OPINIÃO
17/06/2014 14:00 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Sinceramente, esse debate deu preguiça

É normal mandar a presidente para aquele lugar num estádio. É normal também a presidente fingir que está indignada. E, pensando bem, é normal os coxinhas ficarem bravos. Pensando bem, esse papo todo é normal.

JF DIORIO/ESTADÃO CONTEÚDO

É isso minha gente. Realmente não dá para a torcida brasileira mandar a presidente tomar no cu. É falta de educação. Essa torcida não foi bem escalada. Quem escalou? Cadê o Felipão? Sou a favor da CBF escalar uma torcida mais educada para o próximo jogo. E cadê o juiz? Compra logo um juiz japonês para dar cartão vermelho para essa torcida mal educada!

Eu sou daqueles que perde o amigo, mas não perde a vaia. Num estádio, eu sempre vaio o presidente. Mesmo se for mulher. Mesmo se for mulher, negra, anã e deficiente. Vaio sem dó. Se for presidente, eu vaio. Mesmo o presidente que eu apoio, eu vaio. Voto nele no dia seguinte, mas na hora do jogo, eu vaio. Também vaio o presidente da FIFA. Só não vaio o artilheiro quando está jogando. Mas saiu sem gol, eu vaio. O juiz eu vaio sempre. Mesmo se for oriundo de exóticos povos orientais, mesmo se roubar para meu time... Eu vaio. Vaio por princípio. Qualquer um que usa terno ou roupa preta, eu vaio.

Sempre fui assim. Li o Nelson Rodrigues, achei que vaiar era o certo. Por mim vaiava até no cinema. Eu, Cuba, amei ver como o público torce no cinema. Sempre achei legal essa vibração.

Mas agora descobri que sou deseducado e não construo uma boa imagem do Brasil. Li no Facebook e vi na tia Globo. Esse tipo de comportamento bárbaro vai diminuir o turismo. Imagina o gringo pensando: "Eu não vou voltar a esse país. Eles são alegres, divertidos, têm umas gostosas. Mas são deseducados e vaiam a presidente. Assim não dá".

E me disseram que vaiar até pode, mas não pode mandar tomar no cu. Ah, isso não! Brasileiro é povo educado, não fica por ai falando cu em público. Há anos nosso Carnaval virou oficial, já foi a época do carnaval baixaria. Até cu de gostosa hoje só aparece na TV se não tiver celulite. Aqui tá tudo organizado. Brasileiro agora já ganhou bolsa do ProUni, fez faculdade particular e não fala mais palavrão!

Pior foi o artigo da Folha, "Desculpas, dona Dilma". O indignado jornalista, usando o status social de quem é nascido e criado na ZL, mas venceu na vida e conseguiu emprego, afirma que o povo de lá é educado e jamais xingaria a presidente. Ele admite não ter procuração da sua tribo, mas não hesita em falar em nome de sua etnia (ele não tem preconceito, mas trata a ZL como se fosse uma etnia separada do resto do povo brasileiro. E jura que não tem preconceito e ainda vai dizer que eu é que tenho preconceito!. E ele afirma que o povo da ZL foi educado a dar tapa na boca de quem "manda a senhora àquela parte". Nem cu o moço fala. Sua etnia inteira não fala cu em público, ele garante. Com seu currículo de ex-pobre e seus valores politicamente corretos o moço provou que no subúrbio também tem ótimas coxinhas! E já se habilitou a dar entrevista politicamente correta na TV. Vai ser um sucesso!

Pior ainda que quem xingou foi a turma do camarote. Foi a elite! Ah, isso não! Quem vaiou foi a elite. Isso é oportunismo! Se fosse pobre, tudo bem. Mas rico playboy xingar a presidente é oportunismo.

Gente, ninguém percebe o absurdo disso? Isso é classismo contra os pobrezinhos dos milionários nacionais, uma classe que também cresce a cada dia! O povo pobre tem que ter mais compaixão com os reis do camarote. Afinal onde mais - senão num estádio de futebol e com a Dilma do lado oposto - os coxinhas amigos do Luciano vão conseguir gritar "Vai tomar no cu". Aonde mais? Já pensaram nisso? Nem no estádio os caras vão. Foi chance única. Deixa os moços "mandarem a senhora àquela parte" uma vez na vida, pô! Foi uma 'conquista vocabular'! Devem ter tirado uns traumas bravos de infância só por ter gritado cu em público! Deixa os moços!

E agora, falando sério, alguém percebeu o teor desse papo todo? O que mais me assusta é a aliança entre petistas a favor da Dilma e conservadores educadinhos nacionalistas. Todos dizendo que temos que ser educados.

Tem o pessoal preocupado com a imagem do Brasil para o exterior falando: pode odiar a vaca, mas não pode xingar em público. Primeiro o turismo, depois a gente derruba a velha.

Tem o moço ex-pobre que ficou revoltado e afirmou: eu sou pobre, mas sou limpinho! Será isso o novo orgulho Classe C?

É isso? E tem gente que acha que é progressista? Antigamente a esquerda era a turma do Pasquim. Agora é esquerda limpinha?

Sinceramente, esse debate deu preguiça.

É normal mandar a presidente para aquele lugar num estádio. É normal também a presidente fingir que está indignada. E, pensando bem, é normal os coxinhas ficarem bravos. Pensando bem, esse papo todo é normal. Só serve mesmo para a gente ver os tipos nacionais e dar umas risadinhas leves.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.