Opinião

Seu chefe não tem direito de exigir que você faça as unhas

... A não ser, é claro, que ele demande a manicure completa dos homens também.
Esta postagem foi publicada na plataforma, agora fechada, do Colaborador do HuffPost. Os colaboradores controlam seu próprio trabalho, que são postados livremente em nosso site. Se você precisa denunciar este artigo como abusivo, envie-nos um e-mail.

... A não ser, é claro, que ele demande a manicure completa dos homens também.

Já pensou em como se criou, em muitos ambientes de trabalho, a exigência da beleza profissional? Refiro-me a empresas que praticamente obrigam suas funcionárias a zelar pela aparência como se isso fosse uma qualidade profissional. O chefe dá bronca se a guria deixa descascar o esmalte, rói a unha ou descuida da maquiagem. "Mas o quê os clientes e parceiros vão pensar?!"

Homens podem ser feios e levemente desalinhados, claro, desde que agüentem o terno e a gravata. Às mulheres, porém, muito mais é pedido: além da roupa social, é preciso encarar a maquiagem diária, os saltos altos e, claro, ter manicure e depilação sempre em dia.

Veja bem, não estou dizendo que as mulheres não deveriam fazer as unhas ou se maquiar, mas que devem ter esses cuidados SE QUISEREM. A diferença está entre o querer e o ser obrigada. Eu, particularmente, adoro me maquiar, mas nunca aceitaria que ninguém me obrigasse a tanto, afinal, continuo competente igual de cara lavada. Fenômeno interessante: nunca vi cérebro que aceita maquiagem.

Uma teórica feminista renomada chamada Naomi Wolf lançou, há algum tempo, um livro chamado O mito da beleza. Nele, ela falou sobre como a exigência da beleza profissional rouba o tempo das mulheres, impedindo que se dediquem de fato a tornarem-se profissionais mais competentes.

Ou seja, enquanto os homens gastam a manhã lendo o jornal e se informando, você passa horas fazendo maquiagem. No fim de semana, enquanto faz as unhas e retoca as luzes, eles têm mais tempo disponível para ler, estudar e fazer cursos. Assim, fica ainda mais difícil concorrer com os homens por posições de liderança. Essa tese não é minha, é da Naomi. Mas eu não poderia concordar mais.

Nós, mulheres, deveríamos lutar por um ambiente de trabalho em que nossa beleza não importa, ou importa tanto quanto a beleza masculina. Naturalmente, para modelos, de ambos os sexos, cuidar da aparência é fundamental. Também é óbvio que existem algumas etiquetas a serem seguidas com vestimentas em ambientes de negócios e de política, mas elas deveriam ser iguais para ambos os sexos. E por que não seriam?

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

MAIS FEMINISMO NO BRASIL POST:

Atos de rebelião feminista em Hollywood (GIFs)