OPINIÃO
27/04/2014 08:00 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:24 -02

Um mapa para proteger mulheres

Blog Think Olga

Acho que muitas pessoas devem lembrar da linda campanha Chega de Fiu Fiu que, no ano passado, entrevistou milhares de mulheres e provou que a brasileira não gosta do assédio nas ruas, mas sente mesmo é MEDO.

Agora chegou a nova etapa do processo. A querida Juliana de Faria Kenski, a mentezinha por trás da pesquisa e do blog Think Olga, botou no ar um mapa da segurança da mulher no Brasil. O objetivo é que garotas de todo o país possam consultar o aplicativo para saber que clubes, ruas e bairros devem evitar -- ou exigir mudanças do poder público.

"Nossa intenção é mapear as áreas críticas de violência contra a mulher. Não com a intenção de negar a essas mulheres a liberdade de circular por ali. Nosso olhar é de transformação: queremos poder enxergar essas áreas e entender o que as levam a ser mais problemáticas. É uma rua sem iluminação? É uma casa noturna sem segurança para as mulheres? Só com esses dados teremos essas respostas. E só com essas respostas poderemos correr atrás de soluções", opina a Ju.

Como violência, ela quer dizer muita coisa e todas as colaboradoras do mapa vão poder identificar que tipo de agressão sofreram em tal lugar. "Temos várias categorias: desde assédio verbal até estupro (violência doméstica, assédio físico, ameaça, intimidação, atentado ao pudor, etc). Como sabemos que esse assunto - violência de gênero - deve se atentar a interseccionalidades, também incluímos racismo, homofobia e transfobia", conta ela. "O certo é que as pessoas pudessem denunciar de formas oficiais, mas o que acontece é que apenas 10% dos casos de violência contra a mulher são denunciados. O mapa não é uma forma de oficializar essas denúncias, é apenas uma plataforma que vai reunir denúncias que talvez alguém não faria pelas vias oficiais e, a partir daí, exigir mudanças."

Bora ajudar a Ju nessa empreitada?