OPINIÃO
08/12/2014 11:20 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Quatro estratégias de sobrevivência para as festas de dezembro

Dezembro pode ser um mês de alegria, mas quase sempre vem acompanhado de estresse.

Alan Powdrill via Getty Images

Dezembro pode ser um mês de alegria, mas quase sempre vem acompanhado de estresse.

Não apenas porque temos de acelerar o trabalho para não levar pendências para o ano seguinte.

Também não é só porque nos vemos pressionadas a encontrar o presente perfeito, o peru perfeito, os enfeites perfeitos... E tudo dentro do orçamento.

A grande fonte de desgaste, nessa época do ano, é justamente o dever de estarmos felizes e unidos - sentimentos que não nascem por força do calendário.

De fato, amigos-secretos, Natal e Réveillon têm o poder de revelar o melhor e o pior de cada um: pessoas, lugares, sons e cheiros podem disparar, em nós, estados emocionais negativos, como ansiedade, raiva e tristeza.

Eu não sei como costumam ser as suas confraternizações de fim de ano, mas, em muitas famílias e empresas, é comum que pelo menos duas pessoas não se falem.

É nessa hora que começam a pesar o avô desmemoriado, a secretária fuxiqueira, a partida da amiga de infância e o chefe que desaparece antes da troca de presentes.

Talvez você já esteja ensaiando uma resposta para a colega do Ensino Médio que vai perguntar quantos quilos você engordou ou o cunhado, que faliu de novo e vai pedir algum, "só mais essa vez". Sem contar a sogra, que vai depreciar o pavê que você fez, enquanto lambe todo o creminho que sobrou no prato.

Pode ser que, nesses eventos, o convidado mais sincero seja aquela adolescente que faz cara de nojo para tudo. Quiseram todos, como ela, poder resmungar sem sofrer consequências: "eu não queria estar aqui!"

A menos que você esteja lendo esse texto em um ashram, não vai escapar de um evento desses. Para atravessar a ocasião com mais tranquilidade, aí vão algumas ideias:

1. Mime-se: Reserve 15 minutos diários para o me time, cercando-se de pessoas e coisas que te fazem bem. Que tal um brinde a você mesma?

2. Rasgue o script: Pare de comparar a sua turma com a dos outros. Desista de ter uma família como a do comercial de peru, porque gente sem noção há em todo lugar e ainda não inventaram um termômetro que avise a hora de calar a boca.

3. Eleja um amigo: Ao menos um membro da família ou da empresa deve ser interessante. Se a ideia de interagir com o grupo for assustadora, refugie-se na companhia dessa pessoa. Ou vá levar um pedaço de panettone para o porteiro e escute as histórias dele.

4. Dê uma chance: Se o seu nível de paciência estiver razoável, experimente se aproximar de alguém com quem você não simpatiza muito. Você pode descobrir que ele não é tão mala assim, e que tem dores e sonhos, como você.

P.S.: Festas existem para ser divertidas. Acima de tudo, seja verdadeira consigo mesma e decida fazer o que for necessário para registrar, de agora em diante, novas e felizes memórias de fim de ano.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

TAMBÉM NO BRASIL POST: