OPINIÃO
01/09/2014 20:42 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Carta aberta a meu filho adolescente sobre bebidas e drogas

yakobusan Jakob Montrasio 孟亚柯/Flickr

Por mais que eu ache difícil acreditar, sou mãe de um adolescente. Na verdade, Tom começará o ensino médio em breve.

Os anos passaram tão depressa que eu realmente me sinto como, num momento, eu estivesse tirando fotos dele formando-se em nossa aula "Mamãe e Eu"; no momento seguinte, ele estava na quarta série; logo depois, Tom estava no colégio.

Convites para brincar na casa de amigos foram trocados por saídas para comer sushi, ver filmes ou passear pela cidade com os amigos. Sozinho. Sem adultos a vigiar.

Em vez de conversarmos com os pais de seus amigos na mesa da cozinha, nós acenamos para eles da janela do carro.

"Os tempos estão mudando."

Sempre que minha família ou amigos perguntam sobre Tom e se surpreendem com o fato de ele já ser um adolescente, o tema do álcool e das drogas parece aflorar. "O que você vai fazer quando ele chegar em casa bêbado pela primeira vez?" e "o que eu farei se descobrir que ele usou drogas?".

Sempre acho essas perguntas um pouco perturbadoras, porque simplesmente supõem que Tom vai experimentar essas coisas. Na verdade, a resposta comum que recebo da maioria dos meus amigos e parentes é que ele vai, é claro.

Verdade seja dita, eu acho essa mentalidade enlouquecedora. E se eu fosse jovem hoje acharia realmente confuso.

Desde o tempo em que Tom estava no jardim de infância, ele aprendeu na escola que bebida e drogas são escolhas perigosas. Ele leu livros e viu filmes sobre como o álcool pode afetar seu julgamento e facilitar o envolvimento com outros comportamentos de risco, como sexo sem proteção ou direção perigosa.

Na oitava série, seu professor de saúde fez a classe inteira escrever cartas dirigidas a si mesmos prometendo que não fumariam, beberiam ou fariam sexo sem proteção no colegial.

Mas muitos pais assumem como fato consumado que seus filhos vão se envolver em algum tipo de comportamento de risco.

Fui acusada de viver em uma terra da fantasia por pensar de modo diferente. "Os jovens sempre serão jovens", dizem alguns. Outros vão fazer coro: "Afinal, nós também fizemos isso".

Mesmo? São esses os critérios em que vamos basear a criação de nossos filhos?

Entendi. Meu filho está crescendo e vai ter de fazer essas opções sozinho.

Eu quero abrir suas asas e descobrir quem ele é. E por mais que algumas pessoas pensem que estou sendo sonsa, sei que ele vai cometer erros no caminho.

Mas quero que ele saiba minha posição sobre comportamentos que são, no mínimo, perigosos e, no pior dos casos, ilegais ou representam risco de vida.

Não quero que meu filho diga que não expus claramente meus sentimentos — por isso vou escrevê-los aqui, para que todos vejam.

Querido Tom,

A idade legal para beber álcool é 18 anos. Por favor, saiba que papai e eu nunca permitiremos que você tome bebidas alcoólicas em nossa casa ou em nossa presença até que você atinja essa idade. Por favor, saiba também que nada de bom jamais veio de um grupo de adolescentes bebendo. É uma receita para todo tipo de desastre.

Se você escolher beber, não apenas estará rompendo as regras de nossa casa, como estará infringindo a lei.

Se você for detido por dirigir embriagado, ou se a polícia for chamada a uma festa onde você esteve bebendo, você poderá ficar em uma situação em que não poderemos protegê-lo.

Sempre telefone para mim e para seu pai. Sempre. Não importa o que você tenha feito.

Nunca responda a uma ação ruim com outra pior só porque você tem medo de nos decepcionar ou nos irritar.

Nós ficaremos felizes? É claro que não. Mas preferimos ter você e qualquer amigo(a) que queira vir para casa com você em segurança do que receber um telefonema dizendo que você nunca voltará para casa.

Deixe-me ser clara de que o fato de que o amamos e o defenderemos não significa que vamos ficar apenas observando enquanto você faz coisas que sabe que não são boas para você.

Alguns lhe dirão que seus pais estão sendo irracionais e totalmente irreais. Alguns poderão lhe dizer que você é um adolescente e que embriagar-se é um rito de passagem. Eles podem até lhe contar histórias sobre seus próprios erros na juventude.

Escute seu coração e confie em seus instintos. Saiba também que não há nada bacana em acordar em seu próprio vômito, ou ter uma overdose.

Seu pai e eu nos orgulhamos do homem que você está se tornando. Nós o amamos tanto que não nos importamos que você nos odeie. Este é o nosso presente para você — somos seus pais, e não seus amigos.

Sempre sua, Mamãe

MAIS CRIANÇA NO BRASIL POST:

O que NÃO dizer para o seu filho