OPINIÃO
22/04/2014 13:00 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:24 -02

Mulheres e literatura

"Diversidade é boa em toda forma de escrita. As mulheres têm a necessidade de contar suas histórias porque nossas histórias não foram ainda contadas."

.

A literatura ainda é um mundo a ser explorado pelas mulheres. Em alguns países, escritoras têm que usar pseudônimos masculinos para serem lidas. Mesmo no Brasil, 72,7% dos escritores são homens e 93,9% são brancos.

A talentosa e jovem escritora negra Nnedi Okorafor revela, nesta entrevista, uma realidade diferente. Quem nos dá a lição é a Nigéria, na África.

Em muitos países mulheres têm que usar pseudônimos masculinos para serem lidas. Isso acontece na Nigéria?

Não. Na verdade, há um "boom" de autoras nigerianas no momento. Elas são um pouco mais da metade dos escritores de sucesso. Estão escrevendo histórias diversas e recebendo todo o respeito que merecem.

Que características possibilitam esse sucesso feminino?

A Nigéria tem uma longa história com escritoras. Um dos primeiros romances a ser traduzido para o inglês foi o de uma mulher, Flora Nwapa. Começou com ela e assim continuou com uma sequência de mulheres talentosas como ela. Os leitores nigerianos estão acostumados a lerem livros escritos por mulheres.

No que você pensa quando escreve?

Quero escrever histórias sobre garotas e que inspirem e empoderem garotas, especialmente as nigerianas. Quero estimulá-las a viver aventuras. Elas estão estudando e têm potencial para contar suas histórias também.

Em sua opinião, por que nós, mulheres escritoras, temos tanta necessidade de escrever para outras mulheres?

Diversidade é boa em toda forma de escrita. As mulheres têm a necessidade de contar suas histórias porque nossas histórias não foram ainda contadas. É por isso que escrevo histórias sobre personagens feminas complexas. E faço isso porque não vejo personagens suficientes assim! Quero adicionar imagens de mulheres fortes que podem chorar ao mesmo tempo. Quanto mais personalidades femininas criadas, uma maior variedade de mulheres será aceita e respeitada. As mulheres acrescentam à literatura histórias ainda não contadas -- e que interessam também a homens.

A literatura africana é benquista no resto do mundo?

Há certas histórias em que os leitores ocidentais estão mais interessados, como as de guerra, fome, dificuldades. Enquanto isso, histórias que são escritas por africanos, com personagens africanos, sem abordar "a condição africana", não são tão bem-vindas.

Estão olhando para a África em busca de problemas?

Estão olhando para a África como um lugar cheio de problemas, para ser mais precisa. As pessoas normalmente esquecem que a África não é um país, mas um continente cheio de diversidade, e há pessoas ali que estão rindo, se casando, tendo filhos. Vivendo vidas normais. Essas histórias são provavelmente muito parecidas com as que estão acostumados a ler. Os contos de dificuldades têm que continuar, mas a África tem mais a dar do que histórias de fome.