OPINIÃO
05/04/2016 19:04 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:34 -02

O Tio Maluco na Internet

Antes de responder intempestivamente, pense no seu tio com o pug fofinho que ele leva para passear três vezes ao dia. De roupinha. Com sapatos especiais. Ele quer atenção e essas mídias sociais são tentadoras demais.

Mesa de almoço no domingo, família reunida. Entre a salada de entrada que ninguém comeu e as três travessas de lasanha esquentando no fogão, começa o discurso político-social daquele seu tio solitário.

Você sabe do que estou falando. Todo mundo tem um tio (ou primo, ou irmão, ou madrinha, ou pai, etc.) doido. Ele é doido, mas é legal. É uma pessoa divertida na maior parte do tempo, tem um pug no qual coloca roupinhas e sapatinhos, te deu os presentes mais legais quando você era criança, tomava banho de mar e jogava baralho até a madrugada nas férias de verão. Mas é doido.

A loucura aqui pode ser entendida como a ausência de filtros: ele fala o que pensa. Sua personalidade forte o impede de ficar calado e o habilita a ter opiniões sobre o que bem desejar (mesmo que não entenda) e expressá-las a quem quiser. Para quem nasceu antes dos anos 2.000, pode parecer estranho, mas antigamente o alcance das opiniões do tio era restrito. Normalmente, era a família e seu ambiente de trabalho. E suas bobagens não tinham tanto impacto assim, afinal de contas, todo mundo sabe o que o tio X fala essas coisas da boca pra fora e, na verdade, acima de tudo é uma boa pessoa e seria incapaz de matar uma mosca.

Mas agora o tio maluco está na internet e seus refúgios preferidos são a caixa de comentários e as mídias sociais. Quem lê o que ele escreve fica estarrecido e o toma como referência para desclassificar a humanidade. Entretanto, se você não conhece a pessoa que escreveu, você só conhece parte da história.

Nossa sensibilidade sempre foi mais eficiente em demandar a compreensão dos outros do que em compreendê-los. Fazer aquela forcinha para entender os textos horríveis escritos na internet como reflexo de uma personalidade forte, insegurança, solidão ou imaturidade ajuda a levar a vida com mais leveza e menos desilusão. Antes de responder intempestivamente, pense no seu tio com o pug fofinho que ele leva para passear três vezes ao dia. De roupinha. Com sapatos especiais. Ele quer atenção e essas mídias sociais são tentadoras demais.

LEIA MAIS:

- Ao descer as escadas, não olhe para trás

- As melhores gerações que esse mundo já viu

Também no HuffPost Brasil: