OPINIÃO
12/03/2015 14:46 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

O fim da estiagem

Getty
Macro shot of umbrella capped fungi or mushrooms growing on the forest floor during a British spring.

Como você pode ver, está caindo uma chuva dessas de deixar qualquer tucano orgulhoso, não é mesmo seu Geraldo?

E a previsão indica mais chuva até quarta-feira que vem.

Dizem os especialistas que mesmo chovendo durante meses, ainda assim, faltará água.

Afirmam que os reservatórios não vão recuperar o volume tão cedo e o racionamento será inevitável.

Duvido.

Catástrofes anunciadas como essa simplesmente não acontecem na minha vida.

E não é por falta de torcida.

Estou esperando um cataclisma de proporções bíblicas desde pequeno.

O mais próximo que cheguei de ver meu sonho realizado foi o bug do milênio, veja só que porcaria.

Não.

Mentira.

Acabo de lembrar de outra tragédia.

Eu tinha uns oito anos e estava assistindo Godzilla na TV.

Em preto e branco, a TV e o Godzilla.

A certa altura, o réptil destrói uma ponte daquelas que qualquer imbecil percebe ser um cenário de trem elétrico.

Qualquer um.

Menos eu.

E para completar esse momento, a TV saiu do ar por um problema técnico.

Claro.

Minha cabeça doentia-em-formação relacionou os dois fatos.

Tente imaginar uma criança em pânico.

Fiquei ali, diante do tubo, assistindo a estática, estático.

Minha avó vendo a cena perguntou:

- O que é que te deu menino?

- O...Godzilla...está...chegando.

E corri para o quarto.

Mas foi só isso, percebe?

Isso foi o pior.

Torres Gêmeas não é tragédia nossa, local.

Guerras são do outro lado do mundo.

Teve o 7x1, mas sei lá...queria algo pior.

E nunca veio.

Nem vira agora.

Então, meu amigo, pode pegar o guarda-chuva no armário que estou decretando o fim dessa estiagem.

Podemos todos voltar para nossas vidinhas medíocres sem o risco de morrermos desidratados.

E você que estava aí tirando poeira do seu jaquetão de fiscal do Sarney; você que estava preparado para controlar quantas vezes o seu vizinho da descarga; você, maldito pedaço de fascista nessa roupinha de ciclista hipster que já estava gostando de exercer seus pequenos poderes de guardião do esgoto, pode dar meia-volta-volver e vá de volta para o quartel porque eu vou comemorar alagando meu apartamento, só de farra.