OPINIÃO
10/06/2014 14:28 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

A Copa do Mundo no cinema (Grupos D, E, F, G e H)

Sim, #vaitercopadomundonocinema! Então prepare a pipoca, junte a família e os amigos para ver a bola, ou melhor, os filmes, rolarem.

Demorou, mas aqui estão as 20 seleções que faltavam.

Sim, #vaitercopadomundonocinema! Aqui você encontra os filmes relacionados a cada seleção participante dos Grupos D, E, F, G e H. Ainda não leu os outros textos? Você pode encontrá-los aqui.

Então prepare a pipoca, junte a família e os amigos para ver a bola, ou melhor, os filmes, rolarem.

GRUPO D

URUGUAI: O Banheiro do Papa (El Baño del Papa) - 2007

A seleção uruguaia vem de um excelente quarto lugar no Mundial da África do Sul e sagrou-se tricampeã mundial no Maracanã, em 1950, mesmo palco da final da Copa do Mundo de 2014. Ou seja, a Celeste Olímpica tem motivos para se animar. Porém, mesmo com uma das melhores duplas de ataque do mundo (Luiz Suárez e Cavani), o time tem jogadores importantes no ocaso de suas carreiras, como o outrora craque Diego Fórlan - melhor jogador do Mundial de 2010 - e o zagueiro Lugano, de quem só a torcida do São Paulo ainda acredita. Ou seja, o sonho de mais um título no Brasil pode sim tornar-se realidade para os comandados do professor Oscar Tabarez, mas a chance de um grande fracasso, assim como a história retratada no ótimo "O Banheiro do Papa", é uma possibilidade bem realista.

Qual é a história? Em 1998, os moradores da pequena cidade uruguaia de Melo, na fronteira com o Brasil, entram em polvorosa com a notícia de que o Papa João Paulo II passará pelo local em sua viagem pelo país. Muito pobre, a população investe tudo que tem para lucrar com o acontecimento, montando barraquinhas de lanches, produzindo medalinhas religiosas e souvenires em geral. Mas Beto, um modesto contrabandista local, tem uma ideia mais original: construir um banheiro público e ganhar dinheiro cobrando dos milhares de fieis que quiserem aliviar suas necessidades fisiológicas durante a peregrinação. No entanto, as coisas não saem como o esperado.

INGLATERRA: Maldito Futebol Clube (The Damned United) - 2009

O antigo estilo inglês já era, e essa história começou a virar a página com a experiência do técnico Brian Clough no Leeds United, em 1974. O período é retratado com riqueza de detalhes no divertido "Maldito Futebol Clube", de Tom Hooper, e combina bem com o atual momento de transição da seleção inglesa. O conservador English Team - que sempre dá preferência aos jogadores mais rodados - prepara uma surpresa para 2014: apostar na juventude. Mesmo que medalhões como Gerard e Lampard ainda sejam referência dentro do grupo comandado por Roy Hodgson, são as novas promessas Daniel Sturridge e Raheen Sterling que prometem brilhar. Tudo bem que Clough se deu muito mal no Leeds, mas depois abocanhou uma Liga dos Campeões com o modesto Nothingham Forrest. Talvez isso seja um indício que os britânicos tenham algo melhor para sonhar daqui a quarto anos. Ou não.

Qual é a história? Campeão da primeira divisão inglesa, em 1972, com o pequeno e recém chegado da segunda divisão Derby County, o técnico Brian Clough não consegue se sentir satisfeito com a grande conquista. Isso porque ele odeia o jogo truculento de seu maior adversário, o Leeds United, e ficou ressentido ao ser ignorado pelo técnico adversário Don Revie, um antigo ídolo seu. Ele acaba assumindo o controle do Leeds e tenta mudar a mentalidade de jogo sujo da equipe, mas esbarra em muitas pedras no caminho, como, principalmente, seu grande ego.

ITÁLIA: Mediterrâneo (Mediterraneo) - 1991

A Itália - mesmo quando não anda jogando lá um grande futebol - é sempre uma forte candidate ao título mundial. Tanto que já conquistou quatro deles, e o último faz bem pouco tempo, em 2006. O grande problema da Azzurra na Copa de 2014 é que a seleção treinada pelo competente Cesare Prandelli passa por uma reformulação. Dois grandes líderes do time, o goleiro Buffon e o volante/meia Pirlo já são bem veteranos, e o ataque depende muito de um bom desempenho do temperamental Balotelli. Mas a Itália é sempre a Itália, e o centro-avante do Milan jogou bem e relaxado a Copa das Confederações no ano passado. Muito porque ele curtiu bastante sua estadia no Rio de Janeiro e já declarou seu amor pelo Brasil algumas vezes. Se a grande estrela italiana se aclimatar tão bem quanto os soldados de Mediterrâneo (vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 1992), os tifosi terão muito o que comemorar.

Qual é a história Mandados para a costa grega para localizar navios inimigos durante a Segunda Guerra Mundial, um pequeno pelotão de soldados italianos é atacado e acaba abandonado em uma ilha local. A ilha parece vazia, mas aos poucos a população que estava escondida das montanhas começa a aparecer, e o grupo de italianos passa a conviver pacificamente com os moradores. Tanto que resolvem não sair mais de lá.

COSTA RICA: (El Regreso) - 2011

Depois de não se classificar para o Mundial da África do Sul, a Costa Rica - geralmente a terceira força da Concacaf - voltou a apresentar um bom futebol e ainda despachou os eternos rivais mexicanos para a repescagem. Mas as boas notícias pararam na eliminatórias. Os azarões do Grupo D, um dos mais difíceis da Copa, perderam jogadores importantes por conta de lesões, entre eles o atacante Alvaro Saborío e o lateral Bryan Oviedo. Mas de probleminhas aqui e dificuldades ali, a Costa Rica está acostumada. Assim como o escritor Antonio, protagonista da tragicomédia "El Regreso", que precisa voltar a seu país depois de muito tempo morando fora para reencontrar seu pai doente, o time de Jorge Luis Pinto precisa juntar os cacos e seguir em frente.

Qual é a história? Antonio, um escritor que deixou a Costa Rica há anos, precisa voltar à capital San Jose para cuidar do pai, que está muito doente. Chegando lá, ele precisa lidar com pendengas familiares mal resolvidas e se reencontrar com seu passado.

GRUPO E

FRANÇA: O Ódio (La Haine) - 1995

A campanha da França no Mundial da África do Sul foi terrível. Desclassificados ainda na fase de grupos, o grupo de jogadores brigaram com o então técnico Raymond Domenech e entre si. Hoje os tempos são outros. Treinados pelo capitão do título de 1998, Didier Deschamps, o time chega ao Brasil com atletas em ótima fase em seus clubes, como o atacante Frank Karim Benzema, e os meias Blaise Matuidi e Paul Pogba. No entanto, assim como no cult "O Ódio" (estreia matadora do diretor Mathieu Kassovitz), a equipe dos Blues - formada nos últimos tempos por um caldeirão cultural de atletas de origem europeia e da África árabe e negra sempre - é um barril de pólvora. Na Copa do Mundo de 2014 os franceses têm chances iguais de um completo fracasso, como em 2010, ou de um Mundial inesquecível para sua torcida.

Qual é a história? O judeu Vinz, o árabe Saïd e o negro Hubert encaram diariamente a discriminação e os abusos da polícia no subúrbio de Paris. Durante um confronto com a Polícia, o jovem Abdel é preso e brutalmente espancado em um interrogatório. Furioso com a situação, Vinz consegue uma arma e jura matar um policial caso seu amigo morra.

SUÍÇA: Lances Perigosos (La Diagonale du fou) - 1980

A Guerra Fria em um tabuleiro de Xadrez. O jogo de estratégia entre mentes brilhantes em conflito é o grande mote para "Lances Perigosos", uma pérola um tanto esquecida dos anos 1980. Passado em Genebra, a história gira em torno da disputa o título mundial de xadrez entre um mestre e seu antigo pupilo. O filme dá o tom do estilo defensivo e cerebral do qual a seleção suíça fez sua marca registrada. Mesmo com uma campanha com muitos gols nas Eliminatórias, a equipe treinada pelo excelente técnico alemão Ottmar Hitzfeld (vencedor de duas Liga dos Campeões e sete campeonatos alemães) é especialista no jogo da paciência, de muita marcação. E eles já mostraram que a estratégia pode dar muito certo em sua estreia na Copa passada, quando derrotaram a campeã Espanha - única dos espanhóis naquela competição - por 1 a 0.

Qual é a história? Durante a Guerra Fria, dois grandes mestres soviéticos do xadrez disputam o título de campeão mundial, em Genebra. Um deles é o campeão mundial Akiva Liebskind, que enfrenta o jovem Pavius Fromm, seu antigo aprendiz que fugiu do regime comunista da URSS. Durante a partida, o embate transforma-se em uma verdadeira guerra política.

EQUADOR: Raiva (Rabia) - 2009

O Equador já foi uma seleção mais badalada na América do Sul, mas depois de não se classificar para a Copa de 2010, acabou perdendo seu status de quarta força no continente, atrás de Brasil, Argentina e Chile. Posto recuperado - e depois superado - pelo Uruguai, principalmente depois a incrível campanha celeste na África do Sul e da conquista da Copa América, em 2011. Contudo, os equatorianos, liderados pelos atacantes Valencia e Caicedo têm tudo para deixar de ser meros expectadores e partir para ação, assim como o impulsivo José Maria, protagonista de "Raiva", terceiro filme do consagrado diretor local Sebastián Cordero. Chances de igualar a mulher campanha da história da seleção em Copas (oitavas-de-final em 2006) eles têm. O grupo até que ajuda.

Qual é a história? Imigrantes sul-americanos na Espanha, José María é um operário da construção civil e Rosa empregada doméstica. Em um certo dia, José Maria discute com seu patrão e acaba matando-o. Desesperado, ele foge para a casa onde Posa trabalha e se esconde no sótão. Sem que ninguém saiba, ele passa a acompanhar a vida dela e seu cotidiano abusivo na casa sem agir. Enquanto isso sua raiva cresce cada vez mais.

HONDURAS: (Amor y Frijoles) - 2009

Azarão do Grupo E, Honduras tem mais é que se divertir. Tudo bem que o time conseguiu uma vaga direta para a Copa, mas isso se deu muito mais pela incompetência dos mexicanos e da tragédia que aconteceu com o Panamá, que tinha a vaga nas mãos até os 44 minutos do segundo tempo, quando levou uma virada dos Estados Unidos e deu adeus à chance de disputar o Mundial no Brasil. Essa é a terceira Copa do Mundo dos hondurenhos, que participaram em 1982 e 2010. Porém, a equipe desse pequeno país da América Central às vezes apronta das suas - como o marido de Karen, protagonista da simpática comédia "Amor y Frijoles" - e surpreender quando se menos espera. E Felipão sabe muito bem do que estamos falando. Honduras substituiu os argentinos depois da desistência dos hermanos em jogar a Copa América de 2001, e terminou a competição em um honroso terceiro lugar, eliminando o Brasil treinado por Luiz Felipe Scolari, que todos sabem, tornou-se pentacampeão mundial no ano seguinte.

Qual é a história? Karen, comerciante de alimentos, suspeita da fidelidade do marido Dionísio, que começa a chegar tarde em casa e tem comportamento suspeito. Ela compartilha suas dúvidas com Nicola, sua amiga de trabalho, e as duas decidem investigar o homem.

GRUPO F

ARGENTINA: O Homem do Lado (El Hombre de al Lado) - 2009

A única casa que o arquiteto suíço Le Corbusier assinou em todo o continente americano, onde mora o arrogante designer Leonardo, em La Plata, é como o ataque da atual seleção da Argentina, com Messi, Aguero, Higuain, entre outos: moderna e genial. É, mas a defesa do time comandado por Alejandro Sabella é tosca como seu vizinho, o brutamontes Victor. O filme em questão é "O Homem ao Lado", uma tragicomédia dirigida pela dupla Mariano Cohn e Gastón Duprat que cai como uma luva em comparação o escrete dos hermanos. Uma obra de arte na frente, um buraco na parede - motivo da briga entre os dois personagens da película - atrás. A seleção argentina precisa aprender a dosar seu grande poder ofensivo com sua fragilidade defensiva para, como eles tanto sonham, conquistar o tricampeonato na casa de seu histórico adversário. Porém, há quem diga que as verdadeiras pinturas do baixinho Messi já bastam. Veremos.

Qual é a história? O designer Leonardo vive com sua mulher e filho na casa de seus sonhos: a única obra desenhada pelo famoso arquiteto suíço Le Corbusier na América. Mas seu mundo de móveis de designe moderno entra em colapso quando o xucro vizinho Victor resolve abrir uma janela para receber mais raios de sol em sua sala. O problema é que o buraco dá direto para o imóvel de Leonardo, que surta com o que considera uma invasão de privacidade. A partir daí, com um jeito amigável e ameaçador ao mesmo tempo, Victor começa a se aproximar da família de seu vizinho, fazendo Leonardo cair em um estado profundo de paranoia.

BÓSNIA HERZEGOVINA: Underground - Mentiras de Guerra (Underground) - 1995

Sarajevo, capital da Bósnia, ficou mundialmente conhecida como o inferno na Terra na primeira metade dos anos 90. Aliás, o pequeno país nos Balcãs ainda não se recuperou totalmente do massacre que foi a guerra civil na ex-Iugoslávia. Mas essa desgraça ficou para trás e o povo bósnio comemorou muito a classificação da seleção local à sua primeira Copa do Mundo da história. Como se apenas naquele momento - no dia 15 de outubro de 2013, quando venceu a Lituânia em casa por 1 a 0 - pouco menos de 20 anos do fim da guerra, que aquele fantasma foi exorcizado. Um sentimento talvez parecido com os refugiados enganados por Marko, no explosivo, lírico e amalucado Underground - Mentiras de Guerra, vencedor da Palma de Ouro de Melhor Filme em 1995, no mesmo ano em que o conflito no Balcãs terminou. Essa alegria pode aumentar. Isso porque o time liderado pelos ótimos atacantes Ibišević e Džeko caiu em um grupo em que tem totais chances de se classificar em segundo lugar. Será que o Mundial será ainda mais libertador para os bósnios?

Qual é a História? Dois amigos, Marko e Blaky, escondem um grupo de refugiados em um porão durante a Segunda Guerra Mundial e fazem fortuna usando-os como mão de obra para fabricar armas, que eles vendem a membros da resistência iugoslava. No entanto, mesmo com o fim da guerra, Marko continua iludindo os refugiados por mais quinze anos, ficando cada vez mais rico, e tronando-se um traficante de armas poderoso.

IRÃ: A Separação (Jodaeiye Nader az Simin) - 2011

Engana-se quem acha que o Irão é a baba do Grupo F. Como o país é um tanto fechado ao ocidente, passa a impressão tudo o que sai de lá é precário, mas tem tudo para surpreender. Assim como "A Separação", o excelente drama de Asghar Farhadi, que colecionou prêmios por onde passou, entre eles o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2012. Comandada perlo português Carlos Queiroz, que já treinou o poderoso Real Madrid, o Irã classificou-se para o Mundial vencendo o grupo da Coreia do Sul, uma seleção considerada mais forte na ásia, e com uma campanha geral muito boa, com 30 gols marcados e apenas sete sofridos, aproveitamento de 70%.

Qual é a história? O casal Nader e Simin decide se separar, pois ele prefere continuar no país para cuidar de seu pai, que sofre do Mal de Alzheimer, enquanto ela quer sair de lá para dar um futuro melhor à filha, Termeh. Enquanto cuida da burocracia para a separação, Nader contrata uma jovem mulher grávida para tomar conta de seu pai. Mas a mulher não conta nada a seu marido. Quando um incidente acontece entre ela e Nader, o tal marido vai tirar satisfações, transformando uma situação, que já era complicada, em uma confusão que pode descambar para algo mais grave.

NIGÉRIA: (Fiding Fela!) - 2014

A Nigéria não é mais aquela dos tempos de Yekini, Okosha e Kanu, que brilhou nas copas de 1994 e 1998, além da medalha de Ouro nas Olimpíadas de 1996, quando bateu a Argentina por 3 a 2 em Atlanta, nos Estados Unidos. Aliás, como sua seleção atual, o país parece regredir. Tanto é que o caso de meninas cristãs raptadas pelo grupo islâmico Boko Haram para serem posteriormente vendidas causaram comoção no mundo todo. A esperança para 2014 é que o time que tem como estrelas o meia Obi Mikel (do Chelsea) e o atacante Moses (do Liverpool) espelhe-se no exemplo daquela geração dos anos 1990 e, por que não, do músico Fella Kuti, que além de ser o gênio rebelde por trás do Afrobeat, gênero musical que tomou o mundo de assalto nos anos 1970, foi um personagem importante da política e da luta pelos direitos humanos. A trajetória dele pode ser vista no ótimo documentário "Finding Fella!", do britânico Alex Gibney.

Qual é a história? Cinebiografia do multi-instrumentista Fela Kuti, rebelde, visionário e criador do Afrobeat. O filme mostra em ação suas duas grandes bandas, o Africa 70 e o Egypt 80, e a construção de seu quartel-general no meio de Lagos, capital nigeriana, onde ele vivia como o líder de um país separado.

GRUPO G

ALEMANHA: O Milagre de Berna (Das Wunder von Bern) - 2003

A seleção alemã é, sem dúvida, uma das grandes favoritas ao título da Copa do Mundo do Brasil. Bem diferente do clima que os germânicos encontraram na Suíça, em 1954, quando eram os grandes azarões contra a sensação daquele Mundial, a Hungria de Puskas, Kocsis, Hidegkuti, Czibor e companhia. Porém, liderados pelo lendário atacante Fritz Walter, os alemães conseguiram o "impossível": bateram os húngaros por 3 a 2 depois de sair perdendo por 2 a 0. Superação pode não ser a palavra mais indicada para um time extremamente técnico como é a equipe de Manuel Neuer, Bastian Schweinsteiger, Mesut Özil, Mario Götze e Thomas Müller, mas não há como não indicar "O Milagre de Berna" como o filme que representa esse escrete tão talentoso. De produção um tanto modesta, o simpático filme dirigido por Sönke Wortmann conta a história daquele time subestimado, que operou um verdadeiro milagre em uma das finais mais espetaculares da história das copas. E que o time atual fique de olho, pois a Alemanha teve campanhas vencedoras quando deixou a técnica um pouco de lado e contou com sua tradicional raça.

Qual é a história? A campanha alemã na Copa de 1954 é mostrada a partir da visão do garoto Louis Lubenski, que tenta melhorar sua relação com o pai, que voltou destruído psicologicamente da frustrada campanha nazista na Rússia, e do jovem repórter Paul Ackermann, que cobre a competição.

EUA: Rebeldia Indomável (Cool Hand Luke) - 1967

Já de algum tempo a seleção dos Estados Unidos vem complicando a vida de adversários considerados mais fortes. Mesmo sem lá muita tradição com a bola nos pés, os norte-americanos têm um time casca de ferida. Forte na marcação e extremamente obediente taticamente, a equipe treinada pelo craque alemão Jürgen Klinsmann é daquelas chatas, bem ao estilo de Luke, o rebelde sem causa interpretado por Paul Newman em "Rebeldia Indomável". E o papel dos yankees é exatamente esse, ser a pedra no sapato de Alemanha e Portugal, os favoritos do Grupo H. Para tal, o time do goleiro Tim Howard, do meia Michael Bradley e do atacante Clint Dempsey precisa matar um leão por dia. Os desafios são muitos. Além, é claro, da qualidade de seus adversários, a seleção norte-americana é a que vai viajar mais durante a competição, encarando partidas no forte calor de Natal, Manaus e Recife.

