OPINIÃO
08/06/2015 16:29 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:25 -02

Com quantos invisíveis se faz uma cavalgada?

A Cavalgada de Araguaína é considerado o maior evento do tipo no mundo, então não poderia deixar de falar um pouco sobre o olhar que a gente constrói quando passa a pensar a festa por uma ótica que vai um pouquinho além dos cavalos, seus cavaleiros e amazonas.

A Cavalgada de Araguaína é considerado o maior evento do tipo no mundo, então não poderia deixar de falar um pouco sobre o olhar que a gente constrói quando passa a pensar a festa por uma ótica que vai um pouquinho além dos cavalos, seus cavaleiros e amazonas.

A Cavalgada de Araguaína é uma festa popular do estado do Tocantins, teve sua 27ª edição neste domingo, 7.

Desde cedo, as crianças aprendem sobre seus modos de vida. Transformam bicletas em cavalos-sonho.

Será que não precisamos, desde cedo também, aprender a pensar além? Aprender a sonhar com justiça social?

Olhar o trabalhador e não apenas seu produto - deliciosos algodões-doces.

Não deixar a grandiosidade da festa e o desejo de ser visto desfilando no centro da principal avenida da cidade, ofuscar ainda mais as pessoas que trabalham duro.

Perceber que entre você e o fotógrafo as vezes existe alguém que foi invisibilizado pelo trabalho que possui (catador de latinhas).

Com quantos invisíveis se faz uma cavalgada?

Será que não precisamos, desde cedo também, aprender a pensar além? Aprender a sonhar com justiça social?

Saber que todos merecem ser.

Quem não gosta de ser entendido como gente? Um olhar, mesmo que escondido por uma câmera, desperta afetos.

Fotografia: Roberto Dalmo

Colaboração: Eduardo Amorim