OPINIÃO
06/04/2015 14:56 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:44 -02

Socorro, sequestraram o meu Jesus!

Me irrita o que os fundamentalistas têm feito com Jesus. Poxa, eu cresci lendo a vida de um cara legal, um revolucionário, um feminista, um mártir dos pobres, das prostitutas e das mulheres. E, apesar de eu não me definir como cristã em nenhuma das categorias possíveis, minha base moral foi fundada sobre esses ensinamentos lidos na voz amorosa da minha mãe na beira da cama. Jesus é meu brother, é meu próximo e admirado e ele não é esse camarada que vocês estão pintando por aí.

Matt Cardy via Getty Images
BRISTOL, ENGLAND - JUNE 11: Detail of artist Cosmo Sarson's mural of Jesus breakdancing that he has painted on the 8.5 metre wall beside The Canteen in Stokes Croft and is being officially unveiled this evening is seen, on June 11, 2012 in Bristol, England. The artist was commissioned by The Canteen to paint the wall, which is directly opposite Banksy's Mild Mild West. The controversial 'Breakdancing Jesus', which took 4 days to paint and involved a kilo of glitter and was inspired by an actual event in the Vatican where breakdancers performed to an applauding Pope John Paul II in 2004, is likely to be the latest attraction for graffiti tourists visiting Bristol, often seen the spiritual home of underground artist Banksy. (Photo by Matt Cardy/Getty Images)

Eu estou furiosa com o que os fundamentalistas de todas as fés têm feito com seus textos sagrados e como eles têm distorcido tudo para justificar seus privilégios e, pior, têm conquistado hordas de adeptos das classes oprimidas - e, sim, eu estou falando principalmente de mulheres. Se querem ser preconceituosos, assumam! Não usem a religião como desculpa.

Irrita-me pessoalmente o que os fundamentalistas têm feito com Jesus. Poxa, eu cresci lendo a vida de um cara legal, um revolucionário, um feminista, um mártir dos pobres, das prostitutas e das mulheres. E, apesar de eu não me definir como cristã em nenhuma das categorias possíveis, minha base moral foi fundada sobre esses ensinamentos lidos na voz amorosa da minha mãe na beira da cama. Jesus é meu brother, é meu próximo e admirado e ele não é esse camarada que vocês estão pintando por aí.

Por favor, devolvam o meu Jesus! O meu Jesus ficou bestfriends com Maria Madalena, conhecida prostituta, e falou que ninguém deveria apedrejar mulheres por seu comportamento sexual. Depois que vocês, fundamentalistas, sequestraram meu amigo, ele se tornou um cara intolerante, marrento, que defende que homens exponham e julguem mulheres que se atrevem a ter uma vida sexual.

Jesus, o meu brother, era um cara a favor dos desprivilegiados, falava em dividir renda, dar aos pobres, amar o próximo. Desde que vocês, fundamentalistas, o sequestraram, ele passou a se opor a programas sociais e defender uma ideia absurda de meritocracia. O meu Jesus tava cagando pra meritocracia. Ele era todo amor. Ele queria que o filho pródigo, vagabundo inveterado, tivesse uma vida tão digna quanto a do filho trabalhador. E ele sabia que Pedro, o pescador, trabalhava mais duro que a fariserada que se achava merecedora da grana toda. Não convidou o fariseu coxinha pro clubinho, mas o mano Pedro.

O meu Jesus tinha confidentes mulheres. Primeiras pessoas pra quem ele apareceu depois de ressuscitar? A mulherada. Agora vocês forçam ele a defender essa ideia de mulher que não fala de igual pra igual, inferior que abaixa a cabeça e aceita?! O meu Jesus ADORAVA uma mulher rebelde. Mira a mãe do cara, Maria, que insistiu com ele pra transformar água em vinho e continuou insistindo mesmo depois dele dizer que ainda não era hora. Ela bateu o pé e Jesus gostou tanto da atitude girl power dela que fez vinho melhor que francês!

O meu Jesus amava as mulheres tanto que nunca deixaria elas na mão. Na cruz, lá no auge da dor, com a pele rasgando; ele pediu pro João, o camarada mais legal que ele tinha, pra proteger a mãe dele desse mundo machista. Duvido que ele diria pra Maria ficar calada e engolir quieta se o José batesse nela ou a estuprasse. Mas o Jesus dos fundamentalistas acha que as mulheres devem aceitar o que for para manter "a família tradicional". Ah vá!

Além do mais, o Jesus que eu conheço queria que a maternidade fosse uma escolha e não uma imposição sobre a mulher. Ele, que era filho de Deus e tudo, podia muito bem ter entrado no ventre da Maria e só avisado depois. Ao contrário, mandou o anjo mais manero que tava disponível pra pedir permissão pra ela com honrarias. Ficou bem feliz que ela disse sim. Ele queria para a própria mãe o que desejaria para todas as mulheres: que elas digam "sim", que acolham seus bebês amados e desejados. Esse Jesus NUNCA diria que mulheres não podem tomar anticoncepcional e têm que aguentar quantos filhos a natureza achar conveniente.

Eu vou te dizer uma coisa: esse Jesus dos fundamentalistas tem muito pouco a ver com uma leitura inteligente da Bíblia e muito mais a ver com Hitler ou Franco.

Convido a todos vocês que, como eu, cresceram aprendendo aceitação, feminismo, e amor aos pobres de Jesus a protestar. Devolvam o meu Jesus, fundamentalistas! Eu estou disposta a pagar o resgate com o preço pesado de me atrever a pensar. De devolver ao cristianismo sua leitura revolucionária dos primeiros séculos. Que venham as pedras, se vocês se atrevem! Tamô eu, a Madalena e o mano Jesus prontos pra vocês.