Qual é a história? O rebelde sem causa Luke é preso por vandalizar parquímetros em uma bebedeira. Na prisão, ele se recusa a obedecer as regras do local e ganha o respeito dos outros presidiários. Corajoso e malandro, ele insiste em fugir da cadeia, um verdadeiro inferno no interior da Louisiana, e a cada recaptura, suas punições são mais severas. Mesmo assim ele não desiste nunca, mas o ódio dos guardas e, principalmente, do diretor da penitenciária, aumentam cada vez mais.

PORTUGAL: (Tabu) - 2012

Sofrendo com uma lesão muscular na coxa esquerda e uma inflamação no joelho esquerdo, Cristiano Ronaldo, o atual melhor jogador do mundo e principal esperança de Portugal na Copa do Mundo, pode nem jogar as primeiras partidas de sua seleção. E isso em um grupo onde não há nenhuma equipe mais ou menos. Sem o gajo, o time do técnico Paulo Bento terá de descobrir alguma arma secreta. Assim como o segredo que a idosa Aurora escondia no belíssimo e surpreendente "Tabu", de Miguel Gomes. Mas, convenhamos, está difícil de descobrir quem será o substituto de Cristiano Ronaldo no papel de herói lusitano. Isso, claro, se o próprio conseguir se recuperar e mostrar para seus muitos detratores, que ele é mesmo um jogador que deixará seu nome gravado como um dos grandes da história.

Qual é a história? Aurora é uma octogenária temperamental e excêntrica que divide o andar de um prédio em Lisboa com Santa, sua empregada cabo-verdiana, e Pilar, uma vizinha que se dedica a lutar por causas sociais. Quando a idosa morre, as outras duas passam a conhecer um segredo de seu passado: Uma história de amor e crime vivida na África, quando Portugal dominava alguns países no continente africano.

GANA: (Sankofa) - 1993

Gana é uma potência na África. Venceu quatro vezes a Copa das Nações Africanas em 1963, 1965, 1978 e 1982, além de campanhas vencedoras em categorias de base, conseguindo títulos mundiais Sub-20 (2009) e Sub-17 (1991 e 1995). Porém, participou apenas de duas Copas do Mundo, em 2006 e 2010. Se bem que no Mundial passado alcançou as quartas-de-final, e só foi eliminada em um final épico contra o Uruguai, na partida que foi, com toda a certeza, uma das mais emocionantes da história do torneio. Ou seja, mesmo sem muita tradição na Copa do Mundo, é bom ficar de olho nos Estrelas Negras, que possuem um passado de grande tradição - mesmo que local - e atletas talentosos e que jogam em grandes clubes europeus, como Asamoah Gyan, Muntari, Appiah, Essien, André Ayew e Kevin-Prince Boateng. O espírito de luta dos africanos pode ser visto no belo e brutal "Sankofa", um filme duro, mas que mostra a força dos africanos mesmo em um período tão terrível como o da escravidão.

Qual a história? Sankofa, uma modelo negra vai à Gana para fazer uma sessão de fotos. Chegando lá, ela é transportada para o período da escravidão, vivendo na pele uma das maiores tragédias da humanidade.

GRUPO H

BÉLGICA: A Criança (L'enfant) - 2005

A pequena Bélgica nunca teve uma geração com tantos talentos. Hoje, a seleção belga tem grandes promessas em todas as faixas do campo, como o goleiro Courtois, os zagueiros Kompany e Vermaelen, os meias Fellaini e Witsel, e os atacantes Hazard, Mirallas e Lukaku. Tanto que o time voou nas Elminatórias europeias, classificando-se com extrema facilidade para a Copa do Brasil. No entanto, a equipe pode sentir o peso da idade, ou melhor, da falta de idade. O time é muito jovem e pode pagar caro por sua falta de experiência. Assim como o jovem e irresponsável Bruno, protagonista de um dos melhores filmes dos irmãos Dardenne, "A Criança".

Qual é a história? Bruno é um jovem de 20 anos que vive de cometer pequenos furtos. Sua namorada, Sonia, de apenas 18 anos, acabou de dar à luz a um menino, que dá o nome de Jimmy. Ao sair do hospital, ela pede para seu namorado ficar com o pequeno Jimmy enquanto fica na fila do serviço social. Vendo uma possibilidade de lucrar, Bruno acaba vendendo seu filho, mas logo se arrepende e tenta desfazer a burrada que cometeu.

