OPINIÃO
30/12/2014 10:05 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:36 -02

Pare de reclamar, 2015 será incrível

Algum poeta bacanudo disse certa vez que dividir o tempo em anos foi a salvação da humanidade: eu concordo. Por mais cético que você possa parecer, chega essa época do ano e a fé que a gente tem na vida se redobra, reforça e multiplica.

Tá, na véspera do 1º dia de 2015, achei justo dedicar um tempinho do meu dia pra falar com você. Sem essa de perguntar o que você fez, nem de querer ouvir quantas vezes você ajudou pedintes ou praticou filantropia. Isso é fundamental, sua mãe já te ensinou há anos - e o exemplo vindo de casa já tá bem incrustadinho na sua cabeça.

Por falar em cabeça, nesse ano você mergulhou nos projetos que prometeu tocar em frente na virada de ano, um ano atrás? Não, né. E a viagem, rolou? Tsc, tô só provocando, eu sei.

Algum poeta bacanudo disse certa vez que dividir o tempo em anos foi a salvação da humanidade: eu concordo. Por mais cético que você possa parecer, chega essa época do ano e a fé que a gente tem na vida se redobra, reforça e multiplica. É como se um ciclo obrigatoriamente fosse encerrado e a fé, sim, ela mesma, aparecesse de novo como uma luz no fim do túnel gritando: 'fica tranquilão, se você desejar do jeitinho certo eu garanto que o ano que chegou vai ser do bom!'. E, contrariando seus amigos que vira e mexe o chamam de carola, cá estou a esfregar na sua cara outra vez: em algum momento deste ano você comprovou que ter fé é fundamental.

Mas... Já pensou que chata uma vida sem Réveillon? Sem abraço, sem carinho, sem votos de que os próximos 365 dias sejam incríveis e repletos de realizações. Soou clichê - e o é - contudo, na vida, cá entre nós, às vezes é tão bom viver no lugar comum. Os desejos materiais sempre vão existir e a gente sabe que, no fim, só depende de mim e de você pra realizar tudinho. O resto é piração, sinta-se à vontade para pirar.

Por isso, que em 2015 haja mais viagens, mais beijo demorado, mais sol escaldante, mais filtro solar. Menos preguiça, menos bobagem, menos stress e estrias em vão. Mais desafino, mais cantoria, mais regalia e mais cobertor. Menos problema, menos gordura, menos tortura e desfibrilador. Mais paciência, mais coerência, mais eloquência e por do sol no colchão. Menos mentira, menos discurso, menos concurso pra ganhar coração.

Que em 2015 você seja quem é, foi assim que conquistou as pessoas mais importantes da sua vida. Falando nisso, depois do tanto que você viveu nas centenas de meses que a vida já o proporcionou, tá na hora de agradecer a cada pecinha fundamental para seu bom funcionamento no ano: um salve ao fígado que segurou bem o tranco e, sem brincadeira, agradeça com sinceridade a quem te suporta e aguenta sem querer dinheiro em troca.

Pra finalizar, se eu posso te dar um conselho, preserve-se. Você perdeu pontos neste ano por falar demais. Mas, se você precisa de um ano sabático, vá em frente. Se vive no armário, get out. Se tá desanimado, life goes on. E se o inglês tá ruim, pratique. Você nunca perde por saber mais - e, por mais que relute, nunca perderá o costume de, a cada fim de ano, dedicar um tempinho do seu tempo pra ver o quão camarada a vida tem sido com você.

Depois me agradeça. O eu do futuro ainda é passível de erro, mas tenta mais do que pode deixar no eixo aquilo que o ano novo reserva pra você.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.