OPINIÃO
26/12/2014 15:33 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:03 -02

Sim: Movimento No a la Baja. Não: bancada da bala

No Uruguai, os jovens do movimento No a La Baja convenceram o povo uruguaio de que reduzir a maioridade não funciona. Tiro o chapéu pra eles.

reprodução

Em 2014 eu tiro o chapéu para o Movimento No a la Baja: no início do ano fui procurado por um grupo de jovens uruguaios que estavam preocupados com o referendo que ocorreria em outubro sobre a redução da maioridade penal. As pesquisas indicavam uma ampla vitória do Sim (à redução).

Esses jovens lideraram uma linda campanha, envolvendo igrejas, sindicatos, setores de diversos partidos e conseguiram, a partir de uma grande mobilização, convencer o povo uruguaio de que reduzir a maioridade não funciona (não diminui a criminalidade) piora a situação (coloca jovens na escola do crime que é a cadeia) e é errado (não devemos prender nossos adolescentes). Resultado: 52% dos uruguaios rejeitaram a redução da maioridade penal em outubro.

E dou unfollow na bancada da bala. Parlamentares financiados pela indústria armamentista se mobilizaram neste final do ano para fazer valer o dinheiro que receberam e organizaram uma comissão especial para REVOGAR o estatuto do desarmamento. Há muitas pesquisas sérias que mostram a importância do estatuto do desarmamento na diminuição da violência em lugares onde ele foi corretamente aplicado.

A revogação do estatuto traria mais força para o crime organizado e aumento de violência. Já somos o país onde mais se mata no mundo. Não podemos aceitar tal retrocesso.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost