OPINIÃO
01/07/2015 13:47 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:34 -02

Radialistas apaixonados pela cultura livre

O Radialistas Apasionados é um dos grupos mais ativos na batalha em prol da cultura livre no continente latino-americano. Em maio deste ano, eles lançaram uma radionovela sobre o tema, chamada "Utopía va por la libre!", que conta a história de uma banda (Utopia) que se vê no dilema de apostar no "sistema" das gravadoras ou seguir pelo caminho livre através das licenças Creative Commons.

Os Radialistas Apasionados - coletivo de rádio latino-americano, um dos organizadores do Festival da Cultura Livre (2013) que participei, em Quito - é um dos grupos mais ativos na batalha em prol da cultura livre no continente latino-americano. Em maio deste ano, lançaram uma radionovela sobre o tema, chamada "Utopía va por la libre!", que conta a história de uma banda (Utopia) que se vê no dilema de apostar no "sistema" das gravadoras ou seguir pelo caminho livre através das licenças Creative Commons.

São 5 capítulos com episódios de 6 a 12 minutos, todos muito bem produzidos em espanhol de fácil entendimento, inclusive para aqueles que não são hispano-hablantes. É um trabalho muito interessante para explicar a cultura livre para um público mais amplo, fora da "bolha" da cultura digital e da contracultura. O link para escutar na Radioteca, uma rede social de radialistas da América Latina, é este. http://radioteca.net/audioseries/utopia-por-la-libre/ Tem também o roteiro completo para ler (e baixar em PDF, se quiseres fazer uma versão na tua própria aldeia). Tudo livre, sob uma licença CC BY SA.

Segue aqui abaixo o texto de abertura da radionovela:

"Cada vez son más las músicas, artistas y escritores que "van por la libre", al margen del sistema, ajenos a discográficas o editoras, huyendo de los intermediarios porque no los necesitan. Apuestan por el conocimiento abierto y la cultura libre.

Creen que el conocimiento se genera colectivamente y lo que crean lo devuelven a la colectividad de forma abierta y libre. Esta nueva generación se sirve de Internet para difundir su trabajo. Ganan dinero en los conciertos, con charlas y así pueden seguir creando. Exploran otros camino, no ven la cultura como una mercancía y son apoyados por nuevas discográficas que quieren ayudar más que hacerse ricas.

Es un nuevo mundo,... ¡el mundo libre!

Para quienes habitan en esa utopía hemos grabado esta radionovela. Con ella queremos animar a las nuevas agrupaciones musicales, a los escritores y artistas a "ir por la libre", como "Utopía". Una banda de rock que se enfrenta a la disyuntiva de rendirse ante "sistema" o apostar por las licencias Creative Commons.

Música, sueños, amor, utopías y mucho copyleft. Escucha ¡Utopía va por la libre!"

O trabalho dos Radialistas em prol da cultura livre vai muito além dessa radionovela. No portal RadioLivres estão cursos livres, uma biblioteca com referências de software livre a produção radiofônica - inclusive, um completo manual urgente para radialistas livres de quase mais de 300 páginas. Além de uma videoteca com diversos filmes (docs, curtas) relacionados ao tema, parecida (mas mais ampla) do que a que mantemos na BaixaTV.

Outros dois trabalhos que vale destacar aqui são os spots de cultura livre, produzidos em agosto de 2014, chamados "El mito...mata. ¡Mata el mito!" São 6 pequenos (até 1 min.) spots para desmistificar os direitos de autor e a cultura livre. Bem bom pra mostrar praquele seu amigo cabeça dura que acha que cultura livre é "tudo grátis" ou a "mata de fome" os artistas. Confira aqui.

Por fim, e não menos importante, outro material fundamental produzido pelos Radialistas em formato de guia: 10 mitos sobre la cultura libre y el acceso abierto al conocimiento. Editado por Santiago García Gago, espanhol radicado na América Latina e nos Radialistas faz alguns anos, é um texto essencial para informar corretamente sobre a cultura livre, com argumentos básicos pra não propagar mentiras como verdades absolutas. Confira os 10 mitos aqui abaixo, em tradução para o português, e descarregue o guia, em PDF, que destrincha cada um deles.

1º mito: As obras culturais são criações completamente originais.

FALSO: toda criação é coletiva.

2º mito: A cultura e o conhecimento sempre foram mercadorias suscetíveis de serem vendidas.

FALSO: a cultura e o conhecimento são bens comuns.

3º mito: Os direitos autorais foram criados para proteger os artistas dos que copiavam seus livros.

FALSO: foram criadas principalmente para proteger os artistas dos editores.

4º mito: A cultura livre não protege quem cria e se pode roubar suas produções

FALSO: não há nenhum risco em licenciar as tuas obras de forma livre.

5º mito: A cultura livre promove a cópia e isso é promover a pirataria

FALSO: democratizar o conhecimento não é pirataria. Pirata é quem se apropria de algo que não é seu e o conhecimento é um bem comum.

6º mito: A internet e a cultura livre matam de fome os artistas

FALSO: A cultura livre promove modelos em que as pessoas tem acesso a cultura e os autores vivem de suas criações.

7º mito: Cultura livre é "tudo grátis"

FALSO: o modelo que a cultura livre propõe não é necessariamente o da gratuidade, mas sim o do livre acesso.

8º mito: A cultura livre não tem validade legal

FALSO: As licenças livres, como as Creative Commons, tem validade legal na maioria dos países e você pode processar as pessoas que não respeitam os termos que estão em suas licenças.

9º mito: Ninguém usa este tipo de licenças

FALSO: Fazem uso das CCs, por exemplo, da Casa Branca ao Banco Mundial, passando por periódicos, blogs e fotógrafos.

10º mito: Não posso fazer nada. A cultura livre não vai comigo.

FALSO: toda a sociedade pode apoiar este movimento e fazer mais acessíveis e livres a cultura e o conhecimento.

Texto publicado a partir de remixes deste post do BaixaCultura.