OPINIÃO
29/05/2015 10:01 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Hiper-realismo: Conheça Luiz Escañuela e seu realismo poético (FOTOS)

Luiz Escañuela é brasileiro e mora em São Paulo. Seu trabalho é o tipo de coisa que vemos em blogs de artistas do exterior que impressionam pela forma de transportar o realismo para uma folha de papel. Contudo, esse jovem de apenas 21 anos é a prova de que não é necessário olhar pra fora das fronteiras para encontrar esse tipo de talento. Ele está perto de você.

Não se deixe enganar pelo sobrenome, Luiz Escañuela é brasileiro e mora em São Paulo. Seu trabalho é o tipo de coisa que vemos em blogs de artistas do exterior que impressionam pela forma de transportar o realismo para uma folha de papel. Contudo, esse jovem de apenas 21 anos é a prova de que não é necessário olhar pra fora das fronteiras para encontrar esse tipo de talento. Ele está perto de você.

Luiz diz que começou a rabiscar aos seis anos, sua mãe o desmente. Diz que o menino apresentou sinais que era aficionado por desenhar antes disso, mas ele prefere manter a data que se lembra das suas primeiras tentativas em tentar reproduzir cenas de desenho que congelava na TV e até mesmo obrigar sua irmã a posar para ele deitada no sofá.

Como toda boa relação, o jovem paulista passou momentos em que se afastou do desenho categorizando seu talento como hobby para poder se dedicar a outras coisas. Foi com dezoito anos que passou a se dedicar com mais fervor, talvez pelo fato de começar a moldar suas preferências de entretenimento. Preferências essas que tem reflexos concisos em seu trabalho, pois Luiz sempre retrata assuntos relacionados ao cinema, música e elementos da cultura pop em geral que, de certa forma, inspiram em seu processo criativo.

Aliás, sua relação com o cinema se estreita ao preferir delinear, em sua maioria, atributos do cinema latino com foco no Brasil. É como uma postura social que se dá como produto da revolta do brasileiro e seu sentimento de vira-lata que acaba por não dar valor às produções nacionais e que resulta no esquecimento dessas obras. Ele busca recortar detalhes dessas obras, e retomá-las à memória, mesmo que por poucos segundos, de quem visualizou seu trabalho e poder se identificar afetivamente com o que foi retratado.

As técnicas usadas em seus desenhos estão em constante aperfeiçoamento por meio da mão do autor. Intercalados entre o grafite, o lápis de cor, e a aquarela sempre na tentativa de manter o realismo, com intervenções esporádicas resultantes de experiências com o material.

Atualmente Luiz se dedica a dois projetos distintos. O primeiro deles com enfoque no cinema latino e o segundo mais intimista que segue em processo de criação. Em sua primeira empreitada em trabalhos autorais, ele propõe por meio da série de desenhos intitulada "SÍMIO", retratar o que viveu em relação as falhas das relações humanas causadas pela crescente falta de empatia e facilidade de fuga que as pessoas tem demonstrado quando se envolvem. Ele diz ser a primeira vez em que ele utiliza a arte como mecanismo de uma espécie de exorcismo pessoal.

Em suas próprias palavras ele explica o porquê do nome SÍMIO:

"SÍMIO é a representação de aflições e dores humanas. A figura dos símios é uma alegoria para essas sensações e quem as convoca dentro de relações interpessoais. Por serem os seres mais semelhantes do homem e, ainda assim, reconhecidos como bestas, os animais, transfiguram o quanto essas dores fazem o homem se perder em sua própria natureza e flerta com o obsceno e com o grotesco quando lida com situações que o colocam em posições de extremo sofrimento."

Vale dizer que os desenhos de Luiz, por mais que buscam (com sucesso) retratar o realismo, ao mesmo tempo possuem poética em cada detalhe. É como se seu traço trouxesse todo o seu viés existencial para seus desenhos, não deixando nenhuma impressão que é apenas uma retratação do real, mas sim um desenho que retrata o realismo ao passo que humaniza o processo e representação se transformando em algo vivo. Pulsante!

Gostou dos desenhos do Luiz? Ele está vendendo vários deles em sua página oficial para poder dar continuidade ao projeto SÍMIO.