OPINIÃO
22/09/2014 11:19 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Como saber se você está na medida certa

Para determinar se uma pessoa está no peso ideal, a referência mais frequente é o Índice de Massa Corporal (IMC), mas muitos outros fatores devem entrar nessa conta.

Shutterstock / lenetstan

Por Julia Zanolli, do Jornalistas que Correm

Para determinar se uma pessoa está no peso ideal, a referência mais frequente é o Índice de Massa Corporal (IMC), ou seja: seu peso dividido pela altura ao quadrado.

Mas muitos outros fatores devem entrar nessa conta, sobretudo no caso dos corredores. Como a massa muscular é mais pesada do que a gordura, você pode começar a se exercitar e ver o ponteiro da balança até aumentar. Portanto, o peso não é o único elemento a ser considerado.

Para saber quais são suas medidas ideais, o ideal é procurar um profissional que possa avaliar seu corpo, seu estado de saúde e seus objetivos. Paulo Correia, fisiologista do exercício e do esporte e ex-atleta olímpico, da Nutriativo, ajuda a entender todos os fatores que devem ser levados em conta para descobrir se você está em forma.

Jornalistas que Correm Quais elementos são levados em conta na hora de definir o peso e as medidas ideais para cada pessoa?

Paulo Correia Questões como genética, sexo, etnia e idade influenciam muito. Outro fator importante é o objetivo de cada pessoa no esporte, se ela é sedentária ou se já se exercita. Um exemplo: imagine um corredor de provas de fundo, um judoca e um frequentador de academia. Dependendo do nível esportivo destes indivíduos, teremos vários parâmetros.

JQC Por que o IMC não é a única coisa a ser considerada?

Correia Porque é uma referência genérica, longe de ser um parâmetro de saúde. O que vale é a composição corporal, considerando massa metabólica (órgãos e músculos) e massa extra-metabólica (ossos, ligamentos, tendões, alimento, fezes, água), que são componentes de baixo ou nenhum consumo de energia. Avalia-se também a massa gorda (gordura corporal total incluindo a gordura subcutânea e visceral). Aí sim você conhece o indivíduo por dentro.

JQC Existe algum diferencial no caso dos corredores?

Correia Claro. Os velocistas, corredores de provas de 100, 200 e 400 metros são muito fortes e têm uma massa muscular exacerbada. Já os fundistas têm uma resistência muscular bem treinada, o que os deixa com a musculatura bem menor e com pouca massa gorda. Dependendo do nível deste corredor poderemos encontrar atletas com 5% de gordura. Com este percentual de gordura, um corredor amador já está arriscando sua saúde.

JQC Existe algum índice que represente um perigo maior para a saúde?

Correia Altos percentuais de gordura corporal indicam que há uma grande quantidade de gordura visceral (gorduras em vísceras, como fígado e coração), o que representa risco à saúde. No entanto, a magreza demasiada também é um grande fator de risco.

Post originalmente publicado no site Jornalistas que Correm

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

VEJA TAMBÉM NO BRASIL POST:

  • Orla da Zona Sul no Rio de Janeiro
    Orla da Zona Sul no Rio de Janeiro
    Reprodução/Mobilize
    O Rio de Janeiro é a cidade com o maior número de ciclovias do Brasil com 350 km de pistas exclusivas, perdendo apenas para Bogotá no continente americano. Poucas paisagens urbanas do mundo se comparam com a beleza da mistura de mar e montanha encontrada no Rio.
  • Os canais de Amsterdã
    Os canais de Amsterdã
    Reprodução/Mobilize
    A capital mundial da bicicleta continua firme como um dos melhores destinos turísticos dos ciclistas. Praticamente todas as ruas da cidade possuem ciclovias, ainda que todas estejam sempre cheias, Amsterdã é um dos poucos locais do mundo que existe trânsito de bicicletas.
  • Ande sobre o Rhône em Lyon
    Ande sobre o Rhône em Lyon
    Reprodução/Mobilize
    A cidade francesa de Lyon inventou o sistema de aluguel de bicicletas que hoje existe pelo mundo inteiro. Um dos maiores destaques deste local são as centenas de quilômetros de ciclovias que percorrem a extensão de seus dois rios: o Rhône e o Saône.
  • Viaje pela Carretera Austral no Chile
    Viaje pela Carretera Austral no Chile
    A Carretera é uma enorme estrada não pavimentada que corre por quase 1000 quilômetros norte a sul do Chile. Ela perpassa por alguns dos locais mais belos da América Latina incluindo lagos, montanhas e geleiras. A rota só fica aberta durante o verão, já que pode ser encoberta facilmente pela neve.
  • Evite subidas no Salar de Uyuni
    Evite subidas no Salar de Uyuni
    Reprodução/Mobilize
    O Salar de Uyuni é o maior deserto de sal do mundo. Localizado na Bolívia, sua principal característica é a ausência de qualquer tipo de declive. O chão de sal funciona bem com as rodas da bicicletas e é umapaisagem totalmente diferente de qualquer outra coisa.
  • Visite toda a Ilha de Páscoa de bicicleta
    Visite toda a Ilha de Páscoa de bicicleta
    Reprodução/Mobilize
    A ilha de Páscoa é um dos lugares mais encantadores do mundo, com seus misteriosos e gigantescos Moai. Existe uma trilha de terra batida para bicicletas que circula por toda a região e que passa por todas as estátuas famosas da ilha.
  • Conheça os castelos do Vale do Loire
    Conheça os castelos do Vale do Loire
    Reprodução/Mobilize
    O Vale do Loire fica no coração da França, e é uma região idolatrada pelos seus palácios suntuosos. Ainda que nem todas as rodovias do Loire sejam feitas para bicicletas, todos os motoristas são respeitosos o suficiente para garantir que este seja um dos melhores passeios da sua vida.
  • Corra nas trilhas de terra batida de Angkor
    Corra nas trilhas de terra batida de Angkor
    Reprodução/Mobilize
    Uma das construções mais belas do mundo é, sem dúvidas, o templo de Angkor no Cambodia. A região é repleta de pequenas trilhas de terra batida que são perfeitas para explorar os diferentes templos locais.
  • Percorra Copenhague de Bike
    Percorra Copenhague de Bike
    Reprodução/Mobilize
    Copenhague é considerada uma das melhores cidades para se andar de bicicleta no mundo, com uma estrutura praticamente ideal. Mais da metade de todas as rodovias da cidade possuem faixas para ciclistas, e a beleza da cidade apenas ajuda a tornar esta viagem ainda mais atrativa.
  • Volte a década de 50 em Havana
    Volte a década de 50 em Havana
    Reprodução/Mobilize
    Havana possui menos estrutura para ciclistas do que outras cidades na lista, mas suas largas ruas, repletas de carros antigos, costumam a dar muito espaço para bicicletas. Uma das capitais da prática na América Latina, Havana tem muito a oferecer a todos os seus ciclistas.