OPINIÃO
07/07/2015 14:47 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:34 -02

10 conselhos musicais para a minha pessoa de 10 anos atrás

Tal qual uma mãe zelosa tenta colocar seus filhos no bom caminho, eu poderia dar umas dicas musicais para a menina de 16 anos que se aventurava na compra de seus primeiros CDs há 10 anos. Então, eis os 10 conselhos que, hoje, eu daria pra essa garota.

Getty
This is a silhouette of a Beatles cover band playing on Pensacola Beach for 'Bands on the Beach'. Of course this was 'Ringo' on the drums.

Amigos, as crises a respeito da idade existem. Eu sei, os 30 são os novos 20 e a gente não deveria se preocupar se vai ter um filho, comprar uma casa e escrever um livro antes dos 35.

Mas a gente tem a tendência de implicar e não aceitar aquilo que não entendemos por completo. E o tempo, meus caros, é essa coisa imperdoável, traiçoeira, passageira e, ok, sábia de vez em quando. Mas que a gente simplesmente não consegue entender.

Se algumas vezes nos pegamos com os mesmos pensamentos de anos atrás, a playlist mudou consideravelmente. Por isso, tal qual uma mãe zelosa tenta colocar seus filhos no bom caminho, eu poderia dar umas dicas musicais para a menina de 16 anos que se aventurava na compra de seus primeiros CDs há 10 anos. Então, eis os 10 conselhos que, hoje, eu daria pra essa garota.

1. Dê ouvidos ao seu pai!

Vocês vivem em pé de guerra, mas admita, guria: seu pai é uma boa influência musical na sua vida. Quando ele lhe mostrar aquele vinil doTTim Maia, coloque pra tocar. Não faça cara de nojo quando ele disser que você não ouve música de verdade, mas peça para ele apresentar o que ele considera boa música. Acredite, você vai valorizar o Johnny Cash até mais do que o seu pai valoriza.

2. Não pratique bullying musical

Você adora tirar uma com a cara dos amigos que ouvem pagode, não é?! Não entende o porquê de suas amigas gostarem tanto de sertanejo, e isso é motivo para você atacar de xiita musical e, com toda arrogância, considerar tudo o que você não ouve um lixo. Cuidado, garota. Aqui se faz, aqui se paga! Você está prestes a gostar de Good Charlotte, em The Chronicles of Life and Death e de Simple Plan, com Still Not Getting Any... Isso fará alguns amigos te chamarem de Emo. Você vai bater o pé contrariada, mas agora aguenta!

3. Admita os erros o quanto antes

Não ouça tanto CPM22. Hoje você encara a banda como "opa, Rock nacional!", e até parece legal, mas não, não é legal! O mesmo vale para o Capital Inicial. E, acredite, um dia Badauí e Dinho Ouro Preto vão se juntar para cantar Um Minuto Para o Fim do Mundo, e você vai desejar que o nome da música se transforme em realidade.

4. Aposte nos clássicos

Eu sei que hoje você considera Bon Jovi e Aerosmith como super clássicos do rock internacional, bobinha. Ma, a coisa não é bem assim. Aposte nos clássicos de verdade, mesmo que eles não façam tanto sentido para você neste momento (com certeza, Pink Floyd lhe fará mais sentido daqui alguns anos e algumas experiências). Ouça mais Rolling Stones, Led Zepellin, Deep Purple, Elvis Presley, The Who, Bruce Springsteen, Beach Boys... Vá fundo mesmo, eles se manterão sempre por perto em sua vida.

5. Valorize o amor verdadeiro

Você ama Beatles, e isso não vai mudar ao longo dos anos. Apenas valorize este amor raro e tão especial. A banda, ao contrário da maioria dos seus outros amores, nunca vai te decepcionar!

6. Conheça bem mais da música brasileira

Você não é muito uma pessoa da música nacional. Eu sei. Com 15, 16 anos, então... Mas não admita isso como uma condição imutável da sua personalidade. Todos nós podemos mudar quando estamos realmente dispostos. Então, mergulhe na música brasileira como você ainda não fez. Vá muito além de Legião Urbana e Cazuza. Aliás, vá de cara para Novos Baianos, cujo amor em você será gradual. Ouça Roberto Carlos com a sua avó, e pesquise sobre a Jovem Guarda, a Tropicália... Ah, tem um negócio que você nem conhece muito hoje, chama Manguebeat. Só procure ouvir!

7. Tudo tem o seu tempo certo

Sabe quando você está no churrasco da sala e quer que todo mundo ouça Foo Fighters? Então, nem sempre vai funcionar. Por isso, compreenda que, para o bem geral da galera, algumas vezes simplesmente deixar que outras pessoas cuidem da música a ser tocada pode ser bom. Daqui a 10 anos, numa dessas ocasiões, você conhecerá Cintura de Mola e sua canção Samara, e por mais estranho que isso pareça agora, você vai amar curtir essa música, arriscando passos de forró, na casa de alguns amigos, simplesmente porque é engraçado. Se joga!

8. Prazer, folk music

Hoje, você aprecia músicas que tenham uma guitarra em destaque, mas chegará o dia em que o banjo será o seu instrumento favorito. Então, não perca tempo, vá ouvir a boa e velha folk music. Você nem sabe direito o que significa esse termo e só pensa que "é a música do Bob Dylan, né?!". Pobre, criança... Comece a ouvir e a pesquisar sobre folk o quanto antes, tipo já!

9. Economize

Chegará uma época árdua, anos difíceis, nos quais o ingresso para um show poderá chegar a preços incalculáveis. Você pode até rir da minha cara, mas haverá festival de dois dias sendo vendido por mais de R$ 700. Eu sei, é inacreditável de tão absurdo, né? Mas vai acontecer. Por isso, se você quiser ir a um mínimo de shows por ano, sem contar com credenciais e ingressos cortesia, economize desde já. E muito! Afinal, eu nem falei do preço da cerveja lá dentro...

10. Por favor, vá ao show do Oasis em 2009

Minha querida, eu sei que você estará decepcionada por ter abandonado uma faculdade e por estar frequentando aulas tediosas de física em um cursinho. Eu sei que você estará focada nos estudos e determinada a passar em todos os vestibulares que prestar. Mas, por favor, por todos os deuses da música, vá ao show do Oasis, em São Paulo. Vai ser em maio de 2009. Aproveite e peça como presente de aniversário. Guarde dinheiro desde já, dê seus pulos, mas vá! Você não terá outra oportunidade. A banda vai acabar meses depois (não chore!). Os irmãos Gallagher continuarão se provocando à distância, e suas oportunidades de vê-los ao vivo serão só em shows separados. Além do mais, você nem vai passar na Fuvest mesmo! E ainda vai fazer jornalismo. Por favor, né!

[Texto modificado. Originalmente postado no site BACKBEAT]