CORÉIA DO SUL: Primavera, Verão, Outono, Inverno e... Primavera (Bom yeoreum gaeul gyeoul geurigo bom) - 2003

Após o sucesso na Copa do Mundo em que jogou em casa, a Coreia do Sul passou a exportar jogadores para grandes times europeus, como Park Ji-Sung, que brilhou no inglês Manchester United depois de uma boa passagem no holandês PSV. Aliás, o capitão da seleção comandada por Choi Kang-Hee foi o desbravador do que virou um tipo de "europeização" do antigo estilo coreano de jogo extremamente rápido. O grande problema é que depois do quarto lugar no Mundial de 2002, os coreanos nunca mais conseguiram emplacar boas campanhas. Será porque o jeito mais tradicional asiático foi colocado de lado? Essa é uma pergunta difícil. Talvez um sábio monge do surpreendente e belo "Primavera, Verão, Outono, Inverno e... Primavera", do cineasta Kim Ki-duk, soubesse responder.

Qual é a História? Um monge e seu jovem pupilo vivem em uma casa flutuante no meio de um lago. Com o passar dos anos, o menino vai crescendo e aprendendo de seu mestre importantes lições sobre a vida. Ao chegar a adolescência, o aprendiz se apaixona por uma garota. Ele se rebela e foge com ela. Muitos anos depois, já adulto, ele volta para seu mestre depois de anos preso por ter matado a tal mulher por quem um dia foi apaixonado.

RÚSSIA: (Kin-dza-dza!) - 1986

A seleção russa é uma incógnita. O tarimbado técnico italiano Fabio Capello apostou em uma renovação e tem nos jovens talentos como o meia Dzagoev e o atacante Kokorin sua maior esperança de classificação para as oitavas-de-final. No entanto, o seu ponto forte pode também ser seu calcanhar de Aquiles, já que os craques do time têm quase nenhuma experiência em competições de peso. Ainda mais em uma Copa do Mundo. Ou seja, a Rússia tem a mesma chance de ser um grande sucesso e um estrondoso fracasso. Essa condição não poderia combinar mais com a estranha e divertida comédia de ficção científica Kin-dza-dza!, um cult dos anos 1980 que pouca gente viu, mas muito admirada por mais hardcore do gênero.

Qual é a história? Dois humanos que se conhecem ao acaso em Moscou encontram um mendigo que afirma ser um extraterrestre perdido. Ele mostra uma pequena caixa com um botão para a dupla. Quando um deles aperta o botão por curiosidade, os dois acabam sendo transportados para um planeta desconhecido, chamado de Plyuk, na galáxia de Kin-Dza-Dza. Perdidos, os dois vagam por um deserto atrás de um jeito de voltar para casa.

ARGÉLIA: A Batalha de Argel (La battaglia di Algeri) - 1966

Luta é uma palavra que é parte importante para traduzir a construção do que se tornou a Argélia dos dias de hoje. E isso começou no processo de independência do país, que sofreu por muitas décadas com o domínio francês, período retratado com exatidão assombrosa no grande clássico "A Batalha de Argel", a obra prima de Gillo Pontecorvo. Menos badalada das seleções africanas na Copa do Mundo de 2014, a Argélia foi a que deu mais sorte no sorteio dos grupos. Não que os argelinos não tenham de enfrentar boas seleções, mas a talentosa Bélgica pode sofrer por ter um elenco jovem demais, a Rússia passa por um processo de renovação, e a Coréia do Sul não vive seus melhores dias. Portanto, o time do técnico bósnio Vahid Halilhodžić tem sim motivos para acreditar em uma classificação à próxima fase. Mas, para tal, terá de lutar muito e imprimir seu estilo de jogo.

Qual é a história? A luta pela independência da Argélia, que era colônia da França, é mostrada de ambos os lados. Enquanto o exército francês usa técnicas de tortura e eliminava o maior número possível de rebeldes, a FLN (Frente de Libertação Nacional) desenvolve técnicas de combate baseadas na guerrilha e no terrorismo.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.