populares hoje na França, mas tem mais estrutura e complexidade que a grande maioria dos vin de France.

Reprodução/Tânia Nogueira

Na maior parte das vezes, os posts deste blog são grandes matérias que, como tal, demoram muito para serem feitas. Com isso, acabo levando muito tempo entre uma publicação e outra. Vamos corrigir isso já.

Este post inaugura a categoria "Copo do Dia". Uma dica rápida de um único vinho bacana. Neste boteco aqui, o copo do dia hoje é o "Baby Bad Boy". Alguém aí lembra do post O homem que desafiou os grandes châteaux, da entrevista com Jean Luc Thunevin? Pois, Thunevin volta a mostrar seu lado rebelde com este vinho de R$ 125 - caro para ser simplesmente vin de France. No novo sistema de classificação dos vinhos franceses, vin de France é na maioria das vezes uma categoria destinada a rótulos mais simples, menos nobres que os IGP (Indication Geographique Protégée) e os AOP (Appellation d'Origine Protegée). Thunevin está pouco se lixando para que categoria seus vinhos recebem. Sua assinatura é que vai determinar o valor de mercado.

Baby Bad Boy é um vinho fácil de beber, cheio de fruta madura, como boa parte dos vinhos populares hoje na França. Mas tem mais estrutura e complexidade que a grande maioria dos vin de France. Só não pode ter o nome de nenhuma apelação controlada porque é uma mistura dos vinhedos de Thunevin em Bordeaux e no Sul da França. São 70% de merlot, vindos de Bordeau, e 30% de grenache, vindos do Roussillon. Duas uvas conhecidas por produzir vinhos redondos. Ou seja, este Bad Boy é mais que amigável. Um ótimo vinho para abrir o fim de semana. Importado pela Casa do Porto.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

MAIS SABOR NO BRASIL POST: