OPINIÃO
18/09/2014 17:34 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Somos todos pedestres. 22 de setembro: dia mundial sem carro

O paulistano gasta 2 horas e 46 minutos por dia, em média, em seus deslocamentos. Isso inclui carros, ônibus, trens, taxis, metrô, motos e bicicletas. Mas o meio de transporte mais usado é o... Pé!

Mauro Calliari

Fui hoje à apresentação da "Pesquisa de Mobilidade do Ibope/Nossa São Paulo". O paulistano gasta 2 horas e 46 minutos por dia, em média, em seus deslocamentos. Isso inclui carros, ônibus, trens, taxis, metrô, motos e bicicletas.

Mas o meio de transporte mais usado é o... PÉ! São 34% de todas as viagens da cidade e 20% dos deslocamentos exclusivos.

A pesquisa "Origem-Destino do Metrô" também confirma esse número: 30% de todas as viagens são feitas a pé. A questão é que esse número não leva em conta o número de caminhadas de menos de 500 metros, o que significa que há muitas viagens até o ponto de ônibus, até o carro, até a estação, que não são computados. Em outras palavras, somos todos pedestres.

Para todos nós, que, de uma forma ou de outra, nos tornamos pedestres em alguma parte do dia, a "Pesquisa de Mobilidade do Ibope/Nossa São Paulo" trouxe algumas más notícias:

  • A conservação das calçadas é avaliada com nota de 4,3, em dez pontos.
  • As faixas de pedestres ficam abaixo da nota 5 em todos os quesitos: localização, quantidade, sinalização.
  • Para 72% das pessoas, o pedestre é muito desrespeitado.

Esses números parecem confirmar o que já sabemos. Num momento em que todo mundo debate ciclovias e ciclovias e faixas de ônibus, vale a pena lembrar que também existem ações de curto prazo e baratas que podem melhorar em muito nossos deslocamentos pela cidade: investir em conservação de calçadas, faixas e sinais de pedestres que funcionem e num desenho que facilite a integração do pedestre com os meios de transporte.

O prefeito de São Paulo, em sua abertura, enfatizou a integração entre entidades federativas. O secretário de transportes do Estado também citou a integração e o valor de investimentos totais de mais de R$ 40 bilhões em transporte.

Ora, se todos os entes federativos andam trabalhando juntos, uma parcela pequena desse valor poderia ser dirigida ao alargamento das calçadas e à expansão dos trechos mantidos pelo poder público, mais uniformes e fáceis de andar.

Não parece complicado, é só botar um pé após o outro.

Pesquisa de Mobilidade disponível aqui.

Pesquisa OD disponivel aqui.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

MAIS CIDADES NO BRASIL POST:

Photo gallery As cidades de Benjamin Sack See Gallery