OPINIÃO
28/01/2015 08:17 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Um ano de Brasil Post: nunca aprendi e me diverti tanto

Como nossos jornalistas e o nosso público, o Brasil Post defende as causas do nosso tempo. Para resumir em uma palavra, nosso maior inimigo é o preconceito _seja de qual tipo for.

Faz 25 anos que coordeno times de jornalistas com pouco mais de 25 anos, em redações de impresso e digital. Mas em nenhuma delas aprendi e me diverti tanto quanto aqui no Brasil Post, que hoje completa seu primeiro ano de operação.

Evoluindo desde 2005, a plataforma do Huffington Post, hoje em 13 países, descobriu os ingredientes certos do jornalismo para o século 21. Mas ela não teria vingado aqui no Brasil sem a pegada inovadora e engajada que nossa nova geração de repórteres traz no seu DNA.

Como nossos jornalistas e o nosso público, o Brasil Post defende as causas do nosso tempo. Se tiver de resumir em uma única palavra, diria que nosso maior inimigo é o preconceito _seja de qual tipo for.

Pouco a pouco, fomos aprendendo a cobrir o noticiário tradicional de maneira mais interessante. Conseguimos dar boas notícias, mostrar que o sucesso é ter qualidade de vida e não ser rico ou famoso, falamos de coisas aparentemente inúteis mas cativantes, misturaramos "coisa séria" com o trivial

Às vezes é difícil explicar para colegas de outras redações onde está nossa diferença em relação aos sites tradicionais. Já para o público, parece que é mais claro. Tenho ouvido muita gente dizer que adora nosso conteúdo porque ele é arejado, crítico, viral e com atitude.

O resultado é que, desde 1 de janeiro deste ano, 5,5 milhões de pessoas visitaram o Brasil Post. Quase 23 milhões de páginas foram acessadas só neste mês. E mais de 62% desses visitantes consumiram nosso conteúdo em seus celulares.

O presente para o Brasil Post é completar o primeiro aniversário batendo nosso próprio recorde de audiência antes mesmo de o mês ter acabado.

Há exatos 365 dias, na nossa estreia, escrevi aqui sobre o privilégio que seria dirigir um site de notícias em um ano que prometia ser dos mais marcantes da história de nosso país.

Hoje, entretanto, sinto que o verdadeiro privilégio foi trabalhar com meus colegas para pessoas como você aí do outro lado da tela, que entendem e compartilham o que a gente faz por aqui. Bem, pelo menos a maioria de vocês...