OPINIÃO
25/04/2014 18:25 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:24 -02

A Copa do Mundo no cinema (Grupo C)

No Grupo C da Copa do Mundo no cinema, duas grandes promessas desse Mundial, Colômbia e Costa do Marfim - filmes que você provavelmente não viu.

Divulgação

Continuamos com a nossa série que relaciona filmes produzidos nos países da Copa do Mundo. Desta vez, apresentamos as produções do Grupo C. Neste grupo, duas grandes promessas desse Mundial, Colômbia e Costa do Marfim, tentam confirmar seu eterno status de bom time ao lado de duas seleções que não dão muito medo, mas que já surpreenderam muita gente: Grécia e Japão. E aí, o que você acha que vai sair desse caldeirão cultural?

Ainda não leu os textos do Grupo A e B? Então veja aqui.

COLÔMBIA: As Cores da Montanha (Los Colores de la Montaña) - 2010

Dois elementos têm papel marcante na história recente da Colômbia. Um para o bem, outro para o mal: futebol e violência. Isso quando os dois não se misturam, como quando o zagueiro Escobar foi assassinado por ter feito um gol contra na Copa dos EUA na derrota por 2 a 1 para os donos da casa, resultado que eliminou o time sensação daquele Mundial já na fase de grupos. 'As Cores da Montanha' mostra em um mesmo local - no interior do país - a paixão do povo colombiano pelo futebol e a dura realidade da luta entre os guerrilheiros das Farc e grupos paramilitares ligados ao exército. No filme, a esperança simbolizada por uma bola de futebol é o que mantém vivo os sonhos do garoto Manuel, e de muitos outros colombianos, que depositam todas as suas fichas dessa Copa no poderoso ataque da sua seleção. Pena que seu principal jogador, o super artilheiro Falcão Garcia, corre seríssimos riscos de não jogar a competição devido uma entrada violenta que levou jogando no Campeonato Francês, pelo Mônaco. Será a uruca de Pelé - que apontou os colombianos como principais favoritos ao título em 1994 - funcionando de novo? A fé do país no mau agouro do Rei do Futebol é tão grande que foi até feita uma campanha publicitária para que o craque brasileiro não desse mais palpites sobre sua seleção. Mas não adiantou. Poucos dias antes da contusão de Falcão, Pelé disse que a Colômbia tinha tudo para fazer bonito na Copa do Brasil. E deu no que deu! Resta aos colombianos rezar aos deuses do futebol contra essa mandinga desgraçada.

Qual é a história? Manuel, um garoto de 9 anos, vive com seus pais e seu irmão mais novo em um pobre povoado no interior da Colômbia que é território da guerrilha. Apaixonado por futebol, ele sonha em ser um grande goleiro, e para tal, sempre dá um jeito de jogar com seus amigos em um campinho local. Quando ele ganha uma bola nova de aniversário, combina uma pelada com seus colegas. Porém, em uma jogada errada, a bola é chutada para longe e cai em uma área onde há suspeitas de que esteja minada. Mesmo proibido por seu pai, ele pede ajuda a seus amigos Julián e Poca Luz a recuperar a tão sonhada bola nova.

GRÉCIA: Dente Canino (Kynodontas) - 2009

O ano de 2004 foi estranho para o futebol. Contra todos os prognósticos, a Grécia foi campeã da Eurocopa batendo Portugal, os donos da casa, na abertura e final da competição. Por aqui, o inexpressivo Once Caldas eliminou favoritos como Santos e São Paulo e derrotou o gigante Boca Juniors na final de Libertadores. Na Europa, a final da Liga dos Campeões foi entre os improváveis Porto e Mônaco, e terminou com vitória dos portugueses, que também conquistaram o título do Mundial de Clubes. Dez anos depois... Os gregos continuam bem longe da lista de favoritos ao título da Copa do Mundo, mas assim como o esquisito (e não menos interessante) 'Dente Canino', o imponderável sempre pode acontecer. Assim como os três adolescentes que vivem isolados do mundo, retratados no perturbador filme dirigido por Yorgos Lanthimos, a conquista da Euro pela seleção grega pode ser considerada uma aberração. Mas assim como o artilheiro Charisteas estava iluminado em 2004, o atacante Mitroglou vive uma ótima fase. Tanto que liderou o Olympiacos em uma excelente campanha na edição mais recente da Champions e se transferiu para o futebol inglês. Será que o raio pode cair duas vezes no mesmo lugar? Porém, que fique bem claro, em mundiais, a Grécia nunca passou da fase de grupos.

