OPINIÃO
02/07/2015 16:36 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:35 -02

Consciência do amigo 'reacionário'

Sempre entendi nossas decisões, apoios e pronunciamentos ligados necessariamente à dois fatores: os interesses e os valores. Muitas vezes os nossos interesses são coerentes com nossos valores e nesse momento estamos perto de uma sensação de plenitude.

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

Sempre entendi nossas decisões, apoios e pronunciamentos ligados necessariamente à dois fatores: os interesses e os valores.

Muitas vezes os nossos interesses são coerentes com nossos valores e nesse momento estamos perto de uma sensação de plenitude. Por outro lado, quando nossos valores são diferentes dos nossos interesses, duas coisas podem acontecer:

1) Abdicarmos dos nossos valores - deixando falar mais alto nossos interesses.

2) Abdicarmos dos nossos interesses - deixando falar mais alto nossos valores.

E isso acontece a todo momento. Às vezes nos gera angústia, às vezes não. E o assunto de hoje não poderia ser diferente: Eduardo Cunha e sua manobra.

Desde já me pronuncio. Sou bastante contra a redução da maioridade penal - Esses são meus valores -, e meu interesse maior é que o projeto de redução dessa maioridade penal não seja aprovado (Prefiro deixar claro isso, é honesto com meu leitor).

Entretanto, faço uma provocação com o meu microtexto "Consciência do amigo reacionário"

"Eu sou a favor da redução da maioridade penal, então eu vou fingir que não sei que o Eduardo Cunha fez um golpe e vou comemorar, mas tenho que comemorar fingindo que não sei que foi golpe... afinal, quando a Dilma chegar na TV eu vou bater panela e depois vou pra rua contra a corrupção... vou botar até camisa da CBF e cantar que sou Brasileiro com muito orgulho e muito amor... ai sabe, né? Fica feio se eu mostrar que sei que o Eduardo Cunha é um cara que faz tudo a favor dos seus interesses... como os interesses dele são os mesmos que os meus eu finjo não ver a corrupção... o que não pode mesmo é ser corrupto com os interesses diferentes dos meus... é isso... isso que não pode"

Gente, ser favorável à redução da maioridade penal não pode causar a alegria que tem causado se a aprovação foi dada diante de um golpe que faz democracia sangrar.

Como gritar contra a corrupção e ficar satisfeito com o que ocorreu?

Mas muitos estão! E o motivo é simples, o interesse tem falado mais alto do que os valores. E o pior... não gerou incômodo.

É preciso repensar.

VEJA TAMBÉM:

Galeria de Fotos 11 falácias sobre a redução da maioridade penal Veja Fotos