OPINIÃO
14/04/2014 16:55 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:23 -02

O jeitinho brasileiro é o primeiro legado da Copa de 2014

Alguns irão dizer que isso é mais uma vergonha brasileira. Mas isso pode ter um lado positivo. Pelo menos com o "jeitinho" os gringos terão uma chance de nos estereotipar melhor.

Muitos ficam pensando em estádios e infraestrutura, ou seja, nos legados tangíveis da Copa do Mundo. Mas existe também outro tipo de legado, o intangível, aquele que se refere a mudança de comportamento, auto-estima, etc. das pessoas. Mas por mais imensurável que ele seja, a Copa do Mundo 2014 já dá indicativos que deixa um legado intangível para o mundo.

Um desses primeiros legados que a Copa 2014 está deixando para o mundo esportivo internacional é como lidar com o "jeitinho" brasileiro. E quem já aprendeu a lição foi o Comitê Olímpico Internacional (COI), que anunciou nesta semana medidas preventivas contra atrasos.

O alemão Thomas Bach, recém eleito presidente do COI em 2013, não quer ver um vexame na sua primeira edição de Jogos Olímpicos de verão. Então, o arguto Bach resolveu atacar o "jeitinho" brasileiro com o mesmo "veneno".

Talvez ele tenha consultado o famoso site Wikipédia, onde "jeitinho" já é muito bem explicado em pelo menos três línguas. Ou quem sabe ele leu a revista da FIFA, onde fomos alfinetados dizendo que deixamos tudo para a última hora, inclusive estádios. No fim, a verdade é essa: o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016 irá ter, vamos dizer assim, uma "ajudinha" do COI.

Alguns irão dizer que isso é mais uma vergonha brasileira. Mas isso pode ter um lado positivo. Pois convenhamos que estereótipos de mulatas seminuas e moleques jogando bola na praia não dá mais, não é? Então que assim seja, pelo menos com o "jeitinho" eles terão uma chance de nos estereotipar melhor.

O fellow suíço Joseph Blatter, presidente da FIFA, agora fica chorando o leite derramado. Mas Bach não é Blatter, assim como Copa não é Jogos Olímpicos!

E, se ensinamos ao mundo esportivo o "jeitinho", Bach mostrou que aprendeu. Assim ele decidiu que vai dar um "jeitinho" de fazer os Jogos Rio 2016 acontecer.