OPINIÃO
13/11/2014 08:59 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:46 -02

Para ONU, acordo entre China e EUA é passo para tratado global sobre clima

No fim do próximo ano, líderes de todo o mundo devem se reunir em Paris na Conferência sobre Mudança Climática com o objetivo de produzir um novo tratado global que atenda países desenvolvidos e em desenvolvimento.

Ban Ki-moon em visita à Antartida em 2007. Foto: Eskinder Debebe, ONU.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, elogiou a decisão anunciada pela China e pelos Estados Unidos de reduzir os níveis de emissões de gases que causam o efeito estufa.

O acordo foi divulgado na terça-feira, em Pequim, pelos presidentes Barack Obama e Xi Jinping. A medida "é significante e oportuna", disse o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, em nota emitida pelo seu porta-voz, na quarta-feira.

"Empenho pessoal"

Segundo Ban, a iniciativa de ambos os países é um passo positivo para o alcance de um acordo mais abrangente sobre o tema, e que a ONU espera firmar em 2015.

No fim do próximo ano, líderes de todo o mundo devem se reunir em Paris na Conferência sobre Mudança Climática com o objetivo de produzir um novo tratado global que atenda países desenvolvidos e em desenvolvimento.

Em sua nota, o chefe da ONU agradeceu aos dois presidentes pelo que chamou de "empenho pessoal em trabalhar juntos para remover qualquer impedimento a se alcançar um acordo em Paris". Ban disse ainda que Obama e Xi demonstraram em Pequim, "a liderança que o mundo espera deles."

China e Estados Unidos são as duas maiores economias do mundo e também os dois maiores emissores de gases que causam o efeito estufa. Pelo acordo, divulgado em Pequim, os Estados Unidos reduziriam as emissões numa escala entre 26% e 28% até 2025, em comparação com os níveis registrados em 2005.

Energias renováveis

Já a China promete cortar as emissões de dióxido de carbono até 2030 incluindo um papel ainda maior para as energias renováveis e melhorias nas áreas de eficiência energética. No mês passado, a União Europeia informou que reduziria suas emissões de gases em pelo menos 40% até 2030.

Com estas iniciativas, os países membros da ONU devem chegar a Paris para produzir um acordo juridicamente vinculado sobre mudança climática, e em concordância com a segunda fase de cumprimentos do Protocolo de Kyoto.

Ban lembrou que líderes de governo, da sociedade civil e dos negócios teceram "comentários positivos" sobre a decisão europeia de cortar emissões.

Com o anúncio desta semana da China e dos Estados Unidos, o chefe da ONU acredita que haverá uma "base forte" para a produção do acordo global em 2015.

Para a ONU, os países "especialmente as maiores economias" devem agora seguir a decisão de chineses e americanos o mais rapidamente possível, e antes do primeiro trimestre do próximo ano.

O último relatório de avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática, Ipcc, divulgado em 2 de novembro, revelou a necessidade de ação imediata pelo governos face aos perigos do aquecimento global, que está "ocorrendo em todo o mundo e de maneira inequívoca."

Leia outras notícias da Rádio ONU.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

TAMBÉM NO BRASIL POST:

Galeria de Fotos Animais ameaçados pelo aquecimento global Veja Fotos