OPINIÃO
05/08/2014 13:23 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:44 -02

Os insidiosos termos de uso do app Facebook Messenger

Quanto acesso aos seus dados (e dos seus amigos) você está dispostos a entregar em troca do acesso a aplicativos móveis gratuitos? Acho que seja bem menos do que você já tenha sequer aceitado compartilhar quando aceitou cegamente os termos de uso de um deles.

Quanto acesso aos seus dados (e dos seus amigos) você está dispostos a entregar em troca do acesso a aplicativos móveis gratuitos? Acho que seja bem menos do que você já tenha sequer aceitado compartilhar quando aceitou cegamente os termos de uso de um deles.

Destaque de hoje: o aplicativo Messenger, do Facebook, que se orgulha de ter mais de 1 bihão downloads, exige a aceitação de uma quantidade enorme de dados pessoais e, ainda mais chocante, controle direto do seu aparelho móvel. Aposto que poucos que baixaram o aplicativo leram os termos de uso até o final antes de aceitá-los e instalar o app.

O Facebook Messenger é um aplicativo dedicado exclusivamente para a troca de mensagens dentro da rede social. Você pode acessar por enquanto esta função dentro do aplicativo do Facebook, mas ao abrir o aplicativo completo é exigido muito mais memória, banda e bateria do que o realmente necessário para apenas conversar. Por isso, o Facebook vai remover a função, e o serviço de mensagens agora estará disponível apenas no app Messenger, para que você possa conversar com seus amigos sem ter de abrir o aplicativo que consome mais do seu aparelho.

Se você é uma das 1bi de pessoas que baixaram o aplicativo, tire uns minutos para a lista a seguir. Separei, palavra por palavra, algumas das permissões mais agressivas que você aceitou quando instalou o app.

  • -- Permite que o app mude o estado da conexão de rede
  • -Permite que o app faça ligações sem sua intervenção. Isso pode resultar em cobranças ou ligações inesperadas. Apps maliciosos podem te custar dinheiro ao fazer ligações sem a sua confirmação
  • -Permite que o app envie mensagens de SMS. Isso pode resultar em cobranças inesperadas. Apps maliciosos podem te custar dinheiro ao enviar mensagens sem a sua confirmação.
  • -Permite que o app grave áudio com o microfone. Essa permissão habilita o app a gravar áudio a qualquer momento sem a sua confirmação.
  • -Permite que o app tire fotos e grave vídeos com a câmera. Essa permissão habilita o app a usar a câmera a qualquer momento sem a sua confirmação.
  • -Permite que o app leia a lista de chamadas do seu telefone, inclusive os dados sobre chamadas feitas e recebidas. Essa permissão habilita o app a salvar sua lista de chamadas, e apps maliciosos podem compartilhar essa lista sem o seu conhecimento.
  • -Permite que o app leia dados sobre seus contatos guardados no seu telefone, incluindo a frequência com a qual você ligou, enviou emails ou se comunicou de outras formas com indivíduos específicos.
  • -Permite que o app leia informações de seu perfil pessoal guardadas em seu aparelho, tais como seu nome e suas informações de contato. Isso significa que o app pode identificá-lo e pode enviar informações do seu perfil para outros.
  • -Permite que o app acesse a função telefone do aparelho. Essa permissão habilita o app a determinar o número de telefone e o ID do aparelho, se uma ligação está ativa e o número remoto contatado na chamada.
  • -Permite que o app obtenha uma lista das contas conhecidas pelo telefone. Isso pode incluir quaisquer contas criadas por aplicativos que você tenha instalado.

O fato de que a mídia social e os aplicativos móveis sejam tão insidiosos não é nada novo. Todos sabemos (ou deveríamos saber) que nenhum aplicativo é verdadeiramente gratuito. Apps online "de graça" se pagam com o fornecimento de dados pessoais, tais como nome, localização, histórico de navegação etc. Por sua vez, desenvolvedores de apps móveis e redes sociais cobram dos anunciantes para mostrar anúncios altamente direcionados a grupos segmentados de pessoas.

De certo modo, até vale a pena oferecer algumas informações pessoais em troca de uma melhor experiência com os anúncios online que tanto odiamos. Entretanto, a tentativa do Facebook Messenger de coletar informações e assumir o controle de nossos aparelhos não tem precedentes e, honestamente, me dá medo. O fato de que mais de 1 bilhão de pessoas tenham aceitado esses termos é um insight alarmante do futuro dos aplicativos móveis e da segurança pessoal.

Se tanta gente não leu os termos de uso do Messenger (ou leu, mas não se importa), quão corajosos serão os desenvolvedores no futuro? Entendo a natureza "gratuita" dos apps móveis. Estou preparado a entregar parte dos meus dados pessoais em troca do direito de acessar um jogo, um conteúdo ou uma rede social de graça. Mas o Facebook foi longe demais. É hora de nos levantarmos e dizer "não"!

Dê o primeiro passo apagando esse aplicativo. Depois, releia os termos de uso que você tinha aceitado sem ler, e esteja seguro de que você está à vontade com o preço do "grátis". Leia todos os termos de uso, online e nos aplicativos móveis, antes de aceitá-los e, quando eles forem longe demais, diga não.

Você vai dizer?