Qual é a história? Um casal perturbado cria seus três filhos adolescentes totalmente isolados do mundo exterior. O único que tem permissão para sair de casa é o pai, e só de carro. Ele trabalha em uma fábrica perto do subúrbio onde fica a grande casa da família. Sem poder sair de casa, os três filhos (duas garotas e um rapaz) recebem uma educação bizarra, como aprender significados totalmente diferentes para palavras, incentivo ao incesto, entre outras maluquices.

JAPÃO: Yojimbo - O Guarda-Costas (Yojimbo) - 1961

Ninguém deu nada para o esfarrapado ronin (samurai sem mestre) Sanjuro quando ele apareceu em um pequeno povoado no interior do Japão. Mas usando de sua esperteza e habilidade, ele acaba enganando os dois clãs poderosos da cidade, jogando um contra o outro. Todos apontam a Costa do Marfim e a Colômbia como os grandes favoritos para se classificar neste grupo. Mas o Japão pode surpreender. Se dificultar para seus adversários considerados mais fortes no confronto direto, pode acabar fazendo um eliminar o outro - assim como Sanjuro no clássico Yojimbo - e abocanhar uma vaga. Recentemente, os japoneses engrossaram e venderam bem caro uma derrota por 4 a 3 para a poderosa Itália no melhor jogo da última Copa das Confederações. Entretanto, perderam para um combalido México sem esboçar nenhuma resistência poucos dias depois. Isso mostra como a seleção nipônica dá o seu melhor quando menos se espera. Os japoneses jogarão a Copa do Mundo do Brasil imbuídos do espírito de luta samurai e sua mistura de técnica e velocidade ou vão falhar ao investir no estilo pesadão europeu imposto pelo técnico italiano Alberto Zaccheroni? Talvez o papel de azarão possa ajudar.

Qual é a história? O ronin Sanjuro chega a uma pequena vila no interior do Japão e descobre, na estalagem local, que a cidade é controlada por duas famílias criminosas. Sabendo disso, ele usa sua esperteza e habilidade com a espada para jogar uns contra os outros e lucrar com isso.

COSTA DO MARFIM: Preto-e-Branco em Cores (Noirs et Blancs en Couleur) - 1976

Ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 1977, a estreia do diretor Jean-Jacques Annaud - o mesmo de filmes como 'O Nome da Rosa', 'O Urso' e 'Sete Anos no Tibet' - é um tanto desconhecida do grande público. 'Preto-e-Branco em Cores' é uma sátira à guerra que se passa na região que hoje é a Costa do Marfim, e foi inteiramente filmado por lá. Na película, um bando de colonos franceses descobre, ao receber um jornal de meses atrás, que seu país está em guerra contra a Alemanha, nação que também possui colonos no local. Inebriados com seu "dever patriótico", usam os africanos (agora munidos de botas, armas e a devida "orientação espiritual") para um desastroso ataque a vila controlada pelos alemães. Mesmo que seja uma comédia de humor negro, a empolgação exacerbada sem muita organização pode muito bem explicar as participações da Costa do Marfim em mundiais. A seleção possui jogadores talentosíssimos como o artilheiro Didier Drogba, o meia pau para toda obra Yaya Touré e o rápido Salomon Kalou, mas acabam pecando pelo excesso de individualidade em um grupo onde os egos inflados dos jogadores são um grande obstáculo a superar. Fora o azar que deram nas duas últimas Copas do Mundo, onde caíram em grupos complicados. Mas este pode ser, finalmente, o ano de consagração dessa excelente geração dos Elefantes, pois, além da sorte no sorteio do Mundial, seus maiores craques estão mais experientes e escaldados.

Qual é a história? Um grupo de colonos franceses que vivem onde hoje é a Costa do Marfim descobrem, por meio de um jornal de meses atrás, que seu país está em guerra com a Alemanha. Inflados pelo tom patriótico da notícia, eles juntam alguns locais, dão equipamentos e "orientação espiritual" a eles e rumam para atacar uma aldeia controlada por alemães. Depois de uma derrota trágica e humilhante para os germânicos, um jovem e idealista geógrafo francês assume o controle da situação, instaura a ordem e coloca alguns tabus dos colonos à prova, como seu envolvimento amoroso com uma mulher local.

Imagens: Divulgação.