OPINIÃO
07/07/2015 15:02 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Entendendo o transtorno do estresse pós-traumático, dez anos depois do 7 de julho

Os sintomas do TEPT incluem pensamentos angustiantes ou pesadelos relacionados ao evento, uma tendência a evitar lembranças do evento, pensamentos e sensações negativas, distúrbios do sono e de concentração e propensão à irritabilidade. Muitos desses sintomas são comuns nos dias e semanas seguintes ao evento traumático; mas pessoas que sofrem de TEPT os enfrentam de forma recorrente. Eles podem ser graves a ponto de interferir na qualidade de vida das pessoas.

Peter Macdiarmid via Getty Images
LONDON, ENGLAND - JULY 07: A bus passes floral tributes placed next to a memorial remembering the victims of the London bus bombing 7/7 terrorist attacks on July 7, 2011 in London, England. Today marks the sixth anniversary of the terrorist attacks by four suicide bombers on the London Underground and a bus in Tavistock Square. Fifty-two people were killed in the 2005 attacks. (Photo by Peter Macdiarmid/Getty Images)

Para marcar os 10 anos dos ataques terroristas de 7 de julho em Londres, o HuffPost UK está publicando Beyond The Bombings (além dos atentados), uma série de entrevistas, blogs, artigos aprofundados e pesquisas exclusivas para entender como o Reino Unido mudou desde então.

O transtorno do estresse pós-traumático (TEPT) é um transtorno mental que afeta uma minoria de pessoas expostas a eventos traumáticos como os de 7 de julho de 2005. Embora incidentes terroristas de grande escala sejam reconhecidamente raros, cerca de dois terços das pessoas vão vivenciar um evento traumático em suas vidas. É claro que pessoas que têm certas ocupações (resgates emergenciais, forças armadas, condutores de trens, jornalistas etc.) estão sujeitas a lidar com vários eventos traumáticos ao longo de suas carreiras. A maioria das pessoas expostas a esses tipos de eventos sentem angústia a curto prazo, mas ela se resolve sem a necessidade de intervenção profissional. Uma minoria, porém, desenvolve o transtorno e muitas vezes não procura ajuda. Em vez disso, elas seguem em frente, apesar de os sintomas afetarem profundamente sua qualidade de vida; as evidências indicam que cerca de 70% das pessoas que sofrem de TEPT no Reino Unido não têm nenhum tipo de acompanhamento profissional. O transtorno do estresse pós-traumático tem impacto sobre familiares e pessoas queridas, colegas de trabalho e outros relacionamentos. As pessoas que têm problemas mentais, incluindo o TEPT mas não somente esse transtorno, têm propensão a ter mau desempenho no trabalho. No caso de ocupações que têm implicações de segurança (condutores de trens, por exemplo), isso pode significar consequências desastrosas para um grande número de pessoas.

Embora os ataques de Londres estejam completando 10 anos, basta olhar para o noticiário para perceber que há muitos eventos traumáticos no mundo. Eles afetam pessoas de todos os países. A vida depois de eventos traumáticos pode ser muito difícil para quem sofre de TEPT ou de outros transtornos mentais relacionados à exposição ao trauma, tal como a depressão clínica. Os sintomas do TEPT incluem pensamentos angustiantes ou pesadelos relacionados ao evento, uma tendência a evitar lembranças do evento, pensamentos e sensações negativas, distúrbios do sono e de concentração e propensão à irritabilidade. Muitos desses sintomas são comuns nos dias e semanas seguintes ao evento traumático; mas pessoas que sofrem de TEPT os enfrentam de forma recorrente. Eles podem ser graves a ponto de interferir na qualidade de vida das pessoas.

Ao contrário do que se retrata na mídia, muitas vezes o TEPT pode ser tratado. Há vários tratamentos psicológicos de efeito comprovado; informações sobre tratamentos baseados em evidências foram compiladas pelo Instituto Nacional para Excelência Clínica e de Saúde, apesar de o documento ter dez anos e merecer uma atualização num futuro próximo. Depois dos atentados de Londres, 217 pessoas foram tratadas com terapias baseadas em evidências, e a maioria apresentou melhoras depois de um ano de completado o tratamento.

Em alguns casos, quando as pessoas foram sujeitas a um trauma particularmente grave ou prolongado, o transtorno é mais complexo, e uma plena recuperação pode demorar muito mais tempo. Os sintomas desse "TEPT complexo" incluem os do TEPT, mas também dificuldades significativas de controlar o humor, uma visão de si próprio significativamente negativa e problemas de interação social. Quem sofre de TEPT complexo também pode ter problemas com o álcool ou outras substâncias e sofrer de outros problemas mentais, como depressão.

Em resumo, a maioria das pessoas expostas ao trauma mantém a resiliência. Uma minoria terá problemas mentais, como o TEPT. Em geral, é uma condição que pode ser tratada, mas muitas pessoas não procuram ajuda. A boa notícia é que a ajuda pode ser eficaz mesmo depois de muito tempo, e nos últimos dez anos nosso entendimento das terapias melhorou consideravelmente. Por exemplo, agora existem boas evidências de que terapias remotas (por Skype ou telefone, por exemplo) podem ter tão eficazes quanto as consultas presenciais. Embora o NHS nem sempre possa oferecer acesso rápido aos tratamentos corretos, discutir preocupações relacionadas aos traumas com seu clínico geral pode ser um bom primeiro passo.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost UK e traduzido do inglês.