OPINIÃO
21/07/2014 12:25 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

OMS prepara estratégia global para combater obesidade infantil

Para a Organização Mundial de Saúde, se nada for feito, em 2025 o mundo terá 70 milhões de menores acima do peso ou sofrendo de obesidade.

Getty Images

A Organização Mundial da Saúde lançou um alerta sobre o número de crianças sofrendo de obesidade, especialmente nos países em desenvolvimento.

Segundo a OMS, existem atualmente 44 milhões de crianças obesas entre 0 a 5 anos de idade. Em 1990, este número era de 31 milhões.

Para enfrentar o problema, especialistas da OMS passaram dois dias reunidos na sede da agência da ONU, em Genebra, na Suíça.

África

O objetivo é preparar uma estratégia global que possa servir de recomendação para os países, onde a obesidade infantil já começou a se tornar uma crise de saúde pública.

O encontro, que terminou dia 18, foi o primeiro da Comissão para o Fim da Obesidade Infantil. Um dos pesquisadores do grupo, Dan Epstein, afirmou que somente na África existem 10 milhões de crianças obesas. Mais que o dobro do índice registrado há duas décadas no continente.

Ao ser perguntado pela repórter Leda Letra, da Rádio ONU, sobre o porquê de as crianças estarem se tornando obesas, o gestor de nutrição e obesidade da OMS, João Breda, citou o sedentarismo e a dieta.

Para ele, os pais precisam controlar a alimentação dos filhos e também o tempo que eles passam à frente do computador. "Temos um problema de excesso de calorias, de energia, proveniente dos alimentos, principalmente de açúcar e gorduras. E ao mesmo tempo, baixo nível de atividade física, sobretudo por causa de algumas atividades sedentárias, como ver muito televisão, videogames e outras atividades relativamente sedentárias. Energia a mais e gasto a menos. Este é o grande problema."

Publicidade

Breda lembrou que, hoje em dia, as crianças saem menos às ruas e já não brincam como antes em atividades que poderiam levar à queima de calorias. O ideal, segundo o especialista, é que cada criança gaste de uma a duas horas por dia se movimentando. E claro, na hora da alimentação, consumam verduras, frutas e legumes.

Segundo a Comissão de Combate à Obesidade, a publicidade é um outro fator importante no aumento do peso das crianças, e um dos pontos a serem avaliados para a formulação de uma estratégia global.

Nos países em desenvolvimento, a chance de uma criança estar obesa é 30% maior que em nações desenvolvidas. Para os médicos da OMS, os riscos vão ainda mais além: uma criança obesa está à mercê de doenças crônicas como diabetes e problemas cardiovasculares.

Quem sofre de obesidade infantil também pode desenvolver resistência à insulina, problemas nas juntas, nos ossos e músculos, deficiência e até mesmo câncer.

Para a OMS, se nada for feito, em 2025, o mundo terá 70 milhões de menores acima do peso ou sofrendo de obesidade.

A proposta para uma estratégia global contra a obesidade infantil deverá ser apresentada para a Assembleia da Organização Mundial da Saúde em 2015.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para ver as atualizações mais rápido ainda, clique aqui.

MAIS SAÚDE NO BRASIL POST:

Galeria de Fotos 35 receitas de café da manhã da revista Boa Forma Veja Fotos