OPINIÃO
25/06/2014 10:56 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Por que cantamos "Eu, sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor"?

No fundo, essa Copa está mostrando para o mundo como os brasileiros vivem. São dias de fúria, contrastando com dias de alegria. Na pobreza, também somos ricos. Alguns querem mudar, outros não querem ser mudados.

Getty Images

É em quase todos os jogos da Copa. E ele nem precisa ser do Brasil. Passa um tempinho e a galera nas arquibancadas começa a cantar: "Eu, sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor...". Mas por que essa altivez repentina? Teria a Copa elevado o sentimento patriótico dos brasileiros e calado seus críticos?

Eu sei, são várias hipóteses.

Os mais engajados socialmente irão dizer que "esses que cantam" não representam a maioria dos brasileiros. Ali está uma elite que pagou ingressos caros e, para eles, a Copa reflete a sua própria semelhança; gerando um sentimento de pertencimento ao país. Assim, o orgulho está em sentar em um estádio moderno, comprar pipoca cara, tomar cerveja importada e fazer parte da elite do futebol mundial no "quintal de casa".

Os mais engajados no esporte irão dizer que é um comportamento natural devido a euforia que o espetáculo traz. Aqui também incluímos toda a influência advinda dos milhares de estrangeiros invadindo as nossas cidades e estádios. Então, quando "os de fora" começam a cantar e "dominar o território", a cantoria brasileira é uma reação de amor para expressar que "essa terra tem dono".

Os céticos irão ignorar. Os religiosos vão orar e os sensíveis chorar.

No fundo, essa Copa está mostrando para o mundo como os brasileiros vivem. São dias de fúria, contrastando com dias de alegria. Na pobreza, também somos ricos. Alguns querem mudar, outros não querem ser mudados. Uns vivem do calor, outros no frio.

Enfim, uns com mais "orgulho", outros com mais "amor".

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.