OPINIÃO
01/07/2014 15:13 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Perto de jogos internacionais, games indies brasileiros já demonstram qualidade

O mercado de games independentes no mundo inteiro funciona como uma feira gigante de startups, de pequenas empresas. E o Brasil já mostra que tem qualidade ao fazer jogos.

Reprodução

O mercado de games independentes no mundo inteiro funciona como uma feira gigante de startups, de pequenas empresas. Muitas ideias bacanas, algumas ideias geniais, algumas iniciativas fracassadas, outras medíocres e poucas que nascem com potencial de mudar tudo. Os "indies" pelo menos fogem daquelas conferências monôtonas da Electronic Arts na E3, que costumam apresentar os mesmos jogos com algumas features adicionais apenas para vender mais continuações.

Entre os dias 10 e 18 de maio, o Centro Cultural Vergueiro de São Paulo recebeu o Brazil's Game Festival (BIG). A segunda edição foi neste ano de 2014, sendo que a primeira ocorreu no final de 2012. Apesar de ser um evento brasileiro, com patrocínio do BNDES e da Prodesp, é uma feira com competição de jogos independentes e aberta aos internacionais. A pessoa poderia ir ao evento e experimentar os games de graça. Os juízes decidiram quais foram os melhores e a lista de vencedores surpreende, porque o Brasil mostra que tem qualidade ao fazer jogos.

Premiados do BIG 2014

Melhor jogo do festival: "Nom nom Galaxy", da Q-games do Japão

Melhor jogo não finalizado: "Jotuheim Project", da Prosperity Games do Brasil

Melhor arte: "Gorogoa", de Jason Roberts dos Estados Unidos

Melhor som: "Crypt of the NecroDancer", da Brace Yourself Games do Canadá

Melhor narrativa: "Framed", da Loveshack da Austrália

Melhor jogabilidade: "Lovers in a dangerous spacetime", da Asteroid Base do Canadá

Melhor jogo pelo voto popular: "Aritana e a Pena da Harpia", da Persis Duaik do Brasil

Game revelação do Brasil: "Like a Boss", da nacional Fire Horse Studio

Tirando o prêmio brasileiro de revelação, nosso país foi reconhecido no voto popular e com o projeto Jotuheim ainda em desenvolvimento, um jogo de batalhas em turnos com heróis nórdicos mecanizados. Na premiação do BIG, o Brasil ficou equivalente ao Canadá, país já reconhecido no circuito internacional. Estados Unidos e Japão asseguraram presença no evento, além de serem os dois países de berço da grande indústria de jogos digitais. Austrália surpreendeu com seu prêmio de narrativa.

A lista dos finalistas do BIG 2014 mostra uma diversidade de países desenvolvendo jogos independentes.

Melhor jogo não finalizado

Jotunheim Project (Vencedor) - Prosperity Games - Brasil

Cheesecake Cool Conrad - Reload Game Studio - Brasil

Satellite Rush - Kimeric Labs - Brasil

Slipstream GX - Airtime Productions - Brasil

Tuuf - Orunz - Brasil

Cake Scraper - Playerum - Brasil

Star Vikings - Rogue Snail - Brasil

Melhor Arte

Gorogoa (Vencedor) - Jason Roberts - Estados Unidos

Ballpoint Universe - Arachnid - Estados Unidos

Nom Nom Galaxy - Pixel Junk - Japão

Secrets of Raetikon - Broken Rules - Áustria

Tengami - Nyamyam - Reino Unido

Melhor Som

Crypt of the Necrodancer (Vencedor) - Brace Yourself Games - Canadá

Ephemerid - SuperChop Games - Estados Unidos

Icycle - Damp Gnat - Reino Unido

Tengami - Nyamyam - Reino Unido

The Stanley Parable - Galactic Cafe - Estados Unidos

Melhor Narrativa

Framed (Vencedor) - Loveshack - Austrália

Octodad, Deadliest Catch - Young Horses - Estados Unidos

Papers, Please - Lucas Pope - Japão

The Banner Saga - Stoic - Estados Unidos

The Stanley Parable - Galactic Cafe - Estados Unidos

Melhor Gameplay

Lovers in a Dangerous Spacetime (Vencedor) - Asteroid Base - Canadá

Blek - kunabi brother - Áustria

Bounden - Game Oven - Holanda

Drei - Etter Studio - Suíça

Nom Nom Galaxy - Q-Games - Japão

Voto popular

Aritana e pena da Harpia (Vencedor) - Persis Duaik - Brasil

Revelação Brasil

Like a boss (Vencedor) - Fire Horse Studio - Brasil

Aritana e a pena da Harpia - Persis Duaik - Brasil

Chroma Squad - Behold Studios - Brasil

Headblaster - Loud Noises - Brasil

Ninjin - Pocket Trap - Brasil

Melhor Jogo

Nom Nom Galaxy (Vencedor) - Q-Games - Japão

Gorogoa - Jason Roberts - Estados Unidos

Lovers in a Dangerous Spacetime - Asteroid Base - Canadá

Papers, Please - Lucas Pope - Japão

The Stanley Parable - Galactic Cafe - Estados Unidos

De oito categorias do prêmio, o Brasil é dono exclusivo de duas delas. No voto popular, é o Brasil que levou o BIG 2014 neste ano. Fora nosso país, o Japão, os Estados Unidos e o Canadá exibem uma cena indie criativa e diversificada.

Perto de jogos internacionais, games indies brasileiros já demonstram qualidade. Quer contribuir para a expansão de nossa indústria? Procure estes jogos do Brasil qualificados no BIG. Baixe, compartilhe, critique e, sobretudo, conheça o que seu próprio país produz no universo dos videogames.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para ver as atualizações mais rápido ainda, clique aqui.

MAIS GAMES NO BRASIL POST:

Galeria de Fotos Personagens de video game depressivos Veja Fotos