OPINIÃO
30/03/2016 12:09 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02

Temos capacidade de melhorar antes de partir para o 'tudo ou nada' na política

A hostilidade do PT deve ter resposta, mas não a que os petistas desejam. É preciso depor Dilma conforme a Constituição e sob o aval do Legislativo e do Judiciário. Lula deve ser preso, realizar sua defesa e ser julgado conforme a lei. Os milicianos travestidos de militantes devem ser denunciados como tal. Os criminosos enfrentarão tão somente as instituições que asseguram o Estado de Direito.

Paulo Whitaker / Reuters
Former Brazilian President Luiz Inacio Lula da Silva speaks during a news conference with international media in Sao Paulo, Brazil, March 28, 2016. REUTERS/Paulo Whitaker

"Nosso projeto foi derrotado"

Wagner Freitas, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), poderia repetir estas quatro palavras caso fosse perguntado como andam as coisas para o Partido dos Trabalhadores e seus companheiros.

Os que defendem o governo bradam fanaticamente que ''Impeachment é golpe''. Os mesmos militantes que pediram o Impeachment de Collor e de FHC agora tratam tal processo constitucional como uma máquina do tempo para 1964. Na visão deles, depor um governo criminoso por meio das instituições republicanas cabíveis é a mesma coisa que ter militares marchando no Palácio do Planalto.

De fato, militares marcharam no Planalto este mês, para assegurar a manutenção da ordem diante de um protesto civil contra Dilma Rousseff. É uma evidência de como a propaganda petista está longe da realidade.

Para alegar que Dilma sofre um golpe, não basta simpatizar com a destruição que ela causou ao Brasil. É preciso se opor aos golpistas.

E quem são eles?

Em primeiro lugar, a maior parte da população, que comete o grave crime de desejar que o Congresso Nacional aplique a Constituição e puna Dilma pelos seus crimes.

Segundo, as duas instituições judiciárias que confirmaram os crimes de Dilma: o Tribunal de Contas da União, ao confirmar a fraude fiscal de 2014 reprovando unanimemente as contas do governo, e o Ministério Público de Contas, que apresentou relatório apontando a continuidade da fraude fiscal no primeiro semestre de 2015.

Terceiro, o Supremo Tribunal Federal, que não apenas chancelou o rito do impeachment como teve ministros declarando explicitamente a legalidade do processo.

Quarto, o Congresso Nacional, em particular a Câmara dos Deputados, que não apenas concorda que o impeachment é legal como majoritariamente acredita que ele será aprovado.

Em suma, a República inteira conspira. Para legitimar a tese de que ''impeachment é golpe'', só se a tripartição de poderes consistir em Dilma, Lula e Rui Falcão. Do contrário, os petistas não passam de "golpistas eleitorais" alegando que o resultado das urnas permite que Dilma "faça o diabo" no Planalto. A reeleição da presidente não lhe deu poderes absolutos nem superiores ao crivo da Constituição, do Congresso, do Judiciário e do povo.

A arrogância megalomaníaca de tal visão, onde a elite no poder se diz ''povo'' e acusa o povo de ser golpista por exigir que a lei seja cumprida, retrata como o petismo se assemelha ao bolivarianismo, achando que pode governar de forma ditatorial enquanto sua propaganda papagaiar populismo. No melhor estilo totalitário, tenta jogar a realidade para debaixo do tapete e substitui-la por uma narrativa partidária.

Lula levou o delírio a um passo adiante, comparando-se ao general vietcongue Giap e declarando que ''é guerra e quem tiver artilharia mais forte ganha". Só falta o insano garoto de recados da Odebrecht comandar uma guerrilha utilizando túneis na Esplanada. Ou em Curitiba. Depende se alguém já estará preso ou não.

Para piorar, a guarda pretoriana de Brahma vê a escalada da violência como uma resposta perfeitamente republicana. Rui Falcão afirma não temer a guerra. O MTST fala em incendiar o Brasil com greves e ocupações. Paulo Henrique Amorim diz que o sangue vai jorrar. Em outras palavras, caso a lei seja cumprida e os abusos de poder punidos, ameaçam usar milícias para fazer enfrentamento nas ruas.

E os outros são os fascistas?

A hostilidade do PT deve ter resposta, mas não a que os petistas desejam. É preciso depor Dilma conforme a Constituição e sob o aval do Legislativo e do Judiciário. Lula deve ser preso, realizar sua defesa e ser julgado conforme a lei. Os milicianos travestidos de militantes devem ser denunciados como tal. Os criminosos enfrentarão tão somente as instituições que asseguram o Estado de Direito.

Em republiquetas como a Venezuela, a guerra civil é uma perspectiva plausível. Já em nações como o Brasil, apesar da inflamada retórica dos fanáticos, temos a capacidade de trilhar caminhos melhores para nossa democracia do que partir para o tudo ou nada.

LEIA MAIS:

- A queda da esquerda e a ascensão dos conservadores e liberais

- O PT continua a mentir sobre a destruição causada por sua ideologia

Também no HuffPost Brasil:

Galeria de Fotos Personagens do Impeachment Veja Fotos