OPINIÃO
02/09/2014 18:54 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Impressões sobre autoaceitação

As coisas estão ruins? Assuma o controle! Seja a pessoa no comando da situação... Aquela que você confia. Faça tudo porque você merece. E não por causa das expectativas dos outros.

Getty Images

Dia 31 de julho foi o dia do nutricionista.

Eu sou quase-nutricionista, estou nos estágios obrigatórios na universidade e creio cabem algumas reflexões. Recentemente participei de um evento organizado pelos acadêmicos de nutrição da USP, e fiquei muito feliz com a receptividade e por ter encontrado mentes mais flexíveis.

Eu já decidi que rompo com a visão higienista-tecnicista-reducionista-simplista de enxergar a alimentação humana dentro da relação "calorias ingeridas & gasto energético". Recebo muito reconhecimento de professores e nutricionistas e renovo meu ânimo para continuar compondo uma minoria, porém convicta.

(palavras do meu colega que comanda a página "Nutrição Sem Modismo")

Sou autora de um blog que questiona padrões de beleza, representação midiática, preconceitos e transtornos do comportamento alimentar. Mas, acima de tudo, sou uma pessoa que defende a autoaceitação e o amor próprio. Para todos.

Repito: para todos.

Isso significa que acredito que todas as pessoas com todas as situações corporais e constituições físicas possíveis podem desenvolver uma relação de cooperação com seu corpo e romper com as amarras de padrões (estou querendo dizer que meu discurso não é exclusivo para pessoas acima do peso).

Falar de aceitação entre as pessoas que têm transtorno alimentar restritivo (anorexia e bulimia), ou outros tipos de dificuldades para lidar com seu corpo é sempre muito bem compreendido e muito bem aceito. Sem problemas.

Só que quando "aceitação" e "gordo" se juntam na mesma frase, ocorre um grande surto de desespero mental e começam as queixas:

- comodismo!

- autopiedade!

- desleixo!

- NÃO PODE!

Acho engraçado que todos possam fazer um exercício de auto-acolhimento e de construção do amor próprio. É lindo. Mas, segundo nutricionistas desesperados, o único indivíduo que vai se aceitar e em seguida não vai querer mudar mais nada é o obeso.

Pois sim. A preocupação é precisamente essa: o obeso lerá meu blog, vai aceitar as coisas como são e vai comer, comer, comer, comer, comer e comer até o óbito.

(Gah!)

Interessante, de fato. Porque comer mais, para uma anoréxica, é tão difícil quanto comer menos, para um obeso. Mas somente o obeso não é digno de confiança. Só ele.

Crença fundamental n.1 - A pessoa obesa é um rinoceronte descontrolado.

Crença fundamental n.2 - A pessoa obesa PRECISA de rédeas.

Crença fundamental n.3 - A pessoa obesa tem uma tendência universal ao comodismo.

Crença fundamental n.4 - A pessoa obesa merece a punição que lhe for dada (afinal, como pode alguém se permitir chegar naquele tamanho?!).

"- Aaaah, mas a obesidade é uma doença com risco de morte!"

Sim. É.

E a anorexia nervosa também é. No entanto, o que ocorre é que a figura da anoréxica representa disciplina e controle, então entende-se que ela não terá problemas se desistir de uma dieta. O gordo é, por essência, um sem vergonha.

Gostaria de deixar claro que a mensagem passada pelo blog jamais foi e nem jamais será "deixe as coisas como estão." Jamais.

O mecanismo de autoaceitação promove melhoras de hábitos de autocuidado como: escolhas alimentares mais saudáveis e início da prática de atividade física.

A pessoa que se aceita, aprende a se amar. E quando ela se ama, ela não se maltrata. Simplesmente porque desamor e carinho não podem existir juntos. "Serenidade" e "obsessão" não coexistem.

E se você descobrir qual sentimento está escondido por trás da vontade de comer um bolo inteiro? É inadequação? É insegurança? É frustração? É raiva?

E se você tiver a coragem de encarar seus fantasmas de frente?

Um corpo físico e mentalmente saudável sabe o que fazer. Quando tudo retorna ao seu lugar, sem o stress causado pela dieta e pela restrição, as diretrizes a serem seguidas são nossos comandos corporais de fome/saciedade/descanso/atividade. Comandos que são perfeitos e confiáveis, mas que em algum momento fizemos a escolha de virar as costas.

Ninguém nunca disse que ser obeso é a melhor coisa do mundo. Eu apenas acredito que quando a pessoa volta para ela, desiste de soluções falidas como começar a dieta nº 530, não nega um só fio de cabelo da sua cabeça e resolve assumir a responsabilidade por sua situação de vida. As coisas melhoram. Estou falando de autonomia e do domínio de ferramentas para cuidar do próprio corpo. Autocuidado. Feito com amor; feito com desejo de transformação.

  • Abandonar a prisão da restrição não é um ato de autopiedade.
  • Assimilar a própria imagem no espelho por mais que ela doa não é um ato de autopiedade.
  • Aceitar que existe um problema muito profundo ocorrendo, que vai além da briga com a balança não é um ato de autopiedade.
  • Decidir mexer o corpo que o mundo inteiro grita que é horroroso não é um ato de autopiedade.
  • Lutar para ter paz de corpo e mente não é um ato de autopiedade.
  • Ser obeso e ter a convicção de que é GENTE, tem valor e merece um espaço no mundo não é um ato de autopiedade.

Aceitação e amor próprio são verdadeiras provas de coragem!

As coisas estão ruins? Assuma o controle! Seja a pessoa no comando da situação... Aquela que você confia. Faça tudo porque você merece. E não por causa das expectativas dos outros.

Quando você tiver consciência do seu valor, vai saber escolher o que é bom para você. Confie. E se for necessário, busque a ajuda de profissionais da saúde.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

MAIS COMPORTAMENTO NO BRASIL POST:

Galeria de Fotos Pessoas "normais" que você encontra no Metrô Veja Fotos