OPINIÃO
14/11/2014 14:55 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Estudar no exterior: uma preparação para o mercado de trabalho global

Mike Kemp via Getty Images

Imagine dois recém-graduados em uma entrevista de emprego. Ambos os candidatos foram bem na universidade. Ambos têm habilidades semelhantes no papel. Ambos têm boas referências. Ambos têm entusiasmo. E ambos, por um semestre, participaram de um programa de intercâmbio no exterior.

Como CEO de uma rede social, com usuários em mais de 160 países, eu preciso de funcionários com habilidades globais. Durante a entrevista de emprego com os nossos dois candidatos, eu pedi que eles me contassem um pouco mais sobre a melhor experiência que tiveram durante seus estudos no exterior. Aqui estão algumas respostas que eu ouvi no passado. Um candidato disse que a sua experiência foi incrível, mas que seria muito difícil escolher a experiência favorita, pois viveu o melhor momento de sua vida. A outra candidata começou com comentários semelhantes, mas continuou mencionando casos em que ela interagiu com os residentes, observou as diferenças culturais e vivenciou sentimentos relacionados a como é estar em outro país e outra cultura. A segunda candidata também falou sobre ter adquirido uma perspectiva mais global, depois de estudar no exterior.

Qual candidato você contrataria? Eu teria contratado a segunda candidata no mesmo instante. E eu contrataria mais recém-formados como ela. A segunda candidata me mostrou que tem uma curiosidade cultural, consciência, empatia e perspectiva global que irão ajudar a minha empresa a crescer e fazer sucesso.

Cerca de 280 mil estudantes dos Estados Unidos estudam no exterior a cada ano, para crédito acadêmico, (em comparação, existem cerca de 820 mil estudantes estrangeiros em faculdades e universidades nos EUA). Os estudantes têm a oportunidade de voltar para casa com as habilidades que os tornarão mais empregáveis na economia global de hoje. Como podemos ajudar os nossos alunos que estudam no exterior a desenvolver essas importantes habilidades globais?

Precisamos mostrar-lhes formas de maximizar a experiência de estudo no exterior, para que eles possam desenvolver essas habilidades. Precisamos dar-lhes estratégias para implementar antes, durante e após a viagem. Em primeiro lugar, temos que ajudar os alunos a "adquirirem conhecimento antes de ir." Eles devem passar parte do tempo na preparação para a partida, conectando-se com as pessoas no país de destino, através de uma rede social como WeSpeke. Eles podem aprender um pouco da língua local. Perguntar sobre a cultura e os costumes. Fazer perguntas práticas. Perguntas do tipo "Quais são as três coisas que eu deveria realmente fazer quando estiver nessa cidade/país"? Essas conversas irão ajudá-los a se prepararem para a experiência. Em segundo lugar, eles precisam de sugestões sobre as maneiras em que devem observar, processar e refletir sobre suas interações com as pessoas e a cultura durante a sua viagem. Em terceiro lugar, depois de voltarem para casa, eles precisam encontrar formas para processar e articular a experiência de estudo no exterior, para eles poderem mostrar suas novas habilidades globais a empregadores, como eu, durante as entrevistas de emprego.

Voltemos a esses dois candidatos a emprego. O primeiro candidato pode ter pegado as mesmas habilidades globais que o segundo candidato, mas pode não estar tão preparado para compartilhá-las em uma entrevista. Ou talvez o primeiro candidato não abordou o estudo no exterior com o objetivo de construir competências globais que se integrem à sua carreira. Qualquer que seja o motivo, não podemos deixar que a experiência de estudar no exterior seja uma oportunidade perdida para esse aluno, e para mim. E como pai de um aluno que teve essa experiência, eu me sentiria da mesma forma (especialmente depois de ter assinado o cheque).

À medida que avançamos no século 21, é fundamental que os Estados Unidos (ou qualquer país) melhore a capacidade de seus trabalhadores de operarem em uma economia globalizada e multicultural. Estudar no exterior pode ser a jornada transformadora que prepara os estudantes para o mercado de trabalho global. Precisamos analisar como podemos preparar os alunos para o programa de estudos no exterior com o objetivo de ajudá-los a maximizar esta experiência única na vida, quando entrarem no mercado de trabalho global.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

TAMBÉM NO BRASIL POST:

Os 20 melhores países para viajar sozinho