OPINIÃO
12/07/2018 19:35 -03 | Atualizado 12/07/2018 19:35 -03

Balanção da Copa da Rússia: O desempenho de cada jogador da Seleção Brasileira

Eliminada nas quartas de final pela Bélgica, equipe de Tite teve bons destaques no Mundial.

EMPICS Sport
Neymar sai em alta ou em baixa após a Copa da Rússia?

A Copa da Rússia acabou. Pelo menos para a Seleção Brasileira. Eliminada pela Bélgica nas quartas de final, a equipe já pegou o voo de volta para o Brasil e assistirá, pela televisão, a briga das seleções remanescentes pelo título do torneio.

Apesar da inesperada queda contra uma seleção sem tradição em Copas, nem tudo foi negativo na campanha brasileira nos 5 jogos disputados até a eliminação na última sexta-feira (6), em Kazan.

Mostraremos, na lista a seguir, quem deixou a Copa da Rússia com a moral elevada junto aos torcedores brasileiros e quem terá que suar muito a camisa em seus clubes para voltar a ser chamado por Tite – ou por um novo treinador – para os próximos compromissos da Seleção.

Em alta

Fagner: Convocado para ser reserva de Danilo, do Manchester City-ING, o lateral-direito corintiano surpreendeu e acabou tomando a posição de titular, mesmo depois de Danilo se recuperar de lesão. Sai bem com a torcida e pode seguir tendo chances, ao menos nos amistosos preparatórios para o próximo ciclo de Copa.

Soccrates Images via Getty Images
Miranda deixou a Copa como um dos melhores jogadores da Seleção na competição.

Miranda: Outro jogador que fez uma Copa acima da média. O zagueiro da Inter de Milão foi praticamente impecável e está com moral perante o técnico e a torcida.

Thiago Silva: A imagem de "chorão" da Copa 2014 ficou definitivamente para trás. Thiago Silva formou, ao lado de Miranda, uma das defesas mais seguras da Copa, mas, por ironia do destino, acabou dando adeus ao Mundial no único jogo em que não foi perfeito.

Filipe Luis: Começou a Copa na reserva de Marcelo, mas foi titular por um jogo e meio graças à lesão nas costas do camisa 12. Atuou muito bem e chegou a ser cogitado como novo titular da posição. Mostrou futebol para se manter nas futuras convocações.

MB Media via Getty Images
Casemiro foi um "monstro" no meio-campo do Brasil e fez muita falta na partida em que a Seleção foi eliminada.

Casemiro: Que falta fez o jogador do Real Madrid-ESP na partida que decretou a eliminação do Brasil diante da Bélgica! Casemiro foi a sustentação do meio-campo e o ponto de equilíbrio da equipe nos 4 primeiros jogos, e mostrou que tem um longo futuro com a camisa 5 da Seleção.

Philippe Coutinho: Melhor jogador em campo no empate contra a Suíça e na vitória sobre a Costa Rica, caiu um pouco de produção quando alcançou o status de protagonista. Mesmo assim, deu assistência para o primeiro gol na vitória sobre a Sérvia e no gol marcado por Renato Augusto na derrota diante da Bélgica.

Renato Augusto: Entrou muito bem contra a Bélgica e fez o gol na derrota por 2 a 1. Só não jogou mais por causa de uma lesão sofrida no período preparatório, mas certamente mantém sua reputação intacta junto à comissão.

Roberto Firmino: Virou "queridinho" da torcida durante o Mundial, especialmente pelas fracas atuações de Gabriel Jesus. Tem ótimas chances de permanecer no grupo.

Icon Sportswire via Getty Images
Ótima Copa do Mundo de Douglas Costa, que só não virou titular após a vitória sobre a Costa Rica por conta de uma lesão.

Douglas Costa: A lesão sofrida na vitória sobre a Costa Rica atrapalhou, mas Douglas Costa sai da Copa com muito mais moral do que entrou, e tem ótimas chances de seguir nas futuras convocações, com ou sem o técnico Tite.

