OPINIÃO
23/07/2015 17:45 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02

73% dos frangos à venda no varejo estão contaminados, diz pesquisa britânica

Existem diversos motivos para se tornar vegetariano. Recentemente, a Food Standards Agency (FSA), agência de normas alimentares do Reino Unido, adicionou mais um item à lista: o altíssimo índice de contaminação das carnes de frango vendidas em supermercados.

Shutterstock / Ammit Jack

Existem diversos motivos para se tornar vegetariano. Recentemente, a Food Standards Agency (FSA), agência de normas alimentares do Reino Unido, adicionou mais um item à lista: o altíssimo índice de contaminação das carnes de frango vendidas em supermercados.

Entre fevereiro de 2014 e o mesmo mês de 2015, a FSA constatou que nada menos que 73% das mais de 4 mil amostras analisadas estavam contaminadas pela bactéria Campylobacter, principal causa de infecções do aparelho gastrointestinal no planeta - e que inclusive é capaz de matar.

Nas amostras que testaram positivo para a bactéria, 19% - ou cerca de um a cada cinco frangos - estavam com o grau mais alto de contaminação possível. Nos outros, o nível de contaminação era menor, mas mesmo assim suficiente para causar problemas ao consumidor.

Dá para piorar? Infelizmente, sim! Na mesma pesquisa, a FSA descobriu que 20% das amostras continham níveis significativos da bactéria na embalagem externa. Na prática, isso significa que o simples ato de levantar o produto poderia causar uma infecção.

A Campylobacter é responsável, todos os anos, e apenas no Reino Unido, por cerca de 280.000 infecções alimentares - e algumas centenas de mortes.

A FSA havia feito a mesma pesquisa entre 2013 e 2014, e o índice de contaminação encontrado foi mais baixo: 53%, ainda bastante significativo.

Especialistas recomendam evitar o contato com carne crua - em especial da pele e dos órgãos dos frangos - e cozinhá-la pelo máximo de tempo possível, para diminuir o risco de contaminação.

Ou, quem sabe, simplesmente deixar de comprar e comer esse tipo de alimento - o que além de melhorar sua saúde e ter risco quase zero de ser contaminado, ainda pouparia o sofrimento de milhões de animais. Muito melhor, não?