OPINIÃO
26/12/2014 15:33 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:03 -02

Sim: Movimento No a la Baja. Não: bancada da bala

reprodução

Em 2014 eu tiro o chapéu para o Movimento No a la Baja: no início do ano fui procurado por um grupo de jovens uruguaios que estavam preocupados com o referendo que ocorreria em outubro sobre a redução da maioridade penal. As pesquisas indicavam uma ampla vitória do Sim (à redução).

Esses jovens lideraram uma linda campanha, envolvendo igrejas, sindicatos, setores de diversos partidos e conseguiram, a partir de uma grande mobilização, convencer o povo uruguaio de que reduzir a maioridade não funciona (não diminui a criminalidade) piora a situação (coloca jovens na escola do crime que é a cadeia) e é errado (não devemos prender nossos adolescentes). Resultado: 52% dos uruguaios rejeitaram a redução da maioridade penal em outubro.

E dou unfollow na bancada da bala. Parlamentares financiados pela indústria armamentista se mobilizaram neste final do ano para fazer valer o dinheiro que receberam e organizaram uma comissão especial para REVOGAR o estatuto do desarmamento. Há muitas pesquisas sérias que mostram a importância do estatuto do desarmamento na diminuição da violência em lugares onde ele foi corretamente aplicado.

A revogação do estatuto traria mais força para o crime organizado e aumento de violência. Já somos o país onde mais se mata no mundo. Não podemos aceitar tal retrocesso.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.