Tite: O técnico fecha a lista dos que saem em alta. Apesar dos questionamentos sobre algumas decisões tomadas na partida contra a Bélgica, o gaúcho segue com moral com a torcida e com os dirigentes, que já ofereceram a ele mais 4 anos de contrato.

Em baixa

Paulinho: Apesar do gol marcado na vitória contra a Sérvia, Paulinho não foi sombra do jogador que a torcida se acostumou a ver.

Chris Brunskill/Fantasista via Getty Images
Fernandinho foi um dos piores em campo contra a Bélgica e saiu em baixa do Mundial.

Fernandinho: Remanescente do 7 a 1 em 2014, não conseguiu, como fez Thiago Silva, dar a volta por cima, e acabou saindo de campo na eliminação diante da Bélgica como principal alvo de críticas. Tem 31 anos e, apesar dos elogios de Tite, sai em baixa com o torcedor.

Willian: O "foguetinho", como Tite gosta de chama-lo, tinha tudo para ser protagonista na Copa, e mostrou isso contra o México, nas oitavas de final. Mas foi só isso. Nas outras 4 partidas da Seleção, ficou devendo futebol.

Carl Recine / Reuters
Certamente uma das grandes decepções da Copa. Cotado para brigar pela artilharia antes do início da competição, deixou o Mundial sem marcar um único gol, fato raro entre os camisas 9 da História da Seleção.

Gabriel Jesus: O esforço mostrado na ajuda à marcação aos adversários não foi suficiente para o torcedor se esquecer de que pela primeira vez em muito tempo um camisa 9 da Seleção Brasileira deixou a Copa do Mundo sem fazer um único gol. E como seus gols fizeram falta, Gabriel! Sai em baixa com o torcedor, mas não com a comissão, que elogiou frequentemente seu empenho em campo.

Danilo: O lateral do Manchester City-ING sofreu com lesões e teve pouco tempo para mostrar que mereceu a convocação. Mesmo assim, quando se recuperou, perdeu a posição para Fagner nos treinos.

Neutros

Alisson: Goleirão da Roma não chegou a comprometer na desclassificação, mas também não fez o que se espera de um goleiro de Seleção. Por conta disso, entra na lista dos "neutros".

NurPhoto via Getty Images
Vinha em ótima sequência até se lesionar no início do jogo contra a Sérvia. Voltou diante da Bélgica, mas longe da melhor forma.

Marcelo: Vinha sendo uma das melhores figuras da Seleção até se lesionar. Ficou fora de uma partida e meia e, em sua volta, não apresentou o que sabe.

Cássio, Ederson, Geromel, Marquinhos, Fred, Taison: Exceção feita a Marquinhos, que entrou em campo por alguns minutos, os outros 4 atletas não podem ser avaliados, pois não foram testados.

Avaliação especial

David Gray / Reuters
Neymar marcou 2 gols, quebrou recordes, mas ficou abaixo do esperado.

Neymar: O camisa 10 da Seleção ficou por último por que merece uma reflexão especial. Afinal de contas, Neymar sai da Copa em alta, neutro ou em baixa?

Pelas últimas entrevistas do técnico Tite e de Edu Gaspar, coordenador de Seleções da CBF, ao menos com a comissão técnica o jogador do PSG segue com moral.

Ao se fazer uma análise fria, sem emoções ou julgamentos sobre o comportamento dele fora do campo, focado apenas no desempenho do jogador, é justo dizer que Neymar não se apresentou da forma que um aspirante ao título de melhor do mundo poderia fazer. Mas é injusto dizer que foi de todo mal.

Neymar marcou 2 gols no Mundial – pouco para um atleta de sua categoria -, mas começou a Copa se recuperando de uma grave lesão. Apanhou muito – encenou algumas vezes, claro, e até virou meme mundial, mas apanhou.

Mesmo assim, quebrou recordes, foi o melhor em campo contra a Sérvia, chamou a responsabilidade e mostrou que talento não lhe falta para, em 2022, no Quatar, finalmente carregar o time rumo à sexta estrela e, quem sabe, ao posto de melhor jogador do planeta.

E então: Neymar sai em baixa, neutro ou em alta da Copa da Rússia? Deixem seus comentários.

*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.