OPINIÃO
09/03/2016 18:45 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:35 -02

Liberte-se!

Por meio de lindas fotografias e depoimentos, o Liberte-se é um manifesto a favor da Liberdade e ao Respeito. Afinal, não dá para começar nada de bom sem esses dois substantivos fundamentais. Nem o ano, nem o mês, nem a mudança que tanto queremos ver no mundo.

projeto liberte-se

2016 tá aí, no terceiro mês, mas já está cheio de história pra contar!

Mulheres sendo criticadas por mostrar que a maternidade não é um mar de rosas, um candidato à presidência dos Estados Unidos que vomita preconceito e pessoas que ainda são alvo de violência por conta de sua opção sexual. Isso só para citar alguns exemplos.

Não. Você não voltou no tempo! Ainda há muito para se fazer por aqui até a casa ficar totalmente arrumada. Talvez nem dê tempo de fazer aquela comemoração com os amigos e mostrar o quanto tudo está bonito.

Mas tem quem não se abale diante do desafio de questionar a existência de estereótipos e preconceitos insistentes ainda hoje e segue em frente, arregaçando as mangas e mostrando que dá sim para fazer alguma coisa enquanto estamos hospedados neste planeta.

O jeito que a fotógrafa Isabela Catão, 25 anos, encontrou para fazer isso foi por meio da sua profissão. No projeto Liberte-se ela questiona: 'Por que em pleno 2016 tatuagem e nudez ainda são um tabu?'.

Além de levantar o debate e tentar buscar possíveis respostas para a pergunta, Isabela mostra a discriminação vivida por quem tem tatuagem.

"Estava há um tempo querendo fazer um projeto com nu, pois ainda é algo muito criticado e mal visto por muitas pessoas. A nudez na arte, incomoda as pessoas de uma forma que não é normal".

Há relatos que parecem ter vindo do túnel do tempo. Uma das fotografadas, conta que já ouviu até de desconhecidos palavras absurdas. "Na praça Saens Pena, um cara começou a gritar que tatuagem era coisa de diabo e que eu tinha o diabo colado no corpo", conta Natasha, produtora, 30 anos.

Para outros, os rabiscos podem até atrapalhar em futuros relacionamentos. Afinal, quem se importa com caráter hoje em dia, né?

"Almoçando com um amigo e comentando sobre novas relações, pois tinha me separado há pouco tempo, ele me falou que para arrumar uma pessoa legal é melhor eu parar de me tatuar. Disse a ele que isso era absurdo e que eu seria eu, autêntica e quem chegasse teria que gostar de mim pelo que sou, incluindo as tatuagens. Fora isso, sempre ouço coisas como "mais uma?!", "E quando ficar velha?" ou "Doida", compartilha Georgia, secretária, 49.

Iniciado em Janeiro deste ano, o projeto mostra o quão atrasados estamos em relação a algo que deveria ser simples e diário: o respeito ao outro.

Por meio de lindas fotografias e depoimentos, o Liberte-se é um manifesto a favor da Liberdade e ao Respeito. Afinal, não dá para começar nada de bom sem esses dois substantivos fundamentais. Nem o ano, nem o mês, nem a mudança que tanto queremos ver no mundo.

LEIA MAIS:

- Tatuador usa folga para tatuar sobreviventes de violência doméstica - DE GRAÇA!

- Como convenci minha mãe a fazer uma tatuagem comigo

Também no HuffPost Brasil:

Galeria de Fotos 27 ideias de tatuagens feministas Veja Fotos