OPINIÃO
18/11/2014 09:21 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Empreendedorismo feminino - redundância

MoMo Productions via Getty Images

O dia 19 de novembro é considerado Dia Internacional do Empreendedorismo Feminino, termo que considero uma redundância no Brasil, que, segundo diversas pesquisas e estudos, tem praticamente a mesma relação de homens e mulheres empreendendo. A pesquisa GEM, principal estudo sobre a atividade empreendedora no mundo, tem mostrado isto nos últimos anos, tanto que entre os empreendedores que formam a TEA (Taxa de Empreendedores Iniciais) na pesquisa mais recente feita no Brasil mostra que 52% são mulheres e 48% homens. Entre as pessoas que se formalizam como MEI (Micro Empreendedor Individual) no pais, quase metade são mulheres.

A pessoa empreendedora tem iniciativa, coragem de enfrentar riscos e desafios, energia extra, a mente sempre pensando, criando e tomando decisões, além da vontade de produzir, de oferecer algo que seja útil e importante para as outras pessoas, seus clientes e consumidores. Essas características não podem ser definidas como exclusivamente masculinas, nem femininas.

Vamos então lembrar alguns dados sobre a Mulher analisados no Pesquisas e-Números:

- A compra de artigos infantis e para bebês é feita principalmente por mulheres.

- A opinião feminina na decisão de compra tem peso maior em produtos masculinos (inclusive na da cueca), no carro da família, nos alimentos e em produtos de higiene e beleza.

- Mais anos de estudos que o homem.

- São mais organizadas, mantendo seu local de trabalho organizado também.

- A memória feminina é melhor.

- São melhores lideres, com mais competência e simpatia que seus pares masculinos.

- O ganho com a experiência de ser mãe faz com que a mulher ganhe novas habilidades, fundamentais para a atividade empreendedora, como flexibilização de horários e melhor aproveitamento do tempo.

- A participação da mãe na leitura das crianças é fundamental, criando esse hábito logo cedo, que pode melhorar o nível educacional, interesse pelos livros e curiosidade científica nos pequenos, o que ajuda no desenvolvimento da nação.

Podemos dizer que as mulheres tem, pelo menos, essas vantagens sobre os homens.

Mas quero colocar aqui a rotina de empreendedoras que conheço: atender a clientela, prospectar novos clientes, contato com fornecedores, busca de novas oportunidades de negócios, gestão da empresa, cuidar da família (inclusive como chefe da família), arrumar a casa, praticar atividades físicas, além de estarem bonitas, elegantes e animadas para exercer essas atividades e funções.

Por isso considero redundante o termo "feminino" na palavra empreendedorismo, já que no Brasil elas e eles empreendem na mesma proporção, com uma vantagem feminina na qualidade, pelas suas habilidades e competências naturais, merecendo todo o nosso respeito e admiração não apenas por serem empreendedoras, mas principalmente por serem mulheres.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

TAMBÉM NO BRASIL POST:

Eu sou feminista