OPINIÃO
12/04/2016 11:42 -03 | Atualizado 27/12/2018 04:28 -02

As mulheres suecas estão usando 'spray bronzeador' para ficar com a pele negra

Um salão de beleza Emmaatan, dirigida por Emma Patissier Alm, baseado em Estocolmo especializada em bronzeamento artificial agora oferece serviços de bronzeamento incrivelmente escuro, com nomes como "Violet Onyx", "Dark Ash Onyx", "Caramelo" e "Chocolate escuro."

Acreditem se quiser. Uma empresa sueca criou uma solução de bronzeamento artificial chamado "chocolate amargo" que dá a possibilidade das pessoas de pele brancas possivelmente com "crise de identidade" ficarem com o tom de pele semelhante ao de pessoas negras.

A "novidade" saiu direto do salão de beleza Emmaatan, dirigido pela esteticista Emma Patissier Alm, baseado em Estocolmo. Eles são especializados em bronzeamento artificial e agora oferecem serviços de bronzeamento em tons classificados como "incrivelmente escuro", com nomes como "Violet Onyx", "Dark Ash Onyx", "Caramelo" e "Chocolate escuro."

Mas, como assim?

Pois é, isso é real.

E o mais intrigante é que os cincos tons mais escuros esgotaram.

O povo sueco, normalmente com tom de pele que varia de branca a pálida, agora está correndo atras de ficar "artificialmente negros." Alguns tem chamado o produto de "blackface full".

Gå in och beställ på www.emmaatan.com 🌴

A photo posted by •www.emmaatan.com• (@emmaatan_) on

A população negra sempre foi desprezada pela cor de sua pele. Agora a apropriação não se limita mais aos cabelos afros, as cirurgias plásticas para engrossar os lábios e ficarem com os quadris parecidos com o das mulheres negras: agora é possível também se apropriar da pele negra. O que dá continuidade a um pensamento extremamente racista.

O Instagram da Emma Patissier Alm, dona do salão e que originalmente compartilhou algumas das imagens acima, foi definido como privado após ela ser acusada de racismo. Mas isso não impediu uma enxurrada de comentários, piadas, e indignação sobre o sobre o assunto.

O que você acha?

Fonte: http://madamenoire.com/

LEIA MAIS:

- Ensaio expõe a obsessão pelas características das mulheres negras

- Sobre a fragmentação da memória na infância

Também no HuffPost Brasil:

Galeria de Fotos O que estudantes negros da UnB já ouviram? Veja